© José Adelino Maltez, Crónica do Pensamento Político, editada em Dili, na ilha do nascer do sol, finais de 2008

 

 

 

                      

710-719: Tárique passa o Estreito e aniquila o reino dos visigodos. Pelágio e São Bonifácio

 

 

 

700-709 710-719    720-729 730-739 740-749 750-769 760-769 770-779 780-789 790-799 

 

Séculos I a V  Linha do Tempo   Século XI

   
No Japão, a imperatriz Gemmyo, estabelece a capital do regime Yamato em Nara (capital em coreano), ou Heijo, uma cidade ordenada segundo o modelo chin~es, conforme a cidade coreana de Lo yang (710).

Philippicus destrona Justiniano II (711) que é assassinado.

Búlgaros cercam Constantinopla (712).

Imperador Hiuan-Tsong na China (712-756). O auge da dinastia Tang.

Muçulmanos conquistam o Fergana (712). Chegam a Cachegar (714). Conquista da região do Indo (actual Paquistão e Afeganistão).

Liutprand, rei dos Lombardos (712-744). Católico, consegue dominar os ducados independentes do norte.

Anastácio II substituiu Philippicus (713-715).

Carlos Martel (714-714). Filho de Pepino, o Médio, mordomo do palácio da Austrásia desde 640, dito dux et princeps Francorum, embora deixasse reinar os Merovíngios, e neto de Pepino, o Antigo, também mordomo, morto em 639. Carlos Martel é pai de Pepino o Breve, rei desde 751.

As possessões do califa Walid I estendem-se dos Pirinéus à China (715).

Suleimão, ou Solimão ou Sulayman, filho e sucessor de Al-Walid (715-717), tenta em vão tomar Constantinopla (717-718).

Teodósio III substitui Anastáscio II (715).

Califado de Umar ou Omar II (717-720).

Leão III, Isáurio, imperador do Oriente (717-741). Um general que derruba Teodorico III. Começa a dinastia isáuria. Até 867. O império fica reduzido à Grécia e à Ásia Menor. Vence uma frota Árabe que tantava apossar-se de Constantinopla (717-718).

Muçulmanos cercam Constantinopla (717). Conquistam a Septimânia (717-725). 
Morte de Vitiza (710). Áquila, um dos pretendentes ao trono passa-se para África, aliando-se aos Árabes.

Também um nobre africano católico, Urbano, se assume como conselheiro dos Árabes. Será mais tarde nomeado metropolita de Toledo, durante a dominação Árabe.

Do mesmo modo, os Árabes são apoiado pelo conde Julião, governador bizantino de Ceuta.

Eleito Rodrigo, como rei visigodo de Toledo 710-711.

Agila II rei visigodo da Tarraconense e da Septimania 710-714.

Djebel Tárique, ou Tarik Ibn Ciyad* passa as portas de Hércules e entra na Hispania, derrotando os visigodos de Rodrigo que também é morto na batalha de Guadalete ou de Janda (19 a 26 de Julho de 711). Morre em combate.

Primeira campanha de Muça bem Nusayr. Conquista Medina, Sidónia, Sevilha e Mértola (713).

Ardo rei visigodo da Septimania 714-720.

Segunda campanha de Muça bem Nusayr (714). Actua nos territórios da Lusitânia, entre Évora, Santarém e Coimbra.

Muçulmanos atingem o máximo do seu domínio na Península (716). Ocupam a terra portucalense.

Pelayo  ou Pelágio, eleito rei das Astúrias (718-737).

Governador Alhorre conquista a Catalunha para os Árabes (718). Até 755, a Hispania passa a ser uma província, dirigida por um emir, ou governador.

Árabes passam os Pirinéus (719) 
S. João Damasceno (700-754).

 

Papa S. Gregório II (715-731).

São Bonifácio inicia a cristianização da Frísia, na Alemanha (716). Em 719, na Turíngia. 
 

© Editado por José Adelino Maltez em Dili, Universidade Nacional de Timor Leste, ano de 2008

 

Última revisão:15-02-2009