© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

  

1694: Máquina de calcular e Banco de Inglaterra

 

 

1690 1691 1692 1693 1694   1695 1696 1697 1698 1699

 

 

Século XVI Linha do Tempo Século XVIII

 

Luís XIV, rei de França

 

Guilherme III (1689-1702) e Maria II (1689-1694), reis ingleses

 

Carlos II, rei de Espanha (1665-1700)

 

Leopoldo I Habsburgo  (1658-1705)

 
 

 

 

Morte da rainha Mary (28 de Dezembro).

Abandonada a censura em Inglaterra.

Fenelon ascende a arcebispo de Cambrai

Frederico-Augusto I, eleitor do Saxe (1694-1733).

 

Fenelon ascende a arcebispo de Cambrai em 1694, naquilo que muitos consideram mera manobra para o afastar da Corte. Assume-se já então como o principal adversário de Bossuet, o preceptor do Grande Delfim, morto em Abril de 1711. Em Cambrai, recebe o fidalgo escocês Andrew Michael Ramsay, anglicano que converte ao catolicismo e a quem inspira um Essai sur le gouvernement civil, selon les principes de Fénelon, por A. M. Ramsay, Londres, 1723. 

Reinado de D. Pedro II

Destruição do Quilombo dos Palmares (6 de Fevereiro).

É nomeado Embaixador na corte de França o 2º marquês de Cascais, encarregado de oferecer a mediação Portuguesa para a paz geral (Agosto).

Fundação da fortaleza da Ponta da Mina e de uma alfândega na Guiné.

Bartolomeu Bueno de Siqueira descobre veios de ouro em Itonorama (Minas Gerais). 
Leibniz constrói uma máquina de calcular, capaz de efectuar quatro operações e de extrair a raiz quadrada.

 

Criado o Banco de Inglaterra (27 de Julho).

Francis Hutcheson (1694-1747)ö1720.

 

Jean-Jacques Burlamaqui (1694-1748)ö1747.

 

François Quesnay (1694-1774)ö1734.

 

François-Marie Arouet Voltaire (1694-1778)ö1734.

 

René Louis, marquês de Argenson (1694-1757).

 

Fenelon Lettre à Louis XIV, cerca de 1694.

 

Fenélon escreve Les Aventures de Télémaque Academia dos Nobres de Halle passa a universidade. Thomasius será o primeiro reitor. Apenas publicada a obra em 1699.

 

Domingos Antunes Portugal (1622?-1677) em Tractatus de Donationibus Jurium et Bonorum Regiae Coronae, reflecte claramente as teses de Bodin sobre a soberania, considerando‑a como summa et perpetua legibusque soluta potestas competens in res in persona suae ditionis vel inibi existentes. Ed. Lisboa, Ioannis A. Costa, 1699.

 
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009