© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

1643: Regência francesa de Ana de Áustria e fim da era Olivares

 

 

 

1638 1639 1640 1641 1642 1643   1644 1645 1646 1647 1648 1649 1650

 

   Século XVI Linha do Tempo Século XVIII

 

 Luís XIII, rei de França

 

Carlos I, Stuart (1625-1649)

 

Imperador Fernando III (1637-1657)

 
 
 

Morte de Luís XIII (14 de Maio). Sucede-lhe Luís XIV* (1643-1715), le Grand, com cinco anos de idade. Regência de Ana de Áustria*, assistida por Mazarino.

Franceses, sob o comando do duque de Eghien, futuro príncipe de Condé, vencem os espanhóis em Rocroi, pondo fim à invencibilidade dos tercios e da infantaria espanhola (19 de Maio).

Campanhas de Enghien e Turenne no Mosela e no Reno (1643-1644).

Liquidada em Paris a revolta dos Importants, chefiada por François de Vendôme (1616-1669) duque de Beaufort.

Gaspar de Guzmán, conde-duque de Olivares (1587-1645) demite-se, sendo substituído por Luis de Haro.

──

Aliança dos revoltosos escoceses, desde 1638,  com os parlamentares.  Cromwell organiza o regimento dos cavaleiros Ironsides.

Vitória dos realistas de Ralph Hopton na batalha de Stratton (16 de Maio). Roundhaeads derrotam os royalists na batalha de Winceby  (10 de Outubro). 

 Reinado de D. João IV

Nova desvalorização da moeda.

Restabelecido o imposto das meias anatas (24 de Janeiro).

Revalidadas as Ordenações Filipinas (29 de Janeiro).

Execução de Francisco de Lucena, secretário de Estado, acusado de conspiração.

Criação do cargo de Secretário de Estado e da Secretaria de Estado das Mercês e Expediente (29 de Novembro). Criação do Tribunal da Junta dos Três Estados (coordenação dos impostos e administração dos arsenais militares), do Conselho Ultramarino (14 de Julho) e da Casa das Rainhas.

Revalidação das Ordenações Filipinas

Tânger reconhece D. João IV.

Padre António Vieira tenta defender a causa dos cristãos novos e revolta-se contra a Inquisição, a que chama a Fortaleza do Rosssio.  Solicita o regresso dos Judeus mercadores.

Ataque dos portugueses a Salvaterra da Galiza (Junho). Invasão da Estremadura espanhola e conquista de Valverde (Junho). Nesta acção participa directamente D. João IV.

Revolta contra os holandeses no Pernambuco, liderada por António Moniz Barreto (Maio). Em Junho, holandeses abandonam S. Luís do Maranhão e recolhem a Pernambuco.

Instruções para o Dr. Luís Pereira de Castro negociar o casamento do príncipe D. Teodósio com a duquesa de Montpensier (23 de Março)

Instruções para o Dr. Pereira de Castro representar Portugal no Congresso de Münster. (25 de Abril)

Instruções secretas para a missão à Holanda de Francisco de Sousa Coutinho. (5 de Maio)

 
Manuel Fernandes Vila Real, Anti-Caramuel O Defença Del Manifiesto Del Reyno De Portugal, Paris.

 

 

 

António Carvalho de Parada, Justificação Dos Portuguezes Sobre A Acção De Libertarem Seu Reino Da Obediência De Castella, Lisboa, Paulo Craesbeeck.

 

Idem, Arte De Reynar, Ao Potentíssimo Rei D. João Iv, Nosso Senhor, Restaurador Da Liberdade Portuguesa, Bucelas, Paulo Craesbeeck.

 

Tommaso Campanella, Città del Sole, ou Civitas Solis Poetica Ideal Republicae Philosophicae, é escrita em 1602 e publicada na sua versão latina em Utrecht no ano de 1643.

Retz coadjutor do bispo de Paris, seu tio, em 1643.  
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009