10.4.

TIPOLOGIA DOS PARTIDOS POLÍTICOS

Classificações doutrinárias: Max Weber (partidos de clientelas, partidos de classe e partidos ideológicos; o confronto entre os Honorotiorenparteien e os Massenparteien).

Maurice Duverger, de 1951 (partidos de criação interna ou de quadros e partidos de criação externa, ou de massas);

Sigmund Neumann, de 1956 (partidos de representação individual, ou liberais, e partidos de integração, subdivididos em partidos de integração democrática e partidos de integração total ou totalitários );

Otto Kirchheimer, 1957 (catch all party).

Gabriel A. Almond (partidos de contratação pragmática ou partidos de interesses; partidos ideológicos ou partidos de princípios; partidos particularísticos-tradicionais).

J. Charlot (Partidos de notáveis, de militantes e de eleitores) e de Giovanni Sartori (Legislative-Electoral, Organizational Mass; Electoral Mass).

·A classificação de Kenneth Janda (1980). O grau de institucionalização do poder (duração da organização, despersonalização da organização e diferenciação organizacional).

As classificações ideológicas. A divisão em torno dos regimes: partidos republicanos e partidos monárquicos. A divisão em torno de ideais políticos e ideais sociais.

A classificação em torno das dimensões direita-esquerda. As direitas e as esquerdas em sentido psicológico, tendo em vista a disposição dos temperamentos, e em sentido político propriamente dito, segundo os ideais e as formações históricas. Homens de direita fazendo política de esquerda e homens de esquerda fazendo política de direita. Revoluções de esquerda feias com temperamentos de direita e governos de direita conduzidos por temperamentos de esquerda.

·A perspectiva de Daniel-Louis Seiler. A classificação em torno da dialéctica patrões ou proprietários/ partidos de trabalhadores. A diferenciação centro/ periferia (partidos centralistas e partidos populistas). A dialéctica Igreja/ Estado (partidos democratas-cristãos/ partidos anti-clericais). O modelo combinado.

Alguns tipos empíricos. Os partidos sociais-democratas. Os partidos de modelo leninista. Os partidos únicos nazi-fascistas e autoritaristas. Os partidos democráticos do pós-guerra. Os partidos católicos e democratas-cristãos. Os partidos terceiro-mundistas.

·Os partidos trans-nacionais. O modelo do Parlamento Europeu. Partido dos Socialistas Europeus. Partido Popular Europeu. O Grupo Liberal, Democrático e Reformista. A Esquerda Unitária Europeia. A Forza Europa. O Rassemblement des Démocrates Européens. Os Verdes. A Aliança Radical Europeia. A Direita Europeia. O grupo Europa das Nações.

A tese de Mancur Olson Jr., em The Logic of Collective Action, de 1965. A perspectiva do neo-utilitarismo. O calculismo. A consideração dos bens colectivos numa actividade privada como meros subprodutos.


 

PARTIDOS DE QUADROS, PARTIDOS DE NOTÁVEIS, PARTIDOS DE COMITÉ OU DE REPRESENTAÇÃO INDIVIDUAL

PARTIDOS DE ORGANIZAÇÃO DE MASSAS. PARTIDOS DE MILITANTES

PARTIDOS DE INTEGRAÇÃO MASSAS, ELEITORAIS DE MASSAS, CATCH-ALL PARTY, PARTI ATTRAPE TOUT PARTITO PIGLIATUTTO, PARTIDOS DE ELEITORES

Apareceram nos começos da democracia demo-liberal, com o sufrágio censitário. Caso do partido conservador britânico e dos partidos políticos norte-americanos

Apareceram no último quartel do século XIX,com o sufrágio universal. Caso dos partidos sociais-democratas e socialistas

Apareceram sobretudo depois da Segunda Guerra Mundial. Caso do partido gaullista,da DCI, da UCD alemã e do PPD/PSD com Cavaco Silva.

Partidos de agregação de interesses concretos sem forte carga ideológica

Têm forte carga ideológica

Recruta a respectiva clientela entre todos os estratos sociais. Renunciam a toda  as contundentes declarações de princípios, apresentando objectivos atractivos e ambíguos de alcance geral. O êxito da respectiva estratégia depende do líder, fazendo surgir um novo processo de personalização do poder.Primado das estratégias de curto prazo sobre as componentes ideológicas.

Procuram a qualidade e não a quantidade. Isto é, buscam notáveis, personalidades com prestígio e influência

Recrutamento massivo. Interessa mais o número do que a qualidade

Partido popular ou de toda a gente catch-all-party

 

Auto-financiamento pelo pagamento de quotas

 

Estrutura administrativa muito simples. Militantes muito individualistas e pouco dados à disciplina. Não precisam de ser remunerados. Forte descentralização. As secções locais estão sujeitas a lideranças pessoais muito fortes

Uma organização muito estruturada com uma burocracia própria, com profissionais políticos. O respectivo modelo organizativo tende a reproduzir o esquema do aparelho de Estado

Fortalecimento crescente dos políticos situados nas esferas cimeiras do partido e desvalorização do papel do membro individual

 

Actividade política permanente, com mobilização e consciencialização das massas

Vive constantemente do fantasma da popularidade, procurando o protagonismo através dos meios de comunicação de massas e do marketing político

 

 

Procura estabelecer constantes ligações com  com os mais diversos grupos de interesses

CHARLOT (1970)

Partidos de Notáveis

 

Partidos de Militantes

 

Partidos de Eleitores

SARTORI

Legislative-Electoral Party

 

Organizational Mass Party

 

Electoral Mass Party

DUVERGER (1951)

Partidos de Quadros

 

Partidos de Massas

 

NEUMANN(1956)

Partidos de Representação Individual

 

Partidos de Integração Social

 

 

 

Regressar a Sumário