Respublica     Repertório Português de Ciência Política         Edição electrónica 2004

||Home

ANO:1873


SUMÁRIO:
Destaques Cronologia Acontecimentos Bibliografia Personalidades Livros do Ano Falecimentos e Nascimentos

I – DESTAQUES

PORTUGALMUNDO

Política

· Absolvidos os implicados na pavorosa (Fevereiro)

·

·

· Em Espanha, é proclamada a 1ª República (Fevereiro)

·

·

Ideias

· Criada a Associação dos Trabalhadores da Região Portuguesa, pela fusão da Fraternidade Operária e da Associação Protectora do Trabalho Nacional.

·

·

·

 

II – CRONOLOGIA

NACIONAL

· Janeiro

1 Surge um novo órgão do partido histórico O País, em lugar da anterior Gazeta do Povo

15 Resposta ao discurso da Coroa. José Luciano destaca-se na crítica ao governo de Fontes

26 Morte de D. Amélia Augusta, viúva de D. Pedro IV

- Serpa Pimentel, ministro da fazenda, apresenta propostas financeiras.

· Fevereiro

- Absolvidos os implicados na pavorosa

- José Baptista de Andrade é nomeado governador de Angola. Está em causa a questão dos Dembos.

· Ainda em 1973...

- Videira, José Carrilho, funda, neste ano, o Rebate. Republicano, proprietário da Nova Livraria Internacional da Rua do Arsenal, da Biblioteca Republicana Democrática e da Revista de Estudos Livres, colaborador de Teixeira Bastos e Teófilo Braga. Com Teixeira Bastos, edita um Catecismo Republicano para Uso do Povo.

INTERNACIONAL

· 12 de Fevereiro Proclamada a República em Espanha. Amadeu de Sabóia refugia-se em Portugal, onde se procede à discussão sobre o reconhecimento do novo regime.

· Maio Leis bismarckianas da Kulturkampf tentam tornar os clérigos dependentes do Estado.

· Ainda em 1873...

III - ACONTECIMENTOS DO ANO

I República (1873-1874) Em 11 de Fevereiro de 1873 era proclamada a República, em Espanha, sendo eleito logo no dia 11 como presidente Estanislao Figueras. No dia 1 de Junho as Cortes Constituição aprovavam um projecto de república federal e no dia 11 era eleito F. Pi y Margall que logo se demitia no seguinte dia 18, ao mesmo tempo que explodia a revolta cantonalista, esmagada pelo novo presidente Nicolas Salmerón, a que sucedeu no dia 6 de Setembro Emilio Castelar que entra em ditadura.

 

IV – BIBLIOGRAFIA

AUTORES

OBRAS

BAGEHOT

Physics and Politics

BAKUNINE

Gosudarstvennost’i Anarchija (Estatismo e Anarquia) Trad. fr. étatisme et Anarchie, Paris, éditions Champ Libre, 1976

GARCIA, José Elias

Democracia, 1873

HERCULANO, Alexandre

Opúsculos, 1873-1908

KETTELER

Fundamentos de uma Concepção Cristã do Estado. · Entwurf zu einem politischen Programm fur die Khatoliken im Deutschen Reiche Esboço dum programa político para os católicos no Reich alemão, 1873.

MARTINS, Oliveira

Portugal e o Socialismo. Exame Constitucional da Sociedade Portuguesa e a sua Reorganização pelo Socialismo Lisboa, Livraria Sousa Neves, 1873. (A obra está dividida em três livros: I - O direito público na civilização moderna; II - O princípio federativo na história; III - A economia social.)

MILL, John Stuart

Autobiography, 1873

NIETZSCHE

Unzeitgemasse Betrachtungen, 1873-1876.

PEARSON

Physics and Politics

STEPHEN, James Fritzames

Liberty, Equality and Fraternity, 1873

TAINE

Histoire de la Littérature Anglaise 4 vols. 1863-1864, 1873

VILHENA, Júlio Marques de

Raças (As) Históricas da Península Ibérica e a sua Influência no Direito Português, 1873

V - PERSONALIDADES DO ANO

Vilhena, Júlio Marques de (1846-1928). Deputado regenerador em 1875-1878; 1879; 1880-1881; 1882-1884 e nas sessões seguintes. Par do reino desde 1890. Ministro da marinha e ultramar com Rodrigues Sampaio (de 25 de Março a 14 de Novembro de 1881). Ministro da justiça com Fontes (de 14 de Novembro de 1881 a 24 de Outubro de 1883). Ministro da marinha e do ultramar, de 5 de Abril a 14 de Outubro de 1890, no governo de António Serpa. Ministro da marinha e do ultramar com João Crisóstomo, de 25 de Maio de 1891 a 17 de Janeiro de 1892. Governador do Banco de Portugal de 1895 a 1907. Chefe do partido regenerador em 1908. Leva à demissão o governo de Ferreira do Amaral. Aconselha D. Manuel II a ir a casa de José Luciano em 27 de Agosto de 1909. Segundo Alpoim, foi um mau dirigente político de colectividades partidárias pela feição individualista, muito crítica e melindrosa, muito característica e especial do seu alto espírito. Faleceu em Lisboa em 27 de Dezembro de 1928.

· As Raças Históricas da Península Ibérica e a Sua Influência no Direito Português

1873.

· Antes da República. Notas Autobiográficas

I (1874-1907), Coimbra, França e Arménio, 1916. II (1908-1910), Coimbra, França & Arménio, 1916;

· Suplemento. Resposta a um Livro Póstumo

Coimbra, França & Arménio, 1918; com um suplemento de 1918.

· D. Pedro V e o seu Reinado

Lisboa, 1921.

Lilienfeld, Paul von (1828-1903) Russo. Um dos teóricos do organicismo. Considera o Estado como organismo real (realer Organismus), como a mais alta classe do organismo vivo. O governo é o cérebro do conjunto social, assumindo-se como o supremo representante da consciência da sociedade. Considera que o desenvolvimento da autoridade central representa um sintoma da evolução. Salienta que o Estado está sujeito à lei da decadência, podendo padecer de algumas doenças, nomedamente do parasitismo. Salienta, em 1896: para que um organismo social funcione regularmente, não basta que tenha à sua frente um governo, é necessário que a vida da família, indústria, comércio, propriedade, relações jurídicas, etc. Estejam igualmente penetrados do mesmo princípio, porque só assim se prestaraão ao regime disciplinar do organismo cemtral, e só assim este poderá efectuar, por actos reflexos, directos ou indirectos, a sua acção excitadora ou depressiva.

· Die Menschliche Gesellschaft als Realer Organismus

de 1873.

· Gedanken uber die soziale Wissenschaft der Zukunft

1873-1881.

· A Patologia Social

1896.

Margall, Francisco Pi y (1824-1901) Natural de Barcelona, doutor em direito, depois de ser editor das obras de Juan Mariana, publicou em 1854 La Reacción y la Revolución, onde foi precursor de muitas das teses federalistas de Proudhon. Exilado em Paris desde 1866, foi eleito, em 1869, deputado às Constituintes, onde emerge como o principal teórico do republicanismo federativo. Membro do governo republicano, torna-se presidente do executivo em 1873. Nesse curto período tem de enfrentar não só o movimento cantonalista como a crise de Cuba, defendendo a aplicação do federalismo a esse território das Antilhas. A revolução cantonalista desencadeia-se em 12 de Julho de 1873 em Cartagena. No dia 17 as Cortes não aprovam o projecto federalista de Margall que é substituído por Salmmerón, defensor do republicanismo unitário, mas, em resposta, há numeorsas cidades que se declaram independentes em nome do cantonalismo. Funda o Partido Republicano Democrático Federal, como dissidência do Partido Democrático. Propunha a república como uma federação de Estados Soberanos, com a separação da Igreja e do Estado e ampla autonomia para os municípios. Em 1880 passou a designar-se Partido Republicano Federal Pactista. Regionalismo em Espanha

VI - LIVROS DO ANO

VII - FALECIMENTOS E NASCIMENTOS

FALECIMENTOS

NASCIMENTOS

D'AZEGLIO, Luigi Taparelli (1793-1873)

AGASSIZ, Jean Louis Rodolphe (1807-1873)

BRITO, Joaquim Maria Rodrigues de (1822-1873)

CAMPOS, Francisco António de (1780-1873)

CASTRO, José da Gama e (1795-1873)

NAPOLEãO III (1808-1873)

SALEMA, João de Sande Magalhães Mexia (1812-1873)

STIRNER, Max (1806-1873)

 

CâMARA MELO CABRAL, Filomeno da (1873-1934)

CARREL, Alexis (1873-1944)

MOORE, George Edward (1873-1958)

NETO, António Lino (n. 1873)

PANNEKOEK, Anton (1873-1960)

PéGUY, Charles (1873-1914)

RAKOVSKI, Khristian (1873-1941)

SANGNIER, Marc (1873-1950)


Image
© José Adelino Maltez. Todos os direitos reservados. Cópias autorizadas, desde que indicada a proveniência: Página profissional de José Adelino Maltez ( http://maltez.info). Última revisão em: 01-05-2009 © José Adelino Maltez. Todos os direitos reservados. Cópias autorizadas, desde que indicada a proveniência: Página profissional de José Adelino Maltez ( http://maltez.info). Última revisão em: 01-05-2009