-69/-60: Pompeu no Oriente. Primeiro triunvirato

 

Mitridates

 

-159/-140 -139/-120 -119/-100 -99/-90 -89/-80  -79/-70 -69/-60   -59/-50 -49/-40 -39/-30 -29/-20 -19/-0

 

  Linha do Tempo  Séculos I a V

  Primeiro triunvirato romano: Júlio César, Pompeu e Crasso (-60). 
Guerra civil na Judeia (-67).

Vitória de Pompeu sobre os piratas (-67).

Pompeu vence definitivamente Mitridates e Tigranes, o último rei Selêucida, ou Seljúcida, e o asmoneu Hircano de Jerusalém (-66). Levanta uma muralha de províncias romanas contra os Partos.

Pompeu conquista a Síria (-64) e intervém na Judeia, vassalizando-a, então um Estado dirigido pela dinastia dos Asmoneus, sob a suserania dos Selêucidas.

Terminam as guerras com Mitridates*, rei do Ponto (-63). Roma passa a controlar a Ásia Menor e a Síria. Pompeu é o grande vencedor. Alia-se a Cícero e aos cavaleiros.

Pompeu faz acrescer, mesmo sem autorização do Senado, novas províncias (Bitínia, Síria, Cirenaica-Creta), ao lado das antigas (Ásia e Cilícia)

Tensão entre o Senado e Pompeu (-64).

Consulado de Cícero. Conjura de Catilina (-63). Este dizia: considero a república uma cabeça sem corpo, e um corpo sem cabeça; pois bem, serei eu essa cabeça. Cícero pronuncia em 7 de Novembro o célebre discurso contra ele: até quando, Catilina, abusarás da nossa paciência? 
Lúculo derrota os Arménios (-69).

Campanhas vitoriosas de Pompeu no Oriente (-67-63).

Júlio César vem à Lusitânia como pró-pretor da Hispania Ulterior (-61).

Os Germanos invadem a Gália (-61).

Primeiro triunvirato romano: Júlio César, Pompeu e Crasso (-60). Uma espécie de aliança entre a glória, o génio e o dinheiro. 
Júlio César, questor (-68). Edil em -65. Pretor em -62. Propretor na Lusitania (-61).

Cícero apoia Pompeu (-66). 

 

Cícero diz as suas Catalinárias (7 de Novembro -63).

 

Estrabão (c.- 60/-21)

 
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009