1948

 

Junho
Deutsche Mark e Bloqueio a Berlim


 

 

Demissão do presidente Benès na Checoslováquia(7 de Junho)

Fusão PS e PC na Hungria (12 de Junho)

Reúne em Varsóvia uma conferência dinamizada pela URSS, como resposta à Conferência de Londres; ocidentais organizam uma ponte aérea para o abastecimento de Berlim Ocidental (23 de Junho)

URSS/ Jugoslávia: comunistas jugoslavos expulsos do Kominform, concretizando-se a ruptura entre Tito e Estaline (28 de Junho)

Congresso norte-americano vota a chamada emenda Vanderberg que formaliza o fim do isolacionismo da chamada doutrina Monroe, autorizando Washington a participar em alianças internacionais fora do continente americanos.

Reforma monetária nas zonas ocidentais da Alemanha (20 de Junho). Surge uma nova unidade de conta, o Deutsche Mark (DM), assim se permitindo um melhor abastecimento de bens essenciais, comprimindo o mercado negro.

Soviéticos promovem o chamado Bloqueio a Berlim (24 de Junho). Os ocidentais reagem prontamente com a criação de uma gigantesca ponte aérea, mantada sob o comando o general Lucius D. Clay*.

Os franceses, depois do malogro nas negociações com o regime rebelde de Ho Chi Min, decidem, em 07-06-1948, assinar com o ex-imperador de Annan, Bao Dai, o reconhecimento da independência de um Vietname que incluiria toda a Indochina francesa, à excepção do Laos e do Cambodja, isto é a Cochichina, Tonquim e Annam.

Na União Sul Africana, com o fim do governo de de Jan Christiaan Smuts (1939-1948), do United Party, vai aceder ao poder, em Junho de 1948, o Partido Nacionalista,  liderado por Daniel François Malan (1874-1959), que retoma a política do apartheid, já semeada pelo governo de J. B. M. Hertzog (1924-1933).  Smuts, amigo de Cecil Rhodes, depois de combater os boers, vai ser o chefe do governo de 1919 a 1924, acabando por ser derrotado por Hertzog. Mas em 1933 volta ao poder, em coligação com o mesmo Hertzog, com cujos nacionalistas moderados constitui um novo partido, o United Party, adversário dos segregacionaistas de Malan.

Malan, defendendo o desenvolvimento separado das raças, inicia-se um processo que, logo em 1949, proíbe os casamentos mistos e em 1951 instaura a própria segregação residencial, numa altura em que cerca de um quarto dos negros já vive em meios urbanos, como meio de obra bnecessária para o efctivo salto desenvolvimentista dado pelo país. Na mesma senda seguem os governos liderados por J. G. Strijdom (1954-1958), H. F. Verwoerd (1958-1966), B. J. Vorster (1966-1978) e P. W. Botha (a partir de 1978). Em 1956, já surge a segregação universitária, com a criação de colégios universitários para negros e indianos e, a partir de 1959, surge a política dos bantustões, que leva o país a ser expulso da Commonwealth em 1961.

 

Termina o julgamento dos 108 militantes da oposição, entre os quais o comunista Francisco Miguel que acaba por ser remetido para o Tarrafal (12 de Junho).

Os funerais de Bento de Jesus Caraça transformam-se numa importante manifestação oposicionista (27 de Junho).

 

 

Janeiro Fevereiro Março
Abril Maio Junho
Julho Agosto Setembro
Outubro Novembro Dezembro

Ver síntese do ano

 

 

 

 

© José Adelino Maltez, História do Presente. Última revisão em: 04-08-2006        

© José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: