1956
 

Dezembro

Castro começa a guerrilha e IRA volta ao ataque

 

Fidel de Castro, em 1 de Dezembro, sai do seu refúgio mexicano e, desembarca na ilha, instalando-se na Sierra Maestra, criando um foco de guerrilha que o há-de levar ao poder, numa altura em que os mass media norte-americanos ainda o retratavam e divulgavam como barbudo herói romântico, em luta pela liberdade.

IRA recomeça a luta armada (12 de Dezembro)

Reembarque das forças anglo-francesas (24 de Dezembro)

 

 

 

 

 


A questão estudantil – Decreto nº 40 900 sobre encerramento de associações de estudantes (12 de Dezembro). Surgem, desde logo, manifestações estudantis contra o diploma, proposto por João de Almeida e Gonçalves Rodrigues. É ministro da educação Leite Pinto, doente desde o Verão, que era efectivamente substituído por Baltazar Rebelo de Sousa, o subsecretário de Estado que tutelava a Mocidade Portuguesa, acumulando as funções de comissário nacional de 1956 a1960, ao mesmo tempo que desenvolvia uma importante campanha de luta contra a analfabetização, lançada pelo seu antecessor, Henrique Veiga de Macedo e que tinha a dirigi-la José Hermano Saraiva.

O diploma, depois de chamado à Assembleia Nacional para ratificação, recebe as críticas dos deputados Daniel Barbosa e Almeida Garrett, sendo ratificado com emendas em 16 de Janeiro. Convertido em proposta de lei do governo, desce à Câmara Corporativa para parecer, mas não volta a ser discutido na Assembleia Nacional. Na Câmara Corporativa, há um parecer de Guilherme Braga da Cruz, apoiado por Júlio Dantas, Inocêncio Galvão Teles, Manuel Gomes da Silva e José Pires Cardoso.

Almoço de confraternização de elementos da oposição democrática em Lisboa, onde se aprova a formação de comissões eleitorais da oposição em todos os distritos, independentemente da Comissão promotora do Voto, sendo formada uma comissão de honra para o efeito (13 de Dezembro).

 

Janeiro Fevereiro Março
Abril Maio Junho
Julho Agosto Setembro
Outubro Novembro Dezembro

Ver síntese do ano

 

©  José Adelino Maltez, História do Presente (2006)

© José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: