Nesta viagem sem regresso

 

 

 

 

Penso em ti aqui e agora,

penso em ti, perto de ti,

nesta viagem prometida

que é regresso sem regresso,

para a terra prometida. 

Ainda somos quem sempre fomos

e voltar atrás não vale a pena

nem sequer já pode ser,

mas pensar assim

nos dias que passaram

faz apetecer pensar

que não passaram.

Sempre a ternura de um tempo

que não volta,

as mesmas palavras de sempre,

as ingénuas palavras

de um amor permanecente.

Tentei esquecer-te,

tentei esquecer-me,

mortificando quem sou.

Tentei não ser,

suster,

negar-me.

Não consegui deter

meu sonho,

no rodopio que antecede

o silêncio do instante.

Voltou para sempre,

quem sempre fomos.