-199/-180: Guerra dos Romanos contra os lusitanos

 

Lusitano

 

-319/-300 -299/-280 -279/-260 -259/-240 -239/-220 -219/-200 -199/-180   -179/-160

 

  Linha do Tempo  Séculos I a V

Guerra dos Romanos contra os Lusitanos  
Aníbal é eleito sufete (-196). Prepara a desforra, reorganizando Cartago. Mas denunciado em Roma pelos seus inimigos, tem de refugiar-se em -195 junto de Antíoco III, rei da Síria.

Aníbal refugia-se junto de Prúsias, rei da Bitínia (-189/-188). Depois de Antíoco III ter assinado com Roma o Tratado de Apameia. 
Criação de duas províncias romanas na Hispania, a Ulterior e a Citerior, por C. Semprónio Tuditano e M. Hélvio (-197).

Início da Guerra dos Romanos contra os Lusitanos (-194 ou -193). Há referências a incursões na Bética de Lusitanos, Celtiberos e Vetões.

Senado Romano manda dois pretores para a Hispania. Lúcio Plaucio Hypsen  fica com a Citerior. Bebio Devite com a Ulterior. A este último, morto na viagem, sucede Júnio Bruto.

Batalha de Baeturia na Andaluzia, com os Lusitanos a vencerem os Romanos (-190).

Seguem-se os pretores : Manlio Acidino (Ulterior) e Caio Atilio (Citerior) (-187).

Lusitanos atacam a Ulterior e Celtiberos, a Citerior. Na Batalha de Asta, os Lusitanos são derrotados por Caio Atilio e os Celtiberos, por Manlio.

Lúcio Quincio Crispino na Citerior, Caio Calpurnio Pisão na Ulterior (-186). Ambos fazem uma operação de limpeza dos Lusitanos na Betúria, entre o Bétis e o Guadiana, zona usada para os pastos de Inverno.

Sublevação em Espanha contra os Romanos (-181). Chegam reforços de Roma para acudir a este levantamento.  
Cipião Emiliano (-185/-129)

Grande Altar de Zeus, em Pérgamo (-180).  
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009