© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

 

1710: Guerra dos Mascates

 

 

 1708 1709 1710   1711 1712 1713 1714 1715 1716 1717 1718 1719 1720

 


 
   Século XVI  Linha do Tempo
  1700-1714 Guerra da Sucessão da Espanha

 Luís XIV, rei de França

Ana Stuart, rainha inglesa (1702-1714)

Filipe V, Bourbon, rei de Espanha (1700-1724)

Imperador José I (1705-1711)

 
 

Turcos declaram guerra à Rússia.

Batalhas de Almenara e Saragoça, com vitória dos imperiais sobre franceses e espanhóis.

Revolta de Madrid contra Filipe V, que é obrigado a abandonar a cidade, até 3 de Dezembro.

Vitória dos franceses em Vendôme, Brihuega e Villaviciosa (10 de Dezembro)*. Filipe V pode regressar ao trono de Madrid.

Destruição do mosteiro de Port-Royal.

Criação do imposto dos dízimos em França.

Batalha de Helsingborg (28 de Fevereiro). Suecos de Magnus Stenbock derrotam os invasores dinamarqueses comandados por Jorgen Rantzau.

Conquista de Riga por Pedro o Grande.

 

Nos séculos XVII e XVIII, a Itália é um campo de disputas entre os Habsburgos e os Bourbons, onde apenas emergem duas comunidades políticas essencialmente italianas: a decadente República de Veneza e os domínios da Casa de Sabóia. Com efeito, parte da Guerra da Sucessão de Espanha desenrola-se no norte de Itália, ficando os Habsburgos austríacos com a parte de leão do território, depois da Paz de Utrecht, de 1713.

 

Contudo, os Bourbons de Espanha, com Filipe V, casado com Isabel Farnésio e pela acção do ministro italiano Alboreti, tenta, a partir de 1717, intervir pela força na Itália, assim procurando rever a partlha de Utrecht. Só uma acção conjugada da Áustria, da França e da Inglaterra obrigam à cedência espanhola, no tratado de Madrid de 1729. Mas Isabel Farnésio não desiste e em 1731 consegue que o seu segundo filho, Filipe, fique com o Ducado de Parma. Com a Guerra de Sucessão da Polónia (1734-1738) e a Guerra de Sucessão da Áustria (1741-1748), a Itália volta a ser campo de conflitos.

 

A situação estabiliza com a paz de Aix-la-Chapelle de 1748: o Milanês e a Toscana são atribuídos aos austríacos; nas Duas Sicílias reinam os Bourbons de Espanha, que também acumulam com Parma, Placência e Guastalla; a França consegue o protectorado de Génova e Modena e mantêm os Estados papais no centro; Veneza continua independente e a Casa de Sabóia reforça-se, com o Piemonte, a Sardenha e Montferrat.

 

A independência dos Países Baixos vai ser assegurada depois da Guerra da Sucessão de Espanha entre 1700 e 1714. No início da guerra a França ocupa imediatamente os Países Baixos do Sul. No fim da guerra o espaço dos Países Baixos do sul passam para a Áustria. Os Habsburgos não deixam que os Bourbons de Espanha se mantenham nas terras que foram de Carlos V e de Filipe II. Mas no fim desta guerra a Holanda já não é a potência que fora, dado que tem de empenhar grande parte do seu esforço militar na defesa das suas fronteiras terrestres do sul.

 

 Reinado de D. João V

Há grandes atrasos no pagamento a soldados, por  falharem as rendas do tabaco, face a falência (Março).

Combates entre espanhóis e portugueses durante um ataque a Castelo de Vide (Fevereiro).

Espanhóis conquistam a praça de Miranda do Douro (8 de Junho).  

 

Franceses atacam o Rio de Janeiro.

Guerra dos Mascates no Pernambuco (1710-1715). Os senhores de engenho revoltam-se contra a elevação do Recife a vila, destacada de Olinda e expulsam o governador régio. Os mascates eram os vendedores ambulantes que dominavam o Recife e estavam aliados aos agricultores do interior, que financiavam. A classe opulenta ocupava Olinda. Vencem os chamados nativistas. Mas os dois partidos acabaram por submeter-se à autoridade de Lisboa, com a chegada do governador Félix José de Machado Mendonça.

Pirata francês Jean-Baptiste Duclerc cerca o Rio de Janeiro e ataca vários outros Portos (Setembro).

 

Criação de uma Companhia de Comércio com Macau. 
Leibniz, Essais de théodicée.

 

John Bellers,  Some Reasons for an European State. 1710, Proposed to the Powers of Europe by an Universal Guarantee and an Annual Congress, Senate, Diet or Parliament. To Settle Any Disputes about the Bounds and Rights of the Princes.

Morte do Padre Manuel Bernardes (17 de Setembro).  
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009