© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

   
Verdadeiro início da república em Roma (-367), com a instauração da divisão de poderes.

Abertura de todas as magistraturas à plebe (-366/-337).

Saliente-se que o rei em Roma era vitalício, mas não hereditário. Além disso apenas assumia o poder depois de ser investido pelo povo, ao abrigo da lex curiata de imperio, no comício das cúrias, onde se contavam os votos por cúrias e não por cabeça. A gens assumiu-se assim como um conjunto de famílias que se encontram ligadas e submetidas politicamente a uma autoridade comum, o pater gentis, usando um nome comum por se julgarem descendentes de um antepassado comum. Já a curia era constituída por várias gentes que abandonaram o seu culto doméstico e passaram a fazer celebrações a uma divindade superior. A este respeito, saliente-se que tanto a polis grega como a civitas romana, além de serem cidade-Estado eram também uma cidade-Igreja, onde o chefe político também era o chefe religioso, inserindo-se naquela linha evolutiva que também leva os crescentes círculos comunitários, antecedentes da cidade a serem feitos em torno de divindades sucessivamente maiores.

Calístrado é o organizador da aliança de Atenas e Esparta (-369).

Morte de Dionísio I, o Velho, tirano de Siracusa (-367). Sucede-lhe Dionísio II, o Novo que tem Platão como conselheiro.

Morte de Pelópidas (-364).

Esparta e Atenas, em aliança, sofrem derrota face aos tebanos na batalha de Mantineia (-362). Morre Epaminondas no confronto. Esparta é apoiada por Élida, Acádia e Arcádia do Norte. Com Tebas, estão Sicião, Argos, Arcádia do Sul e Messena.

Atenas retoma a supremacia (-360) 
Segunda estadia de Platão em Sirusa (-367/-366). Encarregado da educação de Dionísio II, filho do tirano Dionísio I


Aristóteles vai para Atenas, a fim de frequentar a Academia de Platão (-367)

Nasce Pirro de Elis*, o fundador do cepticismo (-365/-275).


Platão regressa a Atenas (-365).

Terceira viagem de Platão a Siracusa (-361). 

 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009