11.9. NOVAS IDEOLOGIAS DEPOIS DO FIM DOS ISMOS

Os efeitos do ano 1989.

Neoliberalismo e teologia de mercado. O regresso do livre-cambismo e do laissez faire. O modelo dos young urban professionals (yuppies).

A obra de Hayek.

Os novos libertários norte-americanos (Ruthbard e Friedman).

Neoconservadorismo e novas direitas. As perspectiva da new right norte-americana (Irving Kristoll) e a luta contra o modelo da Great Society de Lyndon Johnson (Daniel Bell e Patrick Moynhan). Os anos Reagan. O conservadorismo britânico, entre Roger Scrutton e Michael Oakeshott. Os anoas de Margaret Thatcher. O modelo francês: da nouvelle droite (Alain Benoist) à defesa da revolução conservadora (Guy Sorman). A geração portuguesa da revista Futuro Presente.

A perspectiva da Escola Crítica de Francoforte. A primeira geração: Benjamin, Horkheimer, Adorno, Marcuse, Fromm e Wittfogel e o movimento de secularização e abertura do marxismo. A conciliação com a psicanálise freudiana.. A segunda geração: Habermas. 

A New Left. O pensée 68.

O marxismo analítico das universidades anglo-americanas. A conciliação com Max Weber.

O modelo francês de Pierre Bourdieu e o estudo dos mecanismos da violência simbólica

Teologia da libertação e teologia da revolução.

As novas teorias internacionais. A world systems theory de Immanuel Wallerstein, ou as lógicas imperialistas regendo as relações entre o centro  e a periferia. As teses  dependentistas.

Reflexos do neomarxismo em Portugal. A Revista Crítica de Ciências Sociais e o magistério de Boaventura Sousa Santos.

O nacionalismo. A plasticidade da ideologia. A Idade do Nacionalismo. Do nacionalismo revolucionário ao nacionalismo conservador. O nacionalismo na Europa Ocidental e a chamada revolução regionalista. O nacionalismo no Terceiro Mundo. O caso especial do nacional-populismo sul-americano. Nacionalismo e grandes espaços.

·Os messianismos revolucionários do Terceiro Mundo.

 Os direitos do homem. A origem cristã. A Revolução Atlântica. Da Declaração da Virginia de 1776 à Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão de 1789. A Revolução Global e os direitos do homem.

 O mundialismo. Concepções clássicas. Internacionalismo e cosmopolitismo. A ideologia onusiana. As teses do Clube de Roma.

Ecologismo e ambientalismo. Das escolas científicas às ideologias verdes. Alguns teóricos E. F. Schumacher (1911-1977) e o small is beautiful. Petra Kelly (1947-1992). Murray Bookchin e The Ecology of Freedom (1982). Tornar o Estado melhor, mais pequeno e mais perto da casa (Eggers e O'Leary, 1995). Reflexos em Portugal.

Feminismo e movimentos de condição homossexual. Kate Millet, Sexual Politics, 1969 e a consideração do poder como structured relationships, arragements, whereby one group of persons is controlled by another.

Racismo e xenofobia. O problema das minorias nacionais e dos povos sem pátria.

Etologismo. Da sociobiologia às vulgatas ideológicas.

Fundamentalismos. Religião e política. As grandes religiões mundiais e as religiões seculares. Os modelos fundamentalistas actuais do judaísmo, do islamismo e do cristianismo. O regresso do bizantinismo (não separação entre a religião  e a política).

Regressar a Sumário