11.2.

Aproximação ao conceito de ideologia

Origem do neologismo. O sensualismo de Destutt de Tracy, em 1796, em Project d’Élements d’Idéologie (ciência das ideias, o estudo sistemático, crítico e terapêutico dos fundamentos das ideias). A distinção entre ideologia, gramática e lógica.

Evolução semântica. De ciência das ideias a aspiração reformista envolvendo um programa político. A ideologia como um sistema de pensamento, como um conjunto de pensamentos estratificados, como um conjunto autónomo sujeito a leis próprias de desenvolvimento. A ideologia como programa político reformista. A ideologia como um sistema de ideias conexas com a acção (Carl J. Friedrich), exigindo uma estratégia para a actuação.

·Ideologias e ideias.

·Ideologias e doutrinas.

·Ideologias e religiões seculares.

·Ideologia e ideal histórico concreto. A tese de Jacques Maritain.

·O conceito marxista de ideologia. O conceito de falsa consciência.

·A definição politológica de ideologias como sistemas de ideias com peso social. Teses de Raymond Aron, Cabral de Moncada e Adriano Moreira. A perspectiva de Anthony Downs, a ideologia como a verbal image of the good society, and the chief means of constructing such a society.

·Elementos da ideologias (racionais, emotivos, míticos).

·O discurso político e a ideologia. A conquista do poder como conquista da palavra.

·Ideologia e utopia. A utopia como subversão e a ideologia como justificação da instituição existente (Paul Ricoeur). A procura da cidade ideal. A tese de Karl Mannheim (1929). A posição de António Marques Bessa.

·Mitos. Função explicativa, função justificativa e função contestatária.

·O peso social. A sociedade de massas. Opinião pública e opinião crítica.

Regressar a Sumário