© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

 

1060-1064: Reconquista cristã de Coimbra

 

Filipe I de França

 

1035-1039 1040-1044 1045-1049 1050-1054 1055-1059 1060-1064  1065

 

Séculos VI a X   Linha do Tempo     Século XII
 Henrique I, rei de França (1031-1060)

Fernando I, o Magno (1035-1065).

 

Filipe I, rei de França (1060-1108)*. Continua a aumentar o domínio real, integrando o Gatinais, o Vexin e o Berry. Mantém boas relações com o Papa.

 

Béla I, rei da Hungria (1060-1063).

 

Robert Guiscard conquista Reggio aos Bizantinos (1060).

 

Normandos, com Rogério e o seu irmão Robert Guiscard, conquistam a Sicília aos Árabes (1061-1091).

Senhores feudais afastam a regente Agnes (1062).

 

Robert Guiscard conquista Brindisi (1062).

Almorávidas fundam Marraquexe (1062). Conquistam quase toda a África berbere.

O arcebispo Gunther de Maiença e os bispos Guilherme de Utrecht e Otto de Ratisbona organizam uma peregrinação de 7.000 pessoas a Jerusalém (1064). 
Começa a dinastia almorávida com Yussuf ibn Tashufin (1061-1106).

Concílio de Compostela (1063).

Cruzada de cavaleiros borgonheses à Península Ibérica. O exército cruzado conquista a cidade de Barbastro, em 1064, após 4 meses de cerco.

 

Reconquista cristã definitiva de Coimbra (9 de Julho de 1064). O governo da cidade é entregue ao moçÁrabe Sisnando, filho de Judeus, natural de Tentúgal, educado em Sevilha que, depois de abandonar o islamismo, se aliou a Fernando Magno. Exerce tais funções até 1091. Era, até então, governador de Entre-o-Douro-e-Mondego.

Papa Alexandre II concede indulgência plena a quem vier à península combater os infiéis.

Documento fala nos cónegos regrantes de Santo Agostinho no mosteiro de Grijó. 
Godofredo de Bouillon (c. 1061-1100)

 

Papa Alexandre II (Anselmo do Baggio) (1061-1073).

Antipapa Honório II (1061-1072).

Concede o perdão dos pecados a quem combater os muçulmanos (1062).

Faz a primeira pregação de cruzada em Espanha (1063).

Concílios hispânicos, presididos pelo cardeal Hugo, legado do papa Alexandre II, onde se discute a leminação do rito moçÁrabe, estabelecido em 633 (1064 e 1068).

Morte de Ibne Azme, poeta e filósofo. 
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009