11.3.O subsolo filosófico das ideologias

·O subsolo filosófico das ideologias contemporâneas. Conceitos operacionais.

·Os milenarismos. O conceito de milénio no Apocalipse de S. João. De Joaquim Fiora ao gnosticismo contemporâneo. O fim do mundo, o fim da história e o fim que vem depois do fim. O Quinto Império.

·Os utopismos. Thomas Morus, Campanella, Francis Bacon e James Harrington. As utopias contemporâneas. A tese de Marques Bessa.

·O construtivismo. Análise do racionalismo geométrico cartesiano. O deicídio.

·O individualismo possessivo. A troca de bens como processo de contenção das paixões. A maximização dos interesses económicos como forma de sublimação da violência. Os vícios privados como virtudes públicas (private vices, public benefits). A teologia do mercado

·A fisiocracia, o liberalismo ético e a teoria da mão invisível, aquela que conduz os homens a cumprir um fim que não estava nas respectivas intenções. O evolucionismo espontaneísta.

·O positivismo e o neopositivismo.

·O utilitarismo. De Jeremy Bentham a Stuart Mill. As perspectivas contemporâneas do homem de sucesso.

·O darwinismo social. A ideia de struggle for life e a competição política. Os contributos de Walter Bagehot e Ludwig Gumplowicz. As teorias do Estado Força. As relações com o marxismo. As relações com o organicismo.

·O existencialismo. Martin Heidegger, Jean-Paul Sartre e Merleau-Ponty. A esperança dos desesperados (Mounier). A teoria do homem revoltado de Albert Camus.

·O neo-romantismo. Hannah Arendt (1906-1975).

Regressar a Sumário