1965
 

Maio
Prossegue a política norte-americana da canhoneira e britânicos com sistema métrico

 

 

Intervenção norte-americana na República Dominicana (3 de Maio). No dia 29 de Abril tinha havido um golpe de Estado, promovido por oficiais liberais que queriam o regresso ao poder do presidente eleito Juan Bosch. OEA apoia Washington. No dia 3 de Junho, anúncio da retirada dos marines.

Reino Unido adopta o sistema métrico (24 de Maio)

Derrota da coligação de Lefèvre/Spaak na Bélgica. Crescimento dos liberais. O social-cristão Pierre Harmel* forma novo governo (23 de Maio)

CEE: Primeira comunicação da Comissão sobre a política regional (11 de Maio)

Em Maio é preso Domingos Abrantes, do Comité Central do PCP, no âmbito de uma operação policial onde se desmantela parte da rede clandestina do partido no Sul do país.

Conselho Geral da Ordem dos Advogados apresenta documento ao Ministro da Justiça, enumerando as ilegalidades cometidas pela PIDE e pela PJ, solicitando-se um inquérito às actividades daquelas polícias (19 de Maio). Neste dia também começa greve dos operários do mármore na zona de Pero Pinheiro, que dura durante cerca de doze dias. Apelo dos oposicionistas por uma amnistia, demissão de Salazar, dissolução da Assembleia Nacional e nomeação de um governo de transição (20 de Maio). Um dos organizadores do documento é Francisco de Sousa Tavares.

Em 21 de Maio a Sociedade Portuguesa de Escritores, presidida por Jacinto Prado Coelho, atribui um prémio literário a Luandino Vieira, nome literário do independentista angolano, José Vieira Mateus Graça, pelo seu livro Luuanda. Há vários protestos de grupos ligados ao regime e a defesa militar do património africano, um assalto à instituição e a consequente dissolução da mesma por despacho do ministro da educação nacional, Inocêncio Galvão Teles. Os escritores Joaquim Paço d'Arcos e Luís Forjaz Trigueiros, em protesto, chegaram a pedir a demissão da sociedade.

 

Janeiro Fevereiro Março
Abril Maio Junho
Julho Agosto Setembro
Outubro Novembro Dezembro

 

 

©  José Adelino Maltez, História do Presente (2006)

© José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: