© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

1653: Papa condena o jansenismo

 

Peter Stuyvesant

1651 1652 1653   1654 1655 1656 1657 1658 1659 1660

 

Século XVI Linha do Tempo Século XVIII

 

 Luís XIV, rei de França

 

Oliver Cromwell, na Inglaterra

 

Imperador Fernando III (1637-1657)

 
 

Mazarino regressa a Paris (3 de Fevereiro). Fim da Fronda dos Príncipes. Bordéus é submetida (3 de Agosto). Revolta dos tamanqueiros de Sologne.

Parte da Ucrânia passa para a Polónia, na sequência da revolta dos cossacos.

Cromwell feito Lorde Protector da República, dissolvendo o Rump Parliament (16 de Dezembro). Formaliza-se a ditadura.

O holandês Peter Stuyvesant* funda o porto de Nova Amsterdão.

Revolta camponesa na Suíça. Exército de 16 000 homens ataca Berna (21 de Maio). Aniquilado e Herzogenbuchsee (8 de Junho).

Reforçado o poder do eleitor do Brandeburgo pelo acordo que obtém com o Landtag e a sujeição dos camponeses.

Czar Aleksi I estabelece um novo código aduaneiro que suprime muitas das barreiras internas.

Dalai Lama vem a Pequim investir a dinastia manchu.

  

 Reinado de D. João IV

Cortes de Lisboa (de Outubro a Fevereiro do ano seguinte).  Jurado o príncipe D. Afonso, depois da morte do herdeiro D. Teodósio (15 de Maio). Votados impostos.

Reconquista de Pernambuco aos holandeses, com a capitulação do general Van Loo. Armada de Pedro Jacques de Magalhães consegue cercar o Recife.

Recontro de Arronches.

Estatutos da Universidade de Coimbra. 
Papa Inocêncio X condena Jansen (31 de Maio).

 

Padre António Vieira volta ao Brasil em 1653, começando a escrever Esperanças de Portugal

  
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009