© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

 

1525: Batalha de Pavia e derrota de Thomas Munzer

 

1518 1519 1520 1521 1522 1523 1524 1525   1526 1527 1528 1529 1530

 

Século XV Linha do Tempo Século XVII
  Francisco I, Valois, rei de França (1515-1547)

 

Henrique VIII, Tudor, rei de Inglaterra (1509-1547).

 

 

Carlos I de Espanha, imperador do Sacro Império (como Carlos V); rei de Aragão a partir de 1516; regente de Castela em nome da mãe entre 1516 e 1555 e rei de jure entre 1555 e 1556; unifica as duas coroas e torna-se o primeiro rei de Espanha (1555-1556).  Carlos V Habsburgo (1519-1530). Abdica em 1556 mas, não formalmente,  até 1558.

 

 

Segismundo ou Zygmunt I, o Velho, Jagelão, rei da Polónia (1506-1548)

 

Solimão II, o Magnífico (1520-1586)

 

Papa Clemente VII (1523-1534)

 

 

 

Prússia adere à Reforma

Introduzida a Reforma na Escócia.

Fundada a Ordem dos Capuchinhos.

Formada a Liga Católica de Dessau.

Exército de Carlos V, sob o comando do belga Charles de Lannoy, vence Francisco I na batalha de Pavia (24 de Fevereiro).

O rei de França fica prisioneiro, assumindo a regência a sua mãe, Luísa de Sabóia. A França perde o domínio da Itália do Norte, sendo forçada a uma paz com Carlos V.  Francisco I será obrigado a assinar o Tratado de Paris de 1526, onde renuncia a Milão e a Nápoles, assim como à Flandres, à Borgonha e ao Artois.

Depois de Pavia, Henrique VIII, na táctica da balança do poder, aproxima-se, de novo, da França.

Morre na batalha Jacques de Chabannes, dito Seigneur de la Palisse (1470-1525), o tal que un quart diheure avant sa mort, Il était encore en vie.

Parlamento de Paris contra o chanceler Antoine Duprat.

Derrota dos anabaptistas nas batalhas de Boblingen (12 de Maio) e Frankenhausen (15 de Maio). Morte de Thomas Munzer. Mais de 100 000 mortos.

Se Zuínglio os vai acolher, já os católicos fazem execuções em massa no Tirol, na Suábia e na Baviera.

Lutero casa com Katharina von Bora (27 de Junho).

Um protestante é queimado vivo em Haia.

Fundada a cidade de Santa Marta, na Colômbia (29 de Julho).

   

Reinado de D. João III

Ataque a Malaca por indígenas e muçulmanos.

 

Cortes de Torres Novas (5 de Setembro a 21 de Outubro). Primeiras Cortes de D. João III. Destas Cortes vão sair umas Leis das Cortes que apenas serão impressas em Março de 1539.

Votado um pedido de 150 000 cruzados.

Decide-se que as Cortes reunirão de dez em dez anos.

São apresentadas várias denúncias sobre a actuação de cristãos-novos, nomeadamente de médicos e boticários, a quem atribuíam a morte por envenenamento de vários cristãos ditos velhos, ou católicos.

 

Embaixada a Castela para tratar do casamento da Infanta Dona Isabel, irmã de D. João III, com Carlos V.

Tratado de Madrid, de  paz entre Carlos V e Francisco I de França, ajustando o casamento de Dona Leonor, rainha viúva de Portugal, com aquele último e o da Infanta  Dona Maria, filha de D. Manuel I, com o príncipe Francisco, filho do monarca francês (14 de Janeiro)

 

O príncipe D. João casa com a infanta D. Catarina (1507-1578), filha de Joana, a Louca, e de Filipe, o Belo, irmã de D. Leonor, terceira esposa de D. Manuel (10 de Fevereiro)

Instruções de Carlos V sobre o casamento de Dona Maria, filha de D. Manuel. (25 de Março ).

 

Notícias sobre a intensificação da exploração de sal no Rio Sado.

 

Entre 1530 e 1540, surgem umas Trovas de Gonçalo Anes, de alcunha o Bandarra , sapateiro de Trancoso, que falam  Desse bom Rei Encoberto que Tirará toa a Erronia/ Fará Paz em todo o Mundo. As Trovas que serão julgadas como judaizantes pela Inquisição, irão, contudo servir de elemento fundamental para a estratégia de resistência dos que se opunham à administração filipina e tratavam de dar achas para a fogueira do messianismo sebastianista, procurando transformar aquele que fora O Desejado num Encoberto.

Frei António de Beja, Breve Doutrina e Ensinança de Principes, Lisboa

 

Lutero, no ano em que casa com a monja Katharina von Bora (13 de Junho),  Wider die rauberischen und mordischen Rotten der Bauern.

Morte de Jakob Fugger.

 

Frei Heitor Pinto (1525-1584)ö1563.

 

Fala que fez Francisco de Melo nas cortes delRey dom Ioão o terceyro na villa de Torres novas a XIX de Setembro. Ano M.D.XXV. Dia de são Miguel na ygreja de sam Pedro. 

 

Um conselheiro de Carlos V, Miguel de Ulzurrum, em tractatus de Regiminis Mundi, de 1525, considera que o imperador era senhor de todos os homens, crentes e infiéis e que a ele teria de ser confiado o bem-estar temporal da Humanidade inteira.

Numa carta que D. Manuel I dirigiu à câmara de Lisboa, em 16 de Agosto de 1525, sobre a eleição de dois procuradores às Cortes convocadas para Tomar, chega a indicar-se o perfil dos que devem ser eleitos: pessoas de tall boodade, saber e discriçom, como pera tall auto se requerem, e que sejam asy sofiçientes e saibam e tenham pratica das cousas do Regno que acerqua dellas e de todo o mais que nas ditas cortes se fallar, tratar e praticar, saibam dar tall rezam como convyer amelhor asemto e beem de todas as cousas; os quaees traram apomtamentos asy geraes pera as cousas de meu seruiço e bem do regno, como espeçiaes pera o que tocar as cousas da cidade ... 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009