© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

1577: Sexta guerra de religião em França

 

 

1568 1569 1570 1571 1572 1573 1574 1575 1576 1577   1578 1579 1580

 

  Século XV Linha do Tempo Século XVII

 

Henrique III, rei de França (1574-1589)

 

Isabel I, rainha de Inglaterra (1558-1603)

 

Jaime Stuart, como Jaime VI, rei da Escócia (1567-1625).

 

Filipe II, rei de Espanha (1556-1598)

 

Rudolfo II, Habsburgo, imperador alemão (1576-1612)

 

Frederico II (Frederik II), rei da Dinamarca (1559-1588).

 

João III, rei da Suécia (1569-1592).
 
Sexta guerra de religião em França. Vitória dos católicos em La Charité e Issoire. Paz de Bergerac.

 

Edicto de Poitiers (17 de Setembro). Liberdade de culto para os protestantes.

 

Aliança entre a Inglaterra e a Holanda.

Começam as viagens de Francis Drake* (até 1580).

 

Guerra dos turcos otomanos contra os Persas. Até 1589. 

 Reinado e governo de D. Sebastião

D. Sebastião regressa a Lisboa, depois do encontro de Guadalupe com Filipe II (13 de Janeiro).

Arzila volta à posse portuguesa (Julho). O xarife deposto que a detinha, em nome da aliança que pretendia fazer com Portugal, devolve a praça que permanecerá portuguesa até 1589.

D. Sebastião nomeia Luís da Silva Embaixador em Madrid, para apressar o prometido auxílio militar de Filipe II (Maio)

João Gomes da Silva  Embaixador em Roma, é mandado indagar junto do grão-duque de Florença se estaria disposto a dar ao rei de Portugal a filha primogénita em casamento com vultoso dote (28 de Agosto).

Alvará revoga a proibição dos cristãos-novos passarem para o ultramar.

Bispado do Algarve é transferido efectivamente de Silves para Faro, cumprindo bula de 1540.

Peste nos arredores do Porto.

Novo governador-geral do Brasil, D. Diogo Lourenço da Veiga. Termina a administração separada do norte e do sul. Salvador Correia de Sá fica com o governo do Rio de Janeiro, sujeito ao governador-geral.

D. Diogo de Noronha, governador da Índia. Depois, D. Luís de Ataíde, 3º conde de Atouguia, é mais uma vez nomeado vice-rei da Índia.

 

Não é por acaso que o nosso Rei, sempre designado por Vossa Alteza, só a partir de 1577, na sequência da entrevista de Guadalupe, entre D. Sebastião de Portugal e D. Filipe II, de Espanha, é que passou a usar a coroa de Portugal fechada e a qualificar-se por Vossa Majestade. A partir de então, acaba o velho reino da coroa aberta, igual à dos comités, onde o rei, como primus inter pares, tem um poder que, apesar de ser mais alto, de alteza, ainda é da mesma natureza que os restantes poderes, dos quais, de forma pluralista, tem de obter consentimento contratual para poder governar a república. A partir de então surge a monarquia que se absolutiza pela abstracção da soberania.

 
Rubens (1577-1640)

 

Francisco de Vitória Relectiones Theologicae, publicadas em Lyon.

 

Pedro da Fonseca, Commentariorum in Libros Metaphysicorum Aristotelis Stagiritae, 1577-1605

 

Chronica dos Feitos, Vida e morte do Iffante Sancto Dom Fernando  
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009