© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

1585: Conflito anglo-espanhol

 

 Sisto V

 

1578 1579 1580 1581 1582 1583 1584 1585   1586 1587 1588 1589 1590

 

Século XV Linha do Tempo Século XVII

 

Henrique III, rei de França (1574-1589)

 

Isabel I, rainha de Inglaterra (1558-1603)

 

Jaime Stuart, como Jaime VI, rei da Escócia (1567-1625)

 

Rudolfo II, Habsburgo, imperador alemão (1576-1612)

 

Frederico II (Frederik II), rei da Dinamarca (1559-1588).

João III, rei da Suécia (1569-1592).

Maurits, ou Maurício  stathouder (1585-1625).

 

 
Aliança da Inglaterra com as Províncias Unidas.

Alexandre Farnésio conquista Antuérpia (17 de Agosto).

A “Sainte Ligue” francesa, liderada pelos Guise, alia-se com Espanha, pelo Tratado de Joinville (2 de Janeiro).

Querem excluir os protestantes da sucessão do trono e defendem o cardeal de Bourbon.

Oitava Guerra de Religião em França (1585-1593).

Tratado de Nemours entre Henrique III e o duque de Guise (7 de Julho). Huguenotes perdem as respectivas liberdades.

Henrique de Navarra vence em Coutras, mas o duque de Guise vence em Auneau e entra em Paris. Henrique III abandona Paris e estaciona em Blois.

Ao anglicanos criam uma espécie de inquisição.

Maurits, Mauritius ou Maurício, nascido em 1567,  stathouder (1585-1625). Primeiro da Holanda e da Zelândia e, depois das restantes entidades. Capitão geral das Províncias Unidas em 1587.

 

 

Inglaterra  Começa o conflito com Espanha em 1585. Adopta a política do compromisso continental, mandando tropas para apoiar os rebeldes holandeses contra Filipe II. O objectivo era o de impedir os objectivos de Filipe II em terra e de arrasar o seu império no mar. A estratégia da balança do poder britânica, além do imperialismo ultramarino, marcado pela triáde do comércio (free trade), marinha (poder naval) e colónias, não era exclusivamente ribeirinha. Sempre assumiu uma intervenção continental, embora envolvente, ou através da chamada estratégia indirecta, procurando conter no terreno os inimigos principais, apoiando os adversários destes. Apoia os holandeses em terra contra a Espanha; apoia os franceses contra a Espanha.

 

Antuérpia (em flamengo Antwerpen; em francês Anvers) Cidade belga actual; estava dependente do ducado do Brabante desde o século XI; em 1315 entrou na Liga Hanseática; foi, depois, integrada nos Países Baixos espanhóis desde o cerco de 1585; sofreu os efeitos do Tratado de Vestefália que fechou à navegação a foz do Escalda

 
Episódio de resistência de Mateus Álvares, rei da Ericeira, o segundo falso D. Sebastião (1585).

Proibição do comércio com os Países Baixos.

Francis Drake ataca e saqueia a Ribeira Grande, na Ilha de Santiago.

Franciscanos fundam convento em Olinda. 
Papa Sisto V Felipe Peretti (1585-1590)*. Eleito em 24 de Abril.Vai declarar Henrique de Navarra sem direito à coroa (9 de Setembro).

 

Armand Jean Du Plessis, Cardeal Duque Richelieu (1585-1642)ö1616.

 

Huig de Groot ou Hugus Grotius (1585-1645)ö1605.

 

Cornelius Jansen (1585-1640)ö1640. 
 

Só uma achega sobre o sebastianismo, retirada do manuscrito "Memorial de Ministros", conservado na Biblioteca Nacional. Fala o seu autor sobre os magistrados que foram enviados a prender o ermitão: Gaspar Pereira do Lago natural da Villa de Vianna da Provincia de Entre Douro e Minho de familia muito nobre e com boa descendencia como dis a Corografia Portugueza no 3.º tomo a fl. 617. Foi Ministro de grande reputaçam. Dezembargador na Caza da Supplicaçam e nella de Aggravos, Corregedor do Crime da corte que hindo a villa da Eryceira prender o Eremitão que se fingiu ser El Rey D. Sebastiam, foi morto Violentamente pelos sequazes delle que associados em grande partida querião fazer as partes ao dito fingido Rey por se hallucinarem que elle o verdadeiro Monarcha. Era este individuo de natureza hum Gonçalo Alvres natural da Ilha terceira, filho de hum conteiro de baixa esfera, o qual fora Noviço em hum convento de Religiosos Descalços para o ministerio de Leigo professo: veyo para a villa de obidos Sendo expulso do Convento e como quer que neste intermedio tivesse socedido o fatal acontecimento da perda ou da morte do Rey D. Sebastiam reynando já em Portugal Filippe 1.º o Prudente intentou o referido eremitão Arrogarse verdadeiro Rey na viva imajem do que antecedentemente se tinha perdido. Juntou hum sequito de oito centos de pessoas athe mil que por seu verdadeiro Rey o veneravão e ajudado de hum Lavrador veio chamado Pedro Affonso, que tinha por si todos os moradores da Eryceira, Carvoeira e Mafra, e outros muitos lugares mandou huma Carta ao Archiduque, que governava o Reyno por hum filho de Antonio Simoéns Homem rico que com coração o seguia, a qual continha que era tempo de se abrirem os olhos e que logo despejasse o Real Palacio; e outras mais expressoéns semelhantes ao discurso de tão ridiculas figuras e dando este Emissario a Carta ao Archiduque, foi prezo porem Logo o soltarão; motivo porque se acreditou por mais verdadeiro o socesso que tudo foi simulado e fingido, dando o dito Eremitão fundamento para maiores concursos, que o seguião, nomeando officiaes, dando titulos e lavrando sellos. Para se aplacar hum tão sediciozo motim contra Deos, contra o Rey verdadeiro e contra todas as gentes, Ordenou o governador do Reyno mandar justiças contra os tumultuarios. Foi o primeiro nomeado o Juiz de fora da Villa de Torres Vedras com os seus officiaes aos quaes todos matarão os sediciosos com rigorosos tormentos. E como hião crescendo os abismos e absurdos foi precizo hir Ministro mais condecorado, qual foi Gaspar Pereira do Lago com justiças mais dobradas, o qual corregedor foi victima da sua gloria sendo morto as punhaladas e hum seu filho e sobrinho, que o acompanharão na jornada e na morte. [...]

Antonio da Fonseca Foi ministro de grande Circunspecção, e de grande respeito, e nome. Dezembargador, e Corregedor do Crime da Corte, que prendeo na Eryceira o Ermitão, que Se fingia Ser El Rey Dom Sebastiam - Despois que matarão ao Corregedor do Crime da Corte Gaspar Pereira do Lago os Confederados do dito Ermitão, que o seguião, na Villa da Eryceira, Como Se conta no Lugar deste Ministro, foi mandado Antonio da Fonseca a esta deligencia, e juntando 400 Castelhanos Com o Capitão Calderón entrarão como em porfiada batalha, e não Conseguirão mais do que as mortes de algúns Sediciosos. Por fim de tudo foi por Sagacidade prezo o dito Ermitão, que lhe armou hum Cavalhero Portuguez chamado Balthazar de Sá. Despois desta principal prizão, forão prendendo muitos, que todos forão Castigados em patibulo com mãos cortadas, e os de menos Culpa, Sentenciados a galez. o Ermitão posto a tormento Confessou não Ser El Rey Dom Sebastiam nem o queria Ser; e que So com as Suas armas queria Vencer Lisboa pondo-a em Liberdade, Como pretendia [...]

 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009