1945
 

Julho
Potsdam: regresso aos Estados directores

 

Eleições britânicas, com vitória dos trabalhistas e derrota de Churchill (5 de Julho). Attlee forma governo em Londres (26 de Julho)

Unionistas obtêm a maioria absoluta na Irlanda do Norte (14 de Julho)

Reino Unido: parlamento decide que Leopoldo II não poderá reinar sem ser com o acordo parlamentar (18 de Julho)

Tropas francesas passam a administrar o Sarre (12 de Julho)

França: iniciado o processo Pétain; será condenado à morte em 15 de Agosto, mas De Gaulle comutará a pena (23 de Julho)

Explosão da primeira bomba atómica experimental em Alamogordo, no deserto do Novo México (16 de Julho), produto de uma equipa de cientistas, onde se destacam Oppenheimer e Fermi

Ho Chi Min proclama a independência do Vietname (26 de Julho)

Um governo social-democrata, presidido por Hansson sucede a um governo de unidade nacional na Suécia (31 de Julho)

Espanha: Franco faz aprovar o Fuero de los Españoles (13 de Julho)

Em Espanha, Franco forma o seu terceiro governo (18 de Julho), depois de ter sido aprovado o modelo constitucional do regime pelo Fuero de los Espñoles (17-07), na altura em que em Potsdam o regime é condenado à autarquia, dado que nessa conferência se determina a impossibilidade de ingresso na ONU, porque tendo sido fundado com o apoio das potências do Eixo e, tendo em vista a sua origem, natureza, historial e associação íntima com os Estados agressores, não possui as qualidades necessárias para justificar o seu ingresso.

Conferência de Potsdam (a 25 km de Berlim), com Estaline, Truman e dois primeiros-ministros ingleses, primeiro Churchill e depois Attlee (16 de Julho a 1 de Agosto). É nela que se assume o neofeudalismo dos Estados directores, com uma enorme legião de Estados secundários, os quais vão ter de optar entre a anarquia ou o apoio a um dos grandes. É aqui e não em Yalta que se definem as fronteiras do futuro mundo bipolar. A linha dos rios Oder e Neisse (desde o Báltico até à fronteira da Checoslováquia) passa a constituir a fronteira entre a Alemanha e a Polónia. Dita-se a divisão da Alemanha em zonas de ocupação, repartidas entre as potências vencedoras da Segunda Grande Guerra (mais a França). Impostas, à Alemanha compensações de Guerra. Estaline trata de mudar o rumo, tomando como pretexto a possibilidade da não aceitação pelos aliados ocidentais da linha Oder-Neisse. Assim, começa a denunciar o imperialismo americano e o cerco capitalista, numa guerra verbal vai marcar o início da Guerra Fria, que também vai passar pela recusa da URSS em participar no Plano Marshalll, em Julho de 1947. É nesta conferência que se efectiva, não o espírito, mas o espectro de Yalta, onde se terá lançado a primeira pedra de um Muro de Berlim que ditaria a separação de dois projectos de sociedade opostos, sob o epíteto dos pontos cardeais: Leste/Oeste.

 

Janeiro Fevereiro Março
Abril Maio Junho
Julho Agosto Setembro
Outubro Novembro Dezembro

Ver síntese do ano

 

 

©  José Adelino Maltez, História do Presente (2006)

© José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: 31-03-2009