© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

1700: Nova guerra nórdica e morte de Carlos II

 

 

 

 

 1696 1697 1698 1699  1700 1701 1702 1703 1704 1705 1706 1707 1708

 

Século XVI  Linha do Tempo

 

 

1699-1709 Guerra do Norte

 

1700-1714 Guerra da Sucessão da Espanha

 Luís XIV, rei de França

Guilherme III (1689-1702) rei britânico

Carlos II, rei de Espanha (1665-1700)

Filipe V, Bourbon, rei de Espanha (1700-1724)

Leopoldo I Habsburgo  (1658-1705)

 
 

II Guerra do Norte nórdica entre suecos e russos, aliados aos polacos (1700-1721). Começa em 12 de Fevereiro.

Guerra da Sucessão da Espanha (1700-1714). Termina com o Tratado de Utrecht e produz cerca de 1 251 000 mortos. Surge também a Grande Guerra Nórdica (1700-1721).

 

Os Bourbons de França, defendem Filipe de Anjou; Habsburgos, Carlos de Áustria, com o apoio da Inglaterra e de Portugal; Leopoldo I e Luís XIV eram casados com duas filhas de Carlos II de Espanha, o último dos Habsburgos de Madrid que morre em 1700; tinha designado como sucessor José-Fernando, filho do eleitor da Baviera, que, entretanto, morre em 1699

Nos começos de 1701, Filipe de Anjou chega a Madrid e é aclamado como Filipe V (1700-1746), sendo reconhecido por todas as potências, à excepção da Áustria; o império colonial espanhol é aberto ao comércio francês; a Inglaterra e a Holanda reagem e passam a apoiar o Imperador, formando a Grande Aliança de Haia, a que também se juntam os principais príncipes alemães e, mais tarde, Portugal e a Sabóia; apoiando os Bourbons, aparece apenas a Baviera

Depois de iniciais sucessos das tropas franco-espanholas, os aliados passam à ofensiva; em 1704, os ingleses conquistam Gibraltar; em 1706 já Filipe V é expulso de Madrid, onde o arquiduque Carlos é aclamado como rei, em 12 de Setembro de 1706.

 

Guerra nórdica (1700-1721) Tropas suecas avançam sobre a Rússia, mas sofrem o Inverno de 1708-1709 e são derrotadas por Pedro o Grande na Batalha de Poltava, de Julho de 1709.  Carlos XII é obrigado a refugiar-se junto dos turcos.

Carlos XII vence russos em Narva, na Estónia (20 de Novembro). Mas o rei da Suécia prefere voltar-se contra os polacos e aliviar a pressão sobre os russos.

Novo acordo de Londres entre Guilherme III de Inglaterra, Heinsius*, o Grande-Pensionário dos Países Baixos, e Luís XIV, sobre a sucessão de Carlos II de Espanha (25 de Março). Concordam em reconhecer o arquiduque Carlos  como sucessor. Luís XIV reclama Nápoles, a Sicília e Milão, cedendo a Sabóia e a Lorena. O Imperador da Áustria recusa assinar o acordo.

Morte de Carlos II de Espanha (1 de Novembro). Por testamento, deixa como herdeiro o duque de Anjou, o segundo filho do Delfim de França, na condição de o mesmo renunciar à coroa francesa.

Depois de quinze dias de reflexão, Luís XIV aceita a sucessão espanhol para o seu neto, que vai reinar em Madrid como Filipe V.

O Penjabe torna-se num Estado sique.

Instituído o calendário juliano na Rússia. Morte do patriarca de Moscovo, com Pedro I a declarar: sou eu, daqui para o futuro, o Vosso Patriarca. Estabelecido o cesaro-papismo.

Espanha O modelo unitário centralista é reforçado a partir de 1700 quando Filipe V, neto de Luís XIV, rei de França, inaugura a dinastia dos Bourbons.Só a partir de então surge uma monarquia nacional, por contraposição à anterior monarquia universal da Casa de Áustria. No fim da Guerra da Sucessão de Espanha, com a paz de Utrecht, os Bourbons de Espanha têm de ceder aos Habsburgos austríacos os Países-Baixos do Sul, o Milanês, a Sardenha e o Reino de Nápoles em 1714, enquanto os ingleses obtém Gibraltar e a ilha de Minorca e o Duque de Sabóia se torna rei da Sicília. Invasões napoleónicas e guerras carlistas.

  

 Reinado de D. Pedro II

 

 Envio dos provedores dos quintos para as minas do Brasil.

Ataque dos franceses a Bissau.

Por sugestão dos jesuítas, o Imperador da China intervém directamente na questão, quando declara e comunica a Roma que os ritos em causa eram puramente civis e políticos.

Tratado provisório entre D. Pedro II e Luís XIV para a evacuação e demolição dos fortes portugueses ao norte do Amazonas. (4 de Março)

Tratado de aliança entre Portugal e a França. (18 de Junho)

Chega a Lisboa o 2º marquês de Cascais após o término da sua missão em França. (10 de Agosto)

Inclusão de Portugal no Tratado de partilha da monarquia espanhola, celebrado entre Luís XIV, Guilherme II de Inglaterra e os Estados Gerais das Províncias Unidas(15 de Outubro). Pede as praças de Badajoz e de Alcantara e apoia uma sucessão que passa pelo arquiduque Carlos de Áustria, Vítor Amadeu de Sabóia, Carlos, filho de Leopoldo I, e, finalmente, por ele próprio.

  
Papa Clemente XI (1700-1721) O italiano Giovanni Francesco Albani. Eleito em 23 de Novembro.

 

Christian Thomasius, Fundamenta juris naturae et gentium ex sensu communi deducta, Halle e Leipzig.

Alemanha adopta o calendário gregoriano.

Fundação da Academia das Ciências de Berlim. 
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009