© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

  

1697: Ouro do Brasil e Paz de Ryswick

 

 

Maria Teresa

 

1690 1691 1692 1693 1694 1695 1696 1697   1698 1699

 

Século XVI Linha do Tempo Século XVIII

  Luís XIV, rei de França

Guilherme III (1689-1702) rei britânico

Carlos II, rei de Espanha (1665-1700)

Leopoldo I Habsburgo  (1658-1705)

 
 
 

Vitória dos austríacos, comandados por Eugénio de Sabóia, sobre os turcos otomanos em Zenta (11 de Setembro).  

A França invade também a Catalunha e em 1697 já conquista Barcelona.

Paz de Ryswijk (20 de Setembro). Assinada perto de Haia com a França a dar uma inesperada prova de moderação face à Inglaterra, aos Países Baixos e à Espanha. Segue-se, em Outubro, o acordo com a Áustria. O primeiro retrocesso de Luís XIV.

França reconhece Guilherme de Orange como rei de Inglaterra.

Luís XIV devolve a Catalunha, o Luxemburgo, Mons, Ath e Courtrai aos espanhóis

A Lorena volta à independência, como ducado, tendo Leopoldo I como titular. O filho deste, Francisco III, casa com Maria Teresa de Áustria* e torna-se no Imperador Francisco I.

A Alsácia permanece francesa, incluindo Estrasburgo;

A França deixa de ter como aliados os príncipes alemães

A Inglaterra passa a ser o campeão do equilíbrio europeu.

Frederico-Augusto I, eleitor do Saxe (1694-1733), torna-se rei da Polónia, como Augusto II (1697-1706). Este renuncia ao protestantismo e vai aliar-se ao rei da Dinamarca e a Pedro o Grande, contra Carlos XII da Suécia que o depõe e dá a coroa a Stanislau I Lesczynski (1706). Volta ao trono em 1709 e até 1733, depois da derrota dos suecos em Poltava.

Lei inglesa determina a expulsão de todos os clérigos católicos (25 de Setembro).

Carlos XII, rei da Suécia (1697-1718). Tem 15 anos (5 de Abril).

Pedro o Grande, disfarçado de Pjotr Mikhailov parte para uma viagem pela Europa (Março).

Espanhóis conquista Yucatan acabando com o reino de Itza (Março).

 

 

 

 

 

Paz de Ryswijk, de 1697; em Setembro, a França com a Inglaterra, a Holanda e a Espanha; em Outubro com a Áustria

Luís XIV devolve a Catalunha, o Luxemburgo, Mons, Ath e Courtrai aos espanhóis; a Lorena volta a ser um ducado independente; a Alsácia permanece francesa, incluindo Estrasburgo;

Reconhecido Guilherme de Orange como rei de Inglaterra

A França deixa de ter como aliados os príncipes alemães

A Inglaterra passa a ser o campeão do equilíbrio europeu.

 

 


 
Lorena (em francês Lorraine; em alemão Lothringen). Região actualmente francesa, englobando as cidades de Nancy, Metz e Toul; tem origem na grande Lorena ou Lotaríngia que, no século X, além da actual Lorena francesa, também incluía a Valónia, os Países-Baixos, a Frísia e a margem esquerda do Reno; passou depois a província imperial, governada pelo arcebispo de Colónia. Dividida em 939 entre a Baixa-Lorena e a Alta-Lorena; no século XII os duques da Baixa-Lorena tomam o título de Duques do Brabante;  os da Alta-Lorena ficam simplesmente duques da Lorena, que tinham como vassalos os condes do Luxemburgo; em 1354, o condado do Luxemburgo passou a ducado; ocupado várias vezes pela França.

Em 1697, pelo Tratado de Ryswijk, o ducado volta a ser independente, com Leopoldo I; o filho deste, Francisco III, casa com Maria Teresa de Áustria e torna-se no Imperador Francisco I.

Em 1738, pelo Tratado de Viena, é atribuído a Estanislau Leszczynski,  sogro de Luís XV, que foi rei da Polónia em 1733-1734, revertendo para França, à morte deste, em troca com a Toscana, em 1766.
 

Reinado de D. Pedro II

Ouro no Brasil. A coroa passa a cobrar 20%, os chamados quintos do Brasil

Cortes de Lisboa (as últimas antes das de 1820). Começam no dia 1 de Dezembro, para juramento do novo herdeiro do trono, D. João. Resulta nova lei sucessória, de 12 de Abril de 1698. Terminam no dia 28 de Abril de 1698.

Chega a Paris D. Luís da Cunha, como Embaixador (24 de Fevereiro).

Instruções enviadas a D. Luís da Cunha embaixador em Londres, para onde seguirá muito posteriormente. (2 de Outubro).  

Nomeado para Timor um primeiro bispo, o dominicano Frei Manuel de Santo António.

Morte do Padre António Vieira na Baía (18 de Julho).

 

Fenelon,  Examen de Conscience sur les devoirs de la Royauté, composé pour l'instruction du duc de Bourgogne. Apenas impresso em 1734.

 

4º conde da Ericeira traduz a Arte Poética de Boileau.

Inaugurada a Catedral de S. Paulo em Londres. 
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009