© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

1559: Cateau-Cambrésis, tabaco na Europa e Universidade de Évora

 

 

1548 1549 1550 1551 1552 1553 1554 1555 1556 1557 1558 1559   1560

 

Século XV Linha do Tempo Século XVII

 

Henrique II, Valois, rei de França (1547-1559).

 

Francisco II (1559-1560).

 

Isabel I, rainha de Inglaterra (1558-1603).

Filipe II, rei de Espanha (1556-1598)

Fernando I, imperador alemão (1556-1564)

 

Margarida de Parma começa a governar os Países Baixos.

 

Guilherme I de Orange, dito o Taciturno (1533-1584) é nomeado governador da Holanda.

 

Frederico II (Frederik II), rei da Dinamarca (1559-1588).

 

Eurico XIV sucede ao pai, Gustavo I Vasa, na Suécia.

 

Papa Paulo IV (1555-1559)

Papa Pio V (1559-1565)

Na Inglaterra isabelina, Acto de Supremacia (17 de Abril), renovando o acto de 1534, e Bill de uniformidade (27 de Abril), restaurando o regime do Book of Common Prayer, de Eduardo VI. Isabel I torna-se a chefe da hierarquia eclesiástica da nova Igreja Anglicana. Mas assume posições moderadas dado que se intitula suprema reguladora da Igreja.

Decapitado por traição o chefe da marinha inglesa, Thomas Seymour (20 de Março). Era considerado pretendente da princesa Isabel.

 

Nobres protestantes depõem Maria de Guise como regente da Escócia e mãe de Maria Stuart (21 de Outubro).

Calvino funda, com Théodor de Bèzes, a Academia de Genebra, escola de missionários protestantes.

 

O duque Emanuel Filisberto, volta ao Piemonte, depois de se ter aliado ao Imperador na batalha de Saint Quentin. A partir de então instala-se em Turim, criando um exército local.

 

Morte de Henrique II de França (10 de Julho). A este, sucede Francisco II (1559-1560). Tem quinze anos e está casado com Maria Stuart desde 1558*.

 

Filipe II abandona o governo directo dos Países Baixos. Casa pela terceira vez com Isabel Valois, filhe de Henrique II de França.

Margarida de Parma, meia-irmã de Filipe II, começa a governar os Países Baixos, as Dezassete Províncias, com o Parlamento.

Guilherme I de Orange, dito o Taciturno (1533-1584) é nomeado governador da Holanda.

 

Frederico II (Frederik II), rei da Dinamarca (1559-1588).

Eurico XIV sucede ao pai, Gustavo I Vasa, na Suécia.

 

 

Tratado de Cateau-Cambrésis (3 de Abril), entre Filipe II e Henrique II. A França conserva Calais, mas renunciam aos seus direitos sobre Itália.  O duque Emanuel Filibert volta ao seu Estado, depois de se ter aliado ao Imperador na batalha de Saint Quentin. A partir de então instala-se em Turim, criando um exército local. 

 Reinado de D. Sebastião, regência de D. Catarina

Assalto a Damão, com expulsão dos mercenários da Etiópia. O vice-rei D. Constantino de Bragança fica com a posse definitiva da praça que, no ano anterior, lhe havia sido cedida pelo sultão de Gujarat.

Uma coligação de príncipes do Malabar tanta conquistar Cananor, mas acabam derrotados.

Bombaim é cedida a D. Constantino de Bragança.

O Colégio Jesuítico do Espírito Santo em Évora é promovido a Universidade

Pragmática contra o luxo, o adorno de pratos e as iguarias.

João Pereira Dantas, Embaixador de Portugal em França, diligencia no sentido de concertar o casamento de D. Sebastião com a princesa Margarida de Valois (Novembro).

Criação dos chamados portos secos entre Portugal e Castela.

Parte de Lisboa para Angola a armada de Paulo Dias de Novais, levando vários jesuítas.

Chega à Baía o bispo D. Pedro Leitão. 

Papa Pio V Giovani Angelo de Medici (1559-1565). Eleito em 25 de Dezembro. O povo romano, depois da morte de Pio IV, em 18 de Agosto, atirou a estátua do defunto para o Tibre. Havia um ambiente de revolta contra os abusos dos sobrinhos do anterior papa.

 

Johann t’Serclaes, conde de Tilly (1559-1632).

Morre em Coimbra Fernão Lopes de Castanheda.

 

Padre Manuel da Nóbrega, Tratado Contra a Antropofagia.

 

Sá de Miranda, Estrangeiros.

 

Frei Luís de Granada, Compêndio de Doutrina Cristã, Lisboa.

John Knox regressa definitivamente à Escócia.

Gonçalo Fernandez Toledo traz da América a planta do tabaco, introduzindo-a em Espanha.  
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009