© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

 

 

1707: União da Inglaterra e da Escócia

 

 

1700 1701 1702 1703 1704 1705 1706 1707   1708 1709 1710

 

  Século XVI  Linha do Tempo

  1699-1709 Guerra do Norte

1700-1714 Guerra da Sucessão da Espanha

 Luís XIV, rei de França

Ana Stuart, rainha inglesa (1702-1714).

Filipe V, Bourbon, rei de Espanha (1700-1724)

Imperador José I (1705-1711)

 
 

União real da Escócia e da Inglaterra, surgindo o Reino da Grã-Bretanha. Em vez do anterior livre consentimento dos povos numa união pessoal, uma união real de povos, com um parlamento único. O tratado é ratificado pelo parlamento escocês em 16 de Janeiro e pelo parlamento inglês em 19 de Março de 1707.

A primeira reunião do parlamento unido ocorrem em Londres no dia 23 de Outubro.

 

Morte de Vauban (30 de Março). Durante a sua vida comandou pessoalmente meia centena de cercos.

Curso forçado do papel-moeda em França.

 

O exército aliado é derrotado em Almança pelos Bourbons (25 de Abril).

Austríacos e piemonteses invadem a França e cercam Toulon.

Ingleses conquistam Minorca (Agosto).

Princípe Eugénio de Sabóia conquista Lille (Dezembro).

Nomeado pela rainha Ana o primeiro governador britânico de Gibraltar  (24 de Dezembro).

 

Suecos marcham a partir de Leipzig e Riga para a conquista da Rússia (Dezembro).

 

Britânicos ocupam a foz do Ganges, pressionando os franceses

 

Desagrega-se o império do Grão Mogol.

 

 Em 1707, quando se deu a união definitiva entre a Inglaterra e a Escócia, em regime de união pessoal desde 1603, essa entidade passa a constituir a Grã-Bretanha; o tratado refere  que as duas entidades forever united into one kingdom by the name of Great-Britain.

 

Escócia é integrada no Reino Unido em 1707. A união da Inglaterra com a Escócia, oficialmente constituída, culmina um processo de união pessoal, conseguida a partir de 1603, quando os Stuarts assumiram o trono inglês

 

 

Valência (País Valenciano). Depois da queda do Califado de Córdova formou um reino, conquistado por Jaime I em 1238 que o integrou na coroa de Aragão com a categoria de reino, segundo os fueros  de 1240 que apenas foram abolidos em 1707 por Filipe V.

  

 

 

 Reinado de D. João V

Batalha de Almança*. O exército luso-inglês-holandês, de apoio ao arquiduque Carlos, é derrotado pelo exército franco-espanhol comandado pelo duque de Berwick (25 de Abril).

Duque de Ossuna conquista Serpa (26 de Maio).

 

Guerra dos Emboabas (1707-1709). Nome por que é conhecida a luta que se deu em Minas Gerais entre os naturais de S. Paulo e os forasteiros, os emboabas, sobretudo os reinóis, devido à concorrência na exploração das minas de ouro que os primeiros tinham descoberto. 

 

Venda de juros para pagamento das despesas do Estado.

 

Nomeação de João Gomes da Silva, 4º conde de Tarouca, como Embaixador de Portugal em Inglaterra (Abril)

Instruções para André de Melo e Castro como embaixador na Cúria Romana (20 de Agosto)

Parte de Lisboa a embaixada do conde de Vilar Maior a Viena, para a celebração do casamento de D. João V com Dona Maria Ana de Áustria (25 de Setembro).

 

Motins em Lisboa.

Alvará de reorganização do Exército (15 de Novembro).

 

Arrasada a fortaleza de Bissau (5 de Dezembro). A zona é abandonada no ano seguinte. 
 
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009