© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

1600: França contra a Sabóia e execução de Giordano Bruno

 

 

Cristóvão de Moura

 

    1601 1602 1603 1604 1605 1606 1607 1608 1609

 

Século XVI Linha do Tempo Século XVIII

 Henrique IV, rei de França (1589-1610)

Isabel I, rainha de Inglaterra (1558-1603)

Jaime Stuart, como Jaime VI, rei da Escócia (1567-1625)

Rudolfo II, Habsburgo, imperador alemão (1576-1612)

 
 

Guerra entre a Suécia e a Polónia, que disputam a posse da Livónia.

 

Campanha de Henrique IV de França contra Carlos Emanuel I da Sabóia (1600-1601). Henrique IV casa com Maria de Médicis.

 

Espanhóis, comandados pelo arquiduque Alberto da Áustria são derrotados em Nieuwepoort por holandeses e ingleses, sob o comando de Maurício de Nassau (2 de Julho).

Maurício de Nassau tenta invadir a Bélgica. Nestas forças domnam os mercenários e os estrangeiros (em mais de uma centena de companhias, apenas existem onze holandesas).

Fundação da Companhia inglesa das Índias Orientais.

 

Ieyasu vence os últimos senhores feudais na batalha de  Sekigahara em Outubro de 1600. Receberá em 1603 o título de shogun, implantando um sistema de ditadura militar que vai durar cerca de dois séculos e meio. A sua capital passa a ser Edo, a actual cidade de Tóquio 

 Reinado de Filipe III (II)

Cristóvão de Moura, vice-rei e capitão-geral da gente de guerra (1600-1603). Nomeado em 29 de Janeiro. Começa a governar no dia 1 de Junho.

Novo surto de peste.

Aires de  Saldanha, vice-rei da Índia (1600-1603).

Abandono das Molucas.

Diocese de Angalame-Cranganor é incluída no padroado português.

Ataque holandês a S. Tomé

Surgem os carmelitas descalços em Portugal. 
António Henriques Gomes (1600-1663).

 

Gabriel de Naudé (1600-1653)ö1639.

Morre em Madrid, Luís de Molina (12 de Outubro).
 

Morte de Frei Amador Arrais.


Reforma da Universidade de Paris.

Condenação e execução de Giordano Bruno (17 de Fevereiro)

 

Barclay, De regno et regali potestate adversus buchananum, brutum, boucherium et reliquos monarchomachos libri VI, Paris.

 

Duarte Nunes de Leão, Crónicas dos Reis de Portugal. Primeira parte.

 

 

 
Países Baixos A partir de 1600, as forças já pendem para os exércitos de Maurício de Nassau, no qual dominavam os mercenários e os estrangeiros (em mais de uma centena de companhias, apenas existiam onze holandesas).

Terminada a guerra com a coroa espanhola em 1608, logo a nova comunidade política se expandiu tanto para além dos mares, numa acção em que as principais vítimas foram os territórios portugueses, como também pela ocupação do norte de Brabant, em 1629.

 

Última revisão:15-02-2009