© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

 

1138: Hohenstaufen

 

 

1131 1132 1133 1134 1135 1136 1137 1138   1139

 

Século XI Linha do Tempo    Século XIII
  Afonso VII, rei de Leão e Castela (1126-1157)

Luís VII, le Jeune, rei de França (1137-1180)

Estêvão de Blois, rei de Inglaterra (1135-1154)

 
Papa Inocêncio II (1130-1143)

Conrado III (1138-1152)

Agrava-se a luta entre o sacerdotium  e o imperium que, com a ascensão da dinastia dos Hohenstaufen, ou da casa da Suábia (1138-1254). Conrado III (1138-1152)*.

Revolta de Robert Gloucester com o apoio de David, rei da Escócia. Batalha de Etendard.

Morte de Boleslau III e desmebramento da Polónia, fraccionada por lutas feudais.

 

Emerge a luta entre o sacerdotium  e o imperium que, com a dinastia dos Hohenstaufen (1138-1254) se volve no conflito entre os guelfos (partidários do papa) e os gibelinos (partidários do imperador); a política dos Hohenstaufen visou sobretudo evitar a instauração de uma unidade política autónoma no norte de Itália que afastaria a Alemanha do Mediterrâneo

 

Morte de Ibn Baja ou Avempace.

Começa a rivalidade entre os guelfos e os gibelinos. 
 

Eleito o antipapa Vítor IV (Março a Maio).

 

Fim do cisma papal, iniciado em 1130 (Maio).

Cardeal Guido de Vico volta a Portugal. 
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009