© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

 

 

1756: Guerra dos Sete Anos

 

 

1749 1750 1751 1752 1753 1754 1755 1756   1757 1758 1759

 

  Século XVI  Linha do Tempo

 

Jorge II, rei britânico (1727-1760)

 

 Luís XV, rei de França

 

Fernando VI, rei de Espanha (1746-1759)

  
 

Guerra dos Sete Anos (1756-1763).  Em 12 de Abril, a França invade Minorca, então sob domínio britânico. Em 15 de Maio a Inglaterra declara guerra à França e à América.

 

A Prússia assina com a Inglaterra o Tratado de Whitehall (16 de Janeiro) pelo qual se compromete a defender o Hanôver

Negociações da Áustria e da Rússia, contra a Prússia (Abril).

A França responde em 1 de Maio do mesmo ano, com o primeiro Tratado de Versalhes, com a Áustria.

Começa a guerra anglo-francesa.

Em 28 de Junho, batalha naval de Minorca, com derrota da esquadra britânica face aos franceses.

Tratado entre a França e a Suécia. Aliança da Dinamarca e da Suécia contra os britânicos (12 de Julho).

Ultimato da Prússia à Áustria (2 de Agosto)

Franceses conquistam aos britânicos o forte de Oswego, na América (14 de Agosto).

Clive estabelece o controlo britânico da Índia.

Em 29 de Agosto, a Prússia invade a Saxe; a Suécia ataca a Prússia.

Batalha de Lobositz, com os prussianos a derrotarem os austríacos (1 de Outubro).

Capitulação de Pirna (15 de Outubro).

Governo britânico de William Cavendish, Duke of Devonshire. De 16 de Novembro de 1756 a Maio de 1757.

 


 

Guerra dos Sete Anos (1756-1763): Produz cerca de 992 000 mortos. França, Áustria e Rússia contra a Prússia, a Suécia e a Inglaterra; a Prússia tinha-se transformado no principal adversário da Áustria que, sob o comando de Kaunitz procura como aliados os seus anteriores inimigos, a França e a Rússia; a Prússia de Ferederico II conclui uma aliança com os ingleses em 1756

Em 1756, a Prússia assina com a Inglaterra o Tratado de Whitehall, pelo qual se comprometia a defender o Hanôver; a França responde em 1 de Abril do mesmo ano, com o Tratado de Versalhes, com a Áustria; já antes, Maria Teresa se havia aliado com a imperatriz Isabel da Rússia e com Augusto III, eleitor do Saxe e rei da Polónia

Em Agosto de 1756, a Prússia invade a Saxe; a Suécia ataca a Prússia; a Prússia é derrotada pelos austríacos em Kullin (1757); mas reage e ganha aos franceses em Rossbach (1757), aos austríacos em Leuthen (1757) e aos russos em Zorndorf (1759); a Prússia perde em Hochkirch e Kúnersdorf (1759); vence em Liegnitz e Torgau (1760); Russos ocupam Berlim em 1760; queda do governo de Pitt em 1761
 

Reinado de D. José I

Conjura na Corte contra Pombal. Decreto condena os implicaos em 17 de Agosto.

Preso e degredado para Mazagão Diogo de Mendonça Corte Real (30 de Agosto).

Greve de rurais no Alentejo

Folheto contra os jesuítas.

D. Luís da Cunha Manuel assume a pasta da guerra e dos estrangeiros (6 de Maio). Carvalho e Melo assume a secretaria dos Negócios do Reino em 31 de Agosto.

Parte para França o Principal Saldanha, como Embaixador Extraordinário (28 de Setembro).

Criada a Companhia da Pesca da Baleia.

Estabelecida a Companhia Geral da Agricultura dos Vinhos do Alto Douro (criada em 16 de Julho, com estatutos em 31 de Agosto).

Criada a Companhia de Pernambuco e Paraíba.

Derrota dos Índios das Sete Casas na Guerra Guarani, em Fevereiro. Massacre de Caaibaté, com a morte de cerca de 1200 índios que resistiam à aplicação do Tratado dos Limites.

União do governo da ilha de S. Tomé e da ilha do Príncipe.

Maratas derrotam os portugueses em Goa. Morte do vice-rei D. Luís de Mascarenhas, conde de Alva, em combate de 26 de Junho, em Ponda, contra o rei de Sonda. 
José da Silva Lisboa (1756-1835)ö1798.

 

José Custódio de Faria, o chamado abade de Faria (1756-1819)

 

Mozart* (1756-1791).

 

William Godwin (1756-1836)ö1795.

 

António Ribeiro Sanches, Origem da denominação de Cristão-Velho e Cristão-Novo em Portugal e tratdo da Conservação da saúde dos Povos.

 

Voltaire, Essai sur les Mœurs.

 

Mirabeau, L’Ami des Hommes.

Fundação da Arcádia Lusitana ou Olissiponense. 
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009