Respublica     Repertório Português de Ciência Política         Edição electrónica 2004

||Home

ANO:1871


SUMÁRIO:
Destaques Cronologia Acontecimentos Bibliografia Personalidades Livros do Ano Falecimentos e Nascimentos

I – DESTAQUES

PORTUGALMUNDO

Política

· Conferências do Casino (Março)

· Eleições (Julho)

· Governo de Fontes Pereira de Melo (Setembro)

· Proclamação do Império Alemão (Janeiro)

· Comuna de Paris (Março)

·

Ideias

· Introduzida em Portugal a Associação Internacional de Trabalhadores. Passamos da suavidade analítica de um Júlio Dinis, neste ano da sua morte e da publicação d’Os Fidalgos da Casa Mourisca, para a agressividade d’As Farpas. No mesmo ano das Conferências Democráticas do Casino, quando a geração de Antero, Eça, Ramalho e Oliveira Martins ainda se mostrava proudhonianamente revolucionária.

· Kulturkampf (1871-1879). O mesmo que luta pela civilização. Designação do período de 1871-1879 na Alemanha, quando Bismarck, apoiado pelos liberais, empreendeu uma série de reformas laicistas. Os católicos reagiram, especialmente depois das chamadas Leis de Maio de 1873, com o apoio do papa Pio IX. As tensões só foram esbatidas depois da eleição do papa Leão XIII.

· Como era título de obra de Renan, eis que não basta uma epidérmica reforma política, sem La Réforme Intelectuelle et Morale

· Surge em França o estudo da psicologia dos povos, marcada pelo nacionalismo místico do republicanismo francês, que iniciou a procura de coisas como o carácter nacional, a consciência nacional, a alma dos povos, ideia proveniente de Herder, ou a personalidade básica das nações.

 

II – CRONOLOGIA

NACIONAL

· Janeiro

2 As cortes são adiadas por 32 dias até 3 de Fevereiro de 1871. Em 3 de Fevereiro de 1871, por 36 dias, até 11 de Maio de 1871.

30 ávila substitui Alves Martins no reino, de foma interina. José de Melo Gouveia substitui Saraiva de Carvalho na justiça, de forma interina.

· Fevereiro

4 Posição da ala esquerda dos históricos. Os reformistas no Diário Popular observam: Pois governem esses ministros, mas lembrem-se de que o fazem por generosidade nossa. Acusam Carlos Bento da Silva de mentor da crise. Alves Martins volta para Viseu.

- Política contra-reformista. Extingue-se o ministério da instrução e elimina-se a reforma administrativa descentralizante. Sofre-se o choque da Comuna de Paris e começa a falar-se nuns Estados Unidos da Europa.

10 Partido histórico decide manter apoio ao governo. Fala-se de um entendimento entre ávila e Sá da Bandeira.

25 Partido constituinte. Dias Ferreira anuncia a intenção de criar um novo partido. O grupo é acusado de ser o centro político Saldanha-Peniche, contando com a participação de Sena de Freitas e do conde de Magalhães

· Março

1 Remodelação do governo: José Marcelino de Sá Vargas substitui Melo Gouveia na justiça; Visconde de Chanceleiros, Sebastião José de Carvalho assume a pasta das obras públicas, substituindo ávila.

6 Nasce, em Seia, Afonso Augusto da Costa.

18 No jornal A Revolução de Setembro é anunciado o programa do Cenáculo, com Adolfo Coelho, Antero de Quental, Augusto Fuschini, Eça de Queirós, Guilherme de Azevedo, Jaime Batalha Reis, Oliveira Martins, Manuel de Arriaga e Teófilo Braga.

22 Começam as conferências do Casino, com um discurso de Antero de Quental (até 26 de Junho de 1871). Realizam-se semanalmente.

· Maio

27 No âmbito das Conferências Democráticas do Casino Lisbonense, Antero de Quental profere a conferência sobre As Causas da Decadência dos Povos Peninsulares

- Neste mês, Ramalho Ortigão e Eça de Queirós começam a publicar As Farpas.

· Junho

3 A Câmara dos Deputados, onde havia uma maioria reformista, foi dissolvida.

- Anuncia-se a formação do partido constituinte de Dias Ferreira, o inspirador civil da saldanhada.

26 Proibidas as Conferências do Casino. Porque nelas se expunham e procuram sustentar doutrinas e proposições que atacam a religião e as instituições políticas do Estado ofendendo clara e directamente as leis do reino e o código fundamental da monarquia. Estava prevista uma palestra de Salomão Saraga sobre Os Historiadores Críticos de Jesus. Faltavam realizar uma de Batalha Reis sobre o socialismo e outra de Antero sobre a república. Protestos do grupo organizador em nome da consciência liberal do país contra um acto brutal de violência. Apoio de Alexandre Herculano aos protestos.

· Julho

9 Eleições

22 Abertura das Cortes. Aires Gouveia, histórico, eleito presidente da Câmara dos Deputados. Votam contra apenas os reformistas e os constituintes. Governo entende-se com os regeneradores e entra em conflito com os históricos. Com a queda do ministério de ávila, como observa Lopes d’Oliveira (op. cit., p. 21), caiu o ministério. Assim naufragou a vida nova do partido reformista. Este não se dissolve, mas não fará mais nada.

· Setembro

13 Governo de Fontes. Até 5 de Março de 1877. O presidente acumulou sempre a pasta da guerra. Até 11 de Outubro de 1872 acumulou a fazenda. Em 6 de Setembro de 1875 passou a acumular a marinha. Governo monopartidário regenerador com o apoio parlamentar de avilistas e constituintes. Oposição de históricos e reformistas. Fontes assume a plenitude do fontismo, misturando algo do estilo de Costa Cabral, com a matreirice de Rodrigo da Fonseca. Deixa de ser considerado o fontículo, como até então o alcunhavam. Surgem sucessivas fornadas de pares. Antecipada a abolição total da escravatura em 2 de Fevereiro de 1876, por iniciativa do par Sá da Bandeira.

· Dezembro

27 Congresso Católico no Porto. Reunião do congresso dos escritores e oradores católicos no Porto, presidido pelo conde de Samodães e pelo visconde de Azevedo. Até 5 de Janeiro de 1872.

· Ainda em 1871...

INTERNACIONAL

· Janeiro

18 Proclamação do Império Alemão, o II Reich, em Versalhes

28 Capitulação de Paris.

· 18 de Março Insurreição da Comuna de Paris

· 14 de Abril Constituição Imperial Alemã

· 8 de Setembro Eleições francesas

· Ainda em 1871...

- Dupanloup, Félix (1802-1878) Bispo de Orleães desde 1840. Chefe da Igreja Católica durante o II Império. Retira-se neste ano, protestando contra entrada de Littré.

 

III - ACONTECIMENTOS DO ANO

Comuna de Paris (1871) Insurreição ocorrida em Paris de 18 de Março a 27 de Maio de 1871, depois da retirada das tropas prussianas. Esmagada militarmente pelo governo de Thiers. Houve uma primeira revolta com o mesmo nome em Agosto de 1792, dando origem ao regime dito thermidoriano.

Conferências Democráticas do Casino (1871) Começam com um discurso de Antero de Quental e realizam-se semanalmente, de 22 de Março a 26 de Junho de 1871. No âmbito das mesmas, Antero de Quental, no dia 27 de Maio, profere a conferência sobre As Causas da Decadência dos Povos Peninsulares. O governo de ávila decreta a respectiva proibição, considerando que nelas se expunham e procuram sustentar doutrinas e proposições que atacam a religião e as instituições políticas do Estado ofendendo clara e directamente as leis do reino e o código fundamental da monarquia. Estava prevista uma palestra de Salomão Saraga sobre Os Historiadores Críticos de Jesus. Faltavam realizar uma de Batalha Reis sobre o socialismo e outra de Antero sobre a república. Protestos do grupo organizador em nome da consciência liberal do país contra um acto brutal de violência. Apoio de Alexandre Herculano aos protestos.

 

IV – BIBLIOGRAFIA

AUTORES

OBRAS

BAKUNINE

Deus e o Estado, 1871

CHEUVRIER, édmond

éléments de Science Politique, Les, 1871,

CORDEIRO, Luciano

Ciência e Consciência, 1871

DARWIN, Charles

Descent (The) of Man and Selection in Relation of Sex,1871

DINIS, Júlio

Os Fidalgos da Casa Mourisca , Porto, Tipografia do Jornal do Porto, 1871

FURTADO, José Braz de Mendonça

Princípios Gerais de Direito Público, 1871

MAINE, Henry Summer

Village Communities in the East and West, 1871

MENGER

Grundsätze der Verkswirtschaftlehre, 1871

ORTIGãO, Ramalho e QUEIRóS, Eça de

As Farpas, I

PLAY, Le

L'Organisations de la Famille , 1871.

QUENTAL, Anteo de

Causas da Decadência dos Povos Peninsulares nos últimos Três Séculos, 1871

RENAN

Réforme (La) Intelectuelle et Morale, 1871; cfr. ed. de Michel Lévy, Albatros, 1982.

SPENCER, Herbert

Specialized Administration , 1871.

TREITSCHKE

Parteien and Faktionen, 1871

TAYLOR, Edward

Primitive Culture, 1871

V - PERSONALIDADES DO ANO

Bismarck, Otto Eduard Leopold von (1815-1898) Conde e depois príncipe de Bismarck. Duque de Lauenburg. Em 1862 é Ministro-Presidente da Prússia. Promove a fundação da Confederação da Alemanha do Norte, em 1 de Junho de 1867, e, depois, a instauração do deutsches Reich, em 18 de Janeiro de 1871. Bismarck, um oficial do exército, fora delegado à dieta de Francoforte, entre 1851 e 1858, exercendo, depois, funções de embaixador em Moscovo, Viena e Paris. Estava consciente de que só um acontecimento bélico, aliado a uma inteligente jogada diplomática, poderia acelerar o processo da unidade alemã. Conforme as suas próprias palavras, a posição da Prússia na Alemanha será decidida, não pelo liberalismo, mas pelo poder (...) as grandes questões do momento já não são decididas através de discursos e decisões por maioria — esse foi o grande engano de 1848-1849 —, mas pelo sangue e pelo ferro. é que a política não é, em si mesma, uma ciência lógica e exacta, mas sim a capacidade de decidir, perante a efemeridade, pela situação que seja menos prejudicial e mais oportuna . Depois de vencer a Dinamarca, na Guerra dos Ducados de 1864, e de obter, em Outubro de 1865, a neutralidade de Napoleão III, logo trata de fazer uma aliança com a Itália, ficando em condições de enfrentar a áustria, o que ocorre em 1866, onde a Prússia consegue vencer e convencer, depois da Batalha de Sadowa, de 3 de Julho de 1866, que leva à Paz de Praga de 23 de Agosto, onde se estabelece o afastamento da áustria dos negócios alemães, com a extinção da Confederação Germânica. A partir de então, Bismarck já governa um vasto território que faz fronteira com a Rússia e a França. O pretexto para a conclusão do edifício da unificação vai ser dado pela França que, exercendo grande influência nos Estados da Alemanha do Sul, vai declarar guerra à Prússia em 19 de Julho de 1870, quando um Hohenzollern apresentou a sua candidatura ao trono espanhol. Depois do exército prussiano ter vencido os franceses em Sedan, no dia 1 de Setembro de 1870, os Estados alemães reticentes, como a Saxónia, o Baden, o Vurtemberga e a Baviera, vão aderindo gradualmente ao projecto de unificação e, em 10 de Dezembro de 1870, já a Dieta alemã decide que a Confederação passaria a Império

Taylor, Edward Burnett (1832-1917) Antropólogo, especialista em análise das religiões. Cunha o termo animismo, a crença em almas individuais, que todas as coisas, incluindo árvores ou montanhas, têm espíritos.

[1861] Anahuac

[1865] Researches into the Early History of Mankind

[1871] Primitive Culture

Littré, Maximilien Paul émile (1801-1881) Discípulo de Comte. Entra para a Academia Francesa em 1871, provocando a demissão de Dupanloup. Deputado e senador. Autor de um dicionário da língua francesa, em 1863-1872. Acaba por ser dissidente do positivismo, quando triunfa a ala dos ortodoxos, liderada por Lafitte. Nos últimos momentos de vida converte-se ao catolicismo. Na sua fase positivista considera que o Estado é posterior à sociedade e que a sociedade é que cria o Estado e não o Estado a sociedade, pelo que a sociedade guarda sempre o seu direito de rioridade e a sua prerrogativa criadora, que faz valer nas grandes épocas.

Jevons, William Stanley (1835-1882) Economista inglês. Professor em Manchester e Londres. Faz parte do chamado marginalismo, juntamente com Gossen. Aplica as teorias de Jeremy Bentham pelo uso de métodos matemáticos.

· Lessons in Logic, 1870.

· The Theory of Political Economy, 1871.

· The Principles of Science, 1874.

· Investigations in Currency and Finance, 1884.

· Pure Logic, 1890.

· Principles of Economics, 1905.

Boutmy, émile (1835-1906) Inspirador da Ecole Libre des Sciences Politiques de 1871. Insiste na necessidade do estudo das causas que levaram à guerra, procurando fazer uma história contemporânea, ou uma história do presente, contra os modelos de história antiga. Defende l’empire de l’esprit et le gouvernement par les meilleurs.

· Le Développement de la Constitution et de la Soxcieté Politique en Angleterre

Paris, 1887.

· Essai d’une Psychologie Politique du Peuple Anglais au XIXème Siècle

1901.

 

Bakunine, Mikhail Aleksandrovitch (1814-1876) Anarquista russo que mistura o romantismo e o materialismo. Proclamando a espontaneidade da organização social, defende contudo a necessidade de uma organização revolucionária cooperativa. Oficial de artilharia russo que abandona a carreira das armas para estudar filosofia em Moscovo, onde se inicia no idealismo alemão. Continua os estudos em Berlim, a partir de 1840, e Dresden, desde 1842. Contacta com os hegelianos de esquerda e transforma-se em anarquista.

Do idealismo alemão à anarquia

Passa a Paris, onde conhece Marx e Proudhon. Participa na revolução de 1848 e foge para a Alemanha. Entregue às autoridades russas, é preso, mas evade-se da Sibéria em 1861. Instala-se em Nápoles em 1868. Adere à I Internacional. Entra em conflito com Marx no Congresso de Haia de 1872.

Prisão e desterro

Preso em 1849, por implicação na revolta de Dresden e foi extraditado para a Rússia. Depois de, no cárcere, ter escrito a Confissão, foi desterrado para a Sibéria, donde, aliás, acaba por fugir em 1861. De novo no exílio, funda em 1864 a Aliança Social-Democrata Internacional. A I Internacional, criada em 1868, vai expulsá-lo em 1872,

Eslavismo

Bakunine não deixava de assumir o eslavismo. Num congresso eslavo realizado em Praga chegou a declarar: sinto bater em mim um coração eslavo de tal maneira que comecei quase por esquecer todas as simpatias democráticas que me ligavam à Europa Ocidental. Assim, em Dezembro de 1848, publica em Leipzig um Apelo aos Eslavos onde propõe uma federação dos eslavos dentro de uma federação geral das repúblicas europeias. Refira-se que, a este apelo, respondeu Engels, em 15 e 16 de Fevereiro de 1849, na revista Neue Rheinische Zeitung, com um artigo entitulado Paneslavismo Democrático, onde , marcado por uma clara eslavofobia, negava o direito dos povos eslavos a uma existência autónoma e desconfiava do próprio futuro de tais gentes.

Abolição do Estado

Assume um programa de abolição do Estado, propondo o triunfo da igualdade económica e social. Defende a ideia de sociedade natural contra a política, entendendo aquela como uma sociedade espontânea. O Estado é entendido como um imenso cemitério onde se sacrificam, morrem e enterram todas as manifestações da vida individual e local, todos os interesses das partes cujo conjunto constitui a sociedade. Quem diz Estado, diz necessariamente dominação e, por conseguinte, escravatura; um Estado sem escravatura, declarada ou disfarçada,é inconcebível, eis porque somos inimigos do Estado". Para Bakunine o estatismo é "todo o sistema que consiste em governar a sociedade de cima para baixo em nome de um pretendido direito teológico ou metafísico, divino ou cientifico", enquanto a anarquia é "a organização livre e autónoma de todas as unidades ou partes separadas que compõem as comunas e a sua livre federação, fundada de baixo para cima, não sobre a injunção de qualquer autoridade, mesmo que eleita, ou que sobre as formulações de uma sábia teoria, seja ela qual for, mas em consequência do desenvolvimento natural das necessidades de todas as espécies que a própria vida gera".

Propõe a eliminação do direito jurídico pela instauração de um direito humano, o único verdadeiro direito que é o respeito da dignidade pessoal universalmente reflectida.

185.. Confissão a Nicolau I, Obra escrita no cárcere na década de cinquenta do século XIX.

1871 O Império Knuto-germânico e o Socialismo Internacional

1871 Deus e o Estado

1871 A Comuna de Paris e a Noção de Estado

1873 Gosudarstvennost’i Anarchija (Estatismo e Anarquia)

Trad. fr. étatisme et Anarchie, Paris, éditions Champ Libre, 1976

VI - LIVROS DO ANO

Farpas (As), 1871 Fascículos periódicos que começam a ser emitidos em Maio de 1871, ditos Chronica Mensal da Política, das Letras e dos Costumes, da autoria conjunta de Ramalho Ortigão e Eça de Queirós, até Novembro de 1872, quando este último é nomeado cônsul em Havana. Ramalho continua o labor até 1882. Os 11 volumes das crónicas voltaram a ser publicados de 1887 a 1890 e a parte escrita por Eça foi editada em 1890 sob o título Uma Campanha Alegre. Ramalho acrescenta ao conjunto umas últimas Farpas, de 1911 a 1915. Há uma nova edição integral editada entre 1944 e 1949, com um estudo de Augusto de Castro, a que se acrescentaram as Farpas Esquecidas, em dois volumes, em 1946-1947.

Causas da Decadência dos Povos Peninsulares nos últimos Três Séculos, 1871 No discurso de 27 de Maio de 1871, integrado nas Conferências Democráticas do Casino Lisbonense, Causas da Decadência dos Povos Peninsulares nos últimos Três Séculos, falava com nostalgia do tempo medieval, dado que neste o instinto político de descentralização e federalismo patenteia-se na multiplicidade de reinos e condados soberanos, em que se divide a Península, como um protesto e uma vitória dos interesses e energias locais, contra a unidade uniforme, esmagadora e artificial, acrescentando que esse espírito não é só independente: é, quanto a época o comportava, singularmente democrático. Terminava, propondo: oponhamos à monarquia centralizada, uniforme e impotente, a federação republicana de todos os grupos autonómicos, de todas as vontades soberanas, alargando e renovando a vida municipal, dando-lhe um carácter radicalmente democrático, porque só ela é a base e o instrumento natural de todas as reformas práticas, populares, niveladoras.

 

 

VII - FALECIMENTOS E NASCIMENTOS

FALECIMENTOS

NASCIMENTOS

AGUIAR, Joaquim António de (1792-1871)

DINIS, Júlio (1839-1871)

JOAQUIM Guilherme Gomes Coelho (1839-1871)

LEROUX, Pierre 1797-1871

BORGES, António França (1871-1915)

BRAGA, Alexandre (1871-1921)

COSTA, AFONSO Augusto da (1871-1937)

FERRERO, Guglielmo (1871-1942)

LIEBKNECHT, Karl (1871-1919)

LUXEMBURG, Rosa (1871-1919)

MELO, Fontes Pereira de- Governo de (1871-1876)

MONTENEGRO, Artur P. de M. (1871-1941)

SILVA, Alfredo da (1871-1942)

STURZO, Luigi (1871-1959)

VALéRY, Paul Ambroise (1871-1945)


Image
© José Adelino Maltez. Todos os direitos reservados. Cópias autorizadas, desde que indicada a proveniência: Página profissional de José Adelino Maltez ( http://maltez.info). Última revisão em: 01-05-2009 © José Adelino Maltez. Todos os direitos reservados. Cópias autorizadas, desde que indicada a proveniência: Página profissional de José Adelino Maltez ( http://maltez.info). Última revisão em: 01-05-2009