11.8.

DO FIM DAS IDEOLOGIAS AO FIM DA HISTÓRIA

 O movimento do fim das ideologias da guerra fria (Raymond Aron, Daniel Bell e Edward Shils) e as teses do apaziguamento ideológico.

As previsões de Max Weber e de Karl Mannheim. A racionalização como desencanto leva ao fim das ideologias totais carismáticas e ao regresso à vida mística, às relações humanas directas e pessoais e ao retorno religioso. A tendênca para o fim das ideologias e das utopias como elementos transcendentes.

Os anos Kennedy. A ilusão da sociedade mista de Arthur Schlesinger e da sociedade opulenta de Galbraith.

As propostas sobre um homem pós-ideológico (Olof Palm). A tese do crepúsculo das ideologias de Gonzalo Fernandez de La Mora (1965).

As teses do fim da história (Francis Fukuyama) e da morte do comunismo (Z. Brzezinski). As perspectivas conservadoras, liberais e neomarxistas.

Regressar a Sumário