© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

 

1763: Fim da Guerra dos Sete Anos e Vice-Reino do Brasil

 

 

 

 

1759 1760 1761 1762 1763   1764 1765 1766 1767 1768 1769

 

  Século XVI  Linha do Tempo

 

Jorge III rei britânico (1760-1820)

 

 Luís XV, rei de França

 

Carlos III, rei de Espanha (1759-1788).

 
 

Tratados de paz de Paris (10 de Fevereiro) e Hubertusburg (15 de Fevereiro), põem fim à Guerra dos Sete Anos.  

 

A Prússia conserva a Silésia; a Áustria volta-se para Leste e Sudeste.

 

Liberalização do comércio de cereais em França (25 de Maio).

 

Franceses cedem o Canadá aos  britânicos. Desaparece o império colonial francês na América do Norte.

 

Britânicos conquistam Havana.

 

Instrução primária obrigatória na Prússia.

 

Governo britânico de George Grenville (1712-1770), de  16 de Abril de 1763 a Julho de 1765.

Morte de Augusto III da Polónia (3 de Outubro).

 

Com Frederico-Augusto III (1763-1827), dá-se uma inversão da política externa do Saxe que se torna aliada da Prússia contra a Áustria; a partir de 1792 entra em guerra com a França, sendo derrotado, juntamente com os prussianos em Iena (1806), mas assinando com a França a Paz de Poznam (1806); a partir desta paz, Napoleão transforma a Saxe em reino, aumentando o território à custa da Prússia; em 1807, Napoleão dá em 1807 ao rei do Saxe o governo do Grão-ducado de Varsóvia; entra na Confederação do Reno; como aliado de Napoleão, participa na campanha da Rússia; na batalha de Leipzig de 18 de Outubro de 1813, voltam a mudar de campo, passando para os aliados contra Napoleão; mas o rei do Saxe é feito prisioneiro e os seus domínios passam a ser administrados pela Rússia e, depois, pela Prússia; com o Congresso de Viena, de 1815, se Frederico-Augusto I conserva o seu título de rei, perde muitos dos seus territórios para a Prússia; como rei António (1827-1836), a Saxe tornou-se numa monarquia constitucional; adere ao Zollverein em 1833; vencido pelos prussianos em 1866, teve de entrar na Confederação da Alemanha do Norte e depois no Reich, a partir de 1871. A região que tinha a capital em Magdburgo, foi integrada na RDA e dividida nos distritos de Leipzig, Dresden e Chemnitz ou Karl-Marx-Stadt.

 

A Prússia alia-se com a Rússia (1764). Atira os Habsburgos para os Balcãs e a Europa oriental. Assume-se, então, como a espada continental dos ingleses no seu jogo de balança do poder. E neste processo derrota sucessivamente a França e a Austria.

 

Pelo Tratado de Versalhes de 1768, os genoveses vendem os respectivos direitos sobre a Córsega  à França que, no ano seguinte, a ocupa através dos exércitos de Marbeuf.

 

 

Reinado de D. José I

Grave crise económica que dura até 1770.

Pela Paz de Paris, a Espanha fica obrigada a devolver a Portugal a colónia do Sacramento. Adesão de D. José ao Tratado definitivo entre a França, Inglaterra e Espanha, que pôs termo à Guerra do Pacto de Família.  Portugal recupera a colónia do Sacramento (10 de Fevereiro).

Cartas credenciais para D. Vicente de Sousa Coutinho na qualidade de Ministro Plenipotenciário junto de Luís XV (8 de Abril)

Convenção entre os exércitos de Portugal e Espanha para a suspensão de armas no Sul do Brasil. (6 de Agosto)

Termo da entrega da colónia do Sacramento pelos espanhóis aos portugueses. (27 de Dezembro)

A sede do Governo-Geral do Brasil passa de S. Salvador da Baía para o Rio de Janeiro. O primeiro vice-rei é o conde da Cunha, António Álvares da Cunha (10 de Outubro de 1763 a 17 de Novembro de 1767).

Ordenada a demolição das barracas e tendas de Lisboa (24 de Outubro).

Revitalizado o imposto da décima. 
Pierre Paul Royer-Collard (1763-1845)ö1814.

 

José Bonifácio de  Andrada Machado e Silva (1763-1838)ö1819.

 

Voltaire, Traité sur la Tolérance.

Rousseau renuncia à cidadania de Genebra. Decide dedicar-se à botânica e é atacado anonimamente por Voltaire, em O Sentimento dos Cidadãos.

 

António Ribeiro Sanches, Discurso sobre a América Portuguesa.

 

Publicação do Hebdomadário Lisbonense (Dezembro).

Conclusão das obras da Igreja dos Clérigos.

Há, depois da expulsão dos jesuítas, 538 casas religiosas em Portugal (407 masculinas e 131 femininas). 
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009