© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

1736: Francisco I casa com Maria Teresa

 

 

1728 1729 1730 1731 1732 1733 1734 1735 1736   1737 1738 1739 1740

 

    Século XVI  Linha do Tempo

  1733-1738 Guerra da Sucessão da Polónia

 

Jorge II, rei britânico (1727-1760)

 

 Luís XV, rei de França

 

Filipe V, Bourbon, rei de Espanha (1700-1724 e 1724-1746)

Imperador Carlos VI (1711-1740)

 
 

Aproveitando os vazios da prosperidade e do poder dos portugueses, as autoridades chinesas do novo imperador Qianlong tratam de intervir no interior do território de Macau. Para além da alfândega, eis que em 1736 se estabelece um mandarim no local, tratando o procurador do Senado, como entidade dependente. Em 1738, retiram-se, aliás, às funções do procurador, as matérias típicas de um recebedor público, entregues que foram a um tesoureiro.

Estanislau I abdica do trono polaco (26 de Janeiro).

Francisco I casa com Maria Teresa (12 de Fevereiro).

 

Ataque russo à fortaleza otomana de Azov (Julho)

 Reinado de D. João V

 

Ocupação de terras no Rio Grande do Sul. E ataque à colónia do Sacramento. Fundação do Forte de Jesus Maria José.

 

Novo ataque mouro a Mazagão (Novembro).

 

Reorganização das Secretarias de Estado em Portugal. Cardeal da Mota assume as funções de chefe da governação, depois da morte de Diogo Mendonça Corte Real. Surgem as dos Negócios Interiores e do Reino; dos Negócios Estrangeiros e da Guerra; e da Marinha e dos Domínios Ultramarinos.

Marco António de Azevedo Coutinho (1688-1750) é o primeiro ministro dos estrangeiros (28 de Julho).

 

Surto mineiro na região de Coimbra e de Aveiro. 
The Grand Lodge of Antient, Free and Accepted Masons of Scotland é fundada.

Inquisição interrompe os estudos a António José da Silva que neste ano vê representadas as duas peças Anfitrião e Labirinto de Creta.

 

Diogo Barbosa Machado, Memória para a História de Portugal, 4 vols., 1736-1751.

 

Alexandre de Gusmão, Instrução..., dirigida a D. Luís da Cunha e Marco António de Azevedo Coutinho, com denúncia dos malefícios da aliança luso-britânica.  
© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009