© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

1659: Tratado dos Pirinéus e batalha das Linhas de Elvas

 

Salvador Correia de Sá

1651 1652 1653 1654 1655 1656 1657 1658 1659   1660

 

Século XVI Linha do Tempo Século XVIII

 

 Luís XIV, rei de França

 

Ricardo Cromwell, na Inglaterra

 

Leopoldo I Habsburgo  (1658-1705)

 
 
Ricardo Cromwell é forçado a resignar pelo Exército. "Rump" Parliament restaurado.

Guerra franco-espanhola termina com o Tratado dos Pirinéus (7 de Novembro), produzindo cerca de cem mil mortos.

Acaba a revolta da Catalunha.

A França anexa  a Alsácia, sem Estrasburgo, o Rossilhão, o Artois e várias praças da Flandres; fim da preponderância espanhola e começo da hegemonia francesa na Europa.

Franceses fundam São Luís, no Senegal.

Garantida a independência das Províncias Unidas; restabelecido o ducado da Lorena que se torna vassalo da França; a Espanha mantém as suas posições na Itália e no Franco-Condado.

Volta a guerra entre dinamarqueses e suecos, mas Carlos X Gustavo falha no ataque a Copenhaga.

O povo hindu dos Maratas alarga a sua influência na Índia, pressionando o grão-mogol Aureng Zeb.

 

 

 

 


 

Tratado dos Pirinéus de 1659 põe fim à guerra no ocidente europeu: garantida a independência das Províncias Unidas; restabelecido o ducado da Lorena que se torna vassalo da França; a Espanha mantém as suas posições na Itália e no Franco-Condado

Contrato de casamento entre Luís XIV, rei de França, e Maria Teresa, filha de Filipe IV; a princesa renunciava ao trono de Espanha em troca de um grande dote que não chegou a receber e que serviu de pretexto para Luís XIV reivindicar os Países Baixos espanhóis

Bélgica Em 1659, Luís XIV  retira-lhes o Artois, com Arras; em 1668, a Flandres meridional, com Lille; em 1678, Cambrésis, com Cambrai.

Artois Actual região francesa, correspondente ao departamento de Pas de Calais, tendo Arras por capital. Fez parte dos domínios da casa da Borgonha e, a partir de 1477, dos domínios dos Habsburgos; o território, ocupado pela França em 1482, voltou para os Habsburgos em 1493; de novo conquistado pelos franceses em 1640, só foi definitivamente integrado na França em 1659, pelo Tratado dos Pirinéus
 

 Reinado de D. Afonso VI. Regência de D. Luiza de Gusmão

Batalha das Linhas de Elvas. Acção decisiva de D. Sancho Manuel, futuro conde de Vila Flor (14 de Janeiro).

Fome.

França abandona a protecção a Portugal no Tratado dos Pirinéus e Filipe V de Espanha.

D. Catarina é indigitada noiva de Luís XIV de França.

Rompimento de relações diplomáticas com a Suécia que reconhecera Filipe IV como rei de Portugal.

Começa a Congregação do Oratório em Portugal, na capela real, com o padre Bartolomeu do Quental e outros sacerdotes. Os congregados estabelecem-se no convento de Nossa Senhora da Hora em 1668 e têm os estatutos confirmados pelo Papa em 1671.

Colégio da Companhia de Jesus em Portimão.

Alvará de 6 de Fevereiro isenta o confisco a fazenda dos cristãos novos. Oposição do Santo Ofício a esta detrminação. Depois da morte de D. João IV, a Inquisição há-de excomungar todos os que tinham concorrido para a publicação do alvará.

Salvador Correia de Sá* volta como governador do Rio de Janeiro. Comanda a construção do maior navio da época o galeão Padre Eterno, na ilha ainda hoje dita do Galeão. Governa até 1662. 
Manuel Rodrigues Leitão, Tractado analytico e apologetico sobre os provimentos dos bispados da Coroa de Portugal. calumnias de Castella convencidas..., Lisboa, 1715. Obra já composta em 1659
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009