© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

1573: Nova guerra de religião em França

 

 

1568 1569 1570 1571 1572 1573   1574 1575 1576 1577 1578 1579 1580

 

Século XV Linha do Tempo Século XVII

 Carlos IX,  rei de França (1560-1574)

Isabel I, rainha de Inglaterra (1558-1603)

Jaime Stuart, como Jaime VI, rei da Escócia (1567-1625).

Filipe II, rei de Espanha (1556-1598)

Maximiliano II, imperador alemão (1564-1576).

Frederico II (Frederik II), rei da Dinamarca (1559-1588).

João III, rei da Suécia (1569-1592).

 

Catarina de Medici desfaz a paz com os protestantes e começa a quarta guerra de religião em França. Os duques de Anjou e de Alençon cercam a cidade protestante de La Rochelle.

Paz entre Veneza e os turcos.

 

Derrota do duque de Alba* na batalha de Enkhuizen. Regressa a Espanha. Volta a actuar na invasão de Portugal de 1580.

D. João de Áustria reconquista Tunes.

 

Henryk Walezy eleito rei da Polónia (1573-1574). Henrique de Valois que, depois de abandonar o trono polaco-lituano, se torna Henrique III da França. Com a morte do último Jagelão, em 1572, a Polónia torna-se numa monarquia electiva.

Contra-Reforma na Polónia.

 

 

Expulso de Kyoto o último xogum Ashikagoda, protector dos cristãos. Oda Nobunaga, um dos chefes de uma seita militar budista, assume o poder, vencendo a guerra civil. Torna-se ditador com o título de Gon-Dainagon. Um dos seus homens fortes é Hideyoshi que vai tentar conquistar a Coreia por duas vezes, em 1592 e 1597. O novo regime vai perseguir os cristãos de 1596 a 1598. Nova perseguição é desencadeada em 1614. 

 Reinado e governo de D. Sebastião

No governo, entre 1573 e 1575, mantendo-se Martim Gonçalves da Câmara e Jorge da Silva, emergem D. António Pinheiro, Bispo de Miranda, Francisco de Sá, D. Álvaro de Castro e D. João Telo de Meneses.

Desvalorização da moeda.

Nomeado D. Diogo de Sousa como capitão e governador do Algarve. Em 1578 será substituído por D. Francisco Costa.

Primeira jornada de D. Sebastião ao sul do país (de 2 de Janeiro a 14 de Fevereiro). Nova viagem do rei ao Algarve (4 a 18 de Setembro).

Morte de D. Joana, a mãe de D. Sebastião, no Escorial (7 de Setembro). Tinha passado para Espanha em Maio de 1554, apenas três meses depois do nascimento do filho.

D. António de Moniz Barreto, vice-rei da Índia.

 

Levantadas as Portas do Cerco em Macau. Mas nelas nunca houve ameias guarnecidas com peças de artilharia nem outros fortes anteriores voltados para ela. As bocas dos canhões sempre estiveram voltadas para o mar, de onde poderiam vir os piratas e os salteadores, principalmente os nossos aliados cristãos e ocidentais...

 
François Hotmann, Franco-Gallia.

Repartição dos alunos matriculados na Universidade de Coimbra entre 1573 e 1619: 2 950 em Teologia; 28 459 em Direito Canónico; 8 844 em Leis e 2 580 em Medicina.

 
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009