Ligações internas nesta página:

 

Temas de Teoria das Relações Internacionais

 

O Imperial-Comunismo
 

Avaliação da licenciatura em Relações Internacionais

A procura da república maior

O ocaso do império soviético

Conferências:

 

Neo-feudalismo e anarquia ordenada (Jornadas de Relações Internacionais do ISCSP, Novembro de 2003)

 

A questão do Estado no contexto africano (Jornadas Parlamentares da UNITA, Luanda, Outubro 2003)

 

I rather prefer Kant to Rambo (conferência na Associação Portuguesa do Atlântico, Julho 2003)

 

Portugal e o Atlântico (12 de Maio 2003)

 

A Comunidade Mundial e a Crise do Político  

 

A ideia de globalização

 

Por uma Europa radicalmente europeia   

 

Das teias da geopolítica ao novo mundo da globalização

Conjuntura europeia

Intervenções jornalísticas recentes:

 

Bush, Iraque e GNR

 

Carta entreaberta a um europeísta desencantado

 

Contra a Razão do Euro-Estado

 

Contra as constituições valérias!

 

Sonhar o pós-guerra em plena guerra (Abril 2003)

 

Contra a bulgarização de Portugal (Março 2003)

 

Menos um! (Fevereiro 2003)

 

Cruz, Iraque, Durão e Américo Tomás (Fevereiro 2003)

 

Do Atlântico ao Índico. A Boa Esperança

 

Luanda já não é nome de guerra (Dezembro 2002)

 

Da Maria da Fonte à Rainha Ginga (Dezembro 2002)

 

Pela portugalização da Espanha (8 Nov. 2002)

 

Sobre o day after no Afeganistão: Só é novo aquilo que se esqueceu  

 

Sobre o ataque ao Afeganistão: A Democracia e a Guerra

 

Sobre o 11 de Setembro. Prefiro Kant a Rambo

 

Em Outubro de 2002 começou a ser distribuído um novo livro do autor:

 

 

Site da Editora:

http://www.principia.pt

 

Para adquirir a obra:

principia@principia.pt

 

Este texto é fruto das reflexões e da experiência do autor enquanto professor de Relações Internacionais na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Nele procura integrar, "de forma interdisciplinar, as matérias da ciência do direito, das relações internacionais e da política, com o micro da técnica e do saber-fazer e o macro da procura da sabedoria, a que muitos dão o nome de filosofia", por acreditar que só assim se pode "aceder à complexa questão da globalização, da mundialização ou da planetarização".

E opta claramente por um estudo integrado dos "vários discursos sobre o tema, bem como pela procura dos valores que mobilizam os indivíduos e os povos em torno de concepções do mundo e da vida ou de cosmovisões", ciente que está de que "não há ciência livre de valores". 

 

Uma breve recensão e três pequenos comentários à obra.

 

Outra referência em International Studies in Europe