Trinidad e Tobago

 

5 130 km2 e 1,3 milhões de habitantes, com a seguinte composição: negros (43%) - descendentes dos escravos que substituíram a população indígena -, indianos (40%) - indentured workers que chegaram após a abolição da escravatura, no final da década de 30 do século XIX -, mestiços (14%), chineses (1%). Pequeno número de espanhóis, ingleses e franceses. A diversidade actua como catalizadora da identidade nacional, auxiliada pelo efeito aglutinador da música, que gira em torno das steel bands e do calypso, canção negra de intervenção, na qual o cantor improvisa sobre as grandes questões contemporâneas.

A ilha de Trinidad foi integrada nas possessões castelhanas no Novo Mundo em 1498 e, negligenciada após a extinção progressiva da mão-de-obra índia Arawak, forçada a trabalhar, foi ocupada pelos britânicos em 1797. Situação análoga se verificou em Tobago, colonizada sucessivamente por holandeses, britânicos e franceses e atribuída finalmente aos britânicos em 1802. Administradas separadamente até 1889, nesse ano adquirem o estatuto de colónia da Coroa Britânica, integrando, entre 1958 e 1962, a Federação das Índias Ocidentais. A independência, obtida em 31 de Agosto de 1962, no seio da Commonwealth, foi antecedida pela introdução do sufrágio universal, em 1945, e do auto-governo, em 1959. Em 1 de Março de 1976, é aprovada uma nova Constituição, que transforma Trinidad e Tobago numa república, permanecendo na Commonwealth, tendo no até então Governador Geral, Ellis Clarke, o primeiro Presidente.

As eleições legislativas de 1986 alteraram significativamente o panorama político nacional. Depois do longo consulado de trinta anos do Movimento Nacional do Povo (que encontra nos negros a sua principal base de apoio), o primeiro partido do país, fundado e liderado por Eric Williams, a quem se seguiu, após a sua morte, George Chambers, a Aliança Nacional para a Reconstrução (ANR) forma Governo, mas o mandato sofre o impacto negativo da queda mundial dos preços do petróleo (de que o país depende, em grande medida) e da subsequente degradação da economia, a que se segue, em Julho de 1990, uma tentativa de golpe de Estado comandada por fundamentalistas islâmicos negros. Assim, em 1991 o MNP regressa ao poder, e o líder, Patrick Manning, torna-se Primeiro Ministro, mas, em Novembro de 1995, nova alteração, com a vitória do Congresso Nacional Unido, formado em 1989 por dissidentes da ANR e apoiado maioritariamente por indianos, sendo Basdeo Panday o primeiro chefe de Governo desta etnia.

Tobago dispõe, desde 1980, de uma Câmara de Deputados e, em 1987, obteve a autonomia interna.

No plano externo, mantém com a Venezuela uma disputa relativa às fronteiras marítimas.

© José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: