© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

1370: União pessoal da Hungria e da Polónia

 

 

Papa Gregório XI

 

1368 1369 1370  1371 1372 1373 1374 1375 1376 1377 1378 1379 1380

 

 

Século XIII  Linha do Tempo    Século XV
Dinamarca é derrotada pela Hansa. Imposta a paz de Stralsund.

 

Carlos V, le Sage, rei de França (1364-1380)

 

Filipe o Atrevido, duque da Borgonha (1363-1404)

 

Carlos III, o Mau, rei de Navarra (1349-1387)

 

Eduardo III, rei de Inglaterra  (1327-1377)

 

Valdemar IV, rei da Dinamarca (1340-1375)

 

Luís I, o Grande, de Anjou, rei da Hungria (1342-1382), é eleito rei da Polónia (1370-1382)

 

Murad I, sultão otomano (1359-1389)

Stephan Uros V (1355-1371).

 

Papa Urbano V (1362-1370)

Papa Gregório XI (1370-1378)

Carlos IV, do Luxemburgo (1346-1378)

Joana I, rainha de Nápoles (1343-1382)

Frederico III, o Simples (1355-1377), rei de Aragão e da Sicília.

Luís I, o Grande, de Anjou, rei da Hungria (1342-1382)

Casimiro III, o Grande, rei da Polónia (1333-1370)

João V, Imperador do Oriente (1341-1376)

Dmitri Donskoi, grão-duque de Moscovo (1350-1389)

Tropas francesas, comandadas por Bertrand du Guesclin, que sai de Castela em Julho, enfrentam the Black Prince que saqueia Limoges.

Du Guesclin é feito condestável da França. Vence Robert Knolls em Pontvallain.

Duque de Lencastre substitui o Príncipe Negro no governo da Aquitânia.

Aragão alia-se a Navarra contra Castela.

Carlos V pede a mediação do Papa Urbano V, no conflito de Castela.

Canal da Mancha é dominado pelos corsários ingleses.

Joana de Nápoles, sem filhos, designa o primo, Charles Duras, como sucessor.

Dinamarca é derrotada pela Hansa. Imposta a paz de Stralsund.

 

Luís I, o Grande, de Anjou, rei da Hungria (1342-1382), é eleito rei da Polónia (1370-1382). Angevinos da Hungria passam a governar a Polónia.

 

 

 Reinado de D. Fernando I

Continuam incursões portuguesas em Castela, a partir do Alentejo.

Tratado de Barcelona entre D. Fernando e Pedro IV de Aragão, reiterando o anterior (Junho).

Rei de Granada faz as pazes isoladas com Castela.

D. Fernando manda a Barcelona, como embaixador, o Conde de Barcelos, João Afonso Telo (Março). Este regressa a Lisboa em Julho.

Celebra-se novo acordo de Barcelona, entre Portugal e Aragão, relativo à guerra com Castela. (24 de Julho)

Castelhanos rompem bloqueio a Sevilha, depois de acção levada a cabo pelo almirante Ambrósio Bocanegra, na batalha naval de Sanlucar (Verão).

Também é vencida, diante do Cabo Espichel, esquadra portuguesa que levava socorro aos sitiantes de Sevilha. Lançarote Pessanha há-de voltar a falhar como almirante em Fevereiro de 1373, quando Henrique II de Castela cerca Lisboa. Aderirá ao partido de D. Leonor.

Revolta de Lisboa contra o projectado casamento do rei com D. Leonor Teles (Novembro). Revolta do povo miúdo, dito ventres ao sol.

Desvalorização da moeda em cerca de 347%!

Criada uma Bolsa de Seguros Marítimos.

Surgem os vedores da fazenda 
Papa Gregório XI O francês Pierre-Roger de Beaufort  (1370-1378). Eleito em 30 de Dezembro.

Criada a Ordem dos Jerónimos

Começa a construção da Bastilha em Paris. 
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009