Castro, Fidel de
(n. 1927)

 

 

Político cubano. Educado pelos jesuítas e licenciado em direito. Ataca o quartel de Moncada em 26 de Julho de 1953. Amnistiado em1954, refugia-se no México. Desembarca em Cuba em 2 de Dezembro de 1956 e inicia a guerrilha na Sierra Maestra. Até Maio de 1956, o grupo sobrevive e instala-se. De Junho a Novembro de 1957, o grupo rebelde, constituído apenas por uma centena de homens, conquista a Sierra. Até Março de 1958 o Exército Rebelde, unido e cresecndo, passa da guerra de guerrilhas à guerra de colunas. Em 9 de Abril de 1958 fracassa a greve geral, pelo que o movimento urbano rebelde passa a subordinar-se cada vez mais aos guerrilheiros da Serra, contra a qual  Batista decide lançar uma ofensiva.

A partir de Julho de 1958, fracassada a ofensiva de batista, os rebeldes ocupam a parte oriental da ilha e lançam a sublevação geral. Os comunistas aderem ao movimento apenas em Outubro desse ano. Surgem várias colunas rebedes, dos campos para as pequenas cidades, das cidades para as capitais de província e de Havana por estas, num processo em espiral. O chamado foquismo triunfava. Battista foge no dia 1 de Janeiro de 1959 e Castro torna-se primeiro ministro em Fevereiro. Em 13 de Janeiro desse ano declara: nem eu, nem o movimento são comunistas. Dois anos depois, em 2 de Dezembro de 1961, já proclama: serei marxista-leninista até ao último dia da minha vida.

 

 

Voltar início

©  José Adelino Maltez, História do Presente (2006)

© José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: 19-03-2009