Respublica     Repertório Português de Ciência Política         Edição electrónica 2004

||Home

ANO:1886


SUMÁRIO:
Destaques Cronologia Acontecimentos Bibliografia Personalidades Livros do Ano Falecimentos e Nascimentos

I – DESTAQUES

PORTUGALMUNDO

Política

· Governo de José Luciano (Fevereiro)

· Criação de uma Direcção-geral de Agricultura (Julho)

·

· Greve de Chicago (Maio)

· Começo da partilha de áfrica

·

Ideias

·

·

· Criação dos Annales de l’école Libre des Sciences Politiques

· Entre as revistas, destaque-se a criação, em Columbia, no ano de 1886, da Political Science Quarterly, que, pela primeira vez, fala numa political science profession

 

II – CRONOLOGIA

NACIONAL

· Fevereiro

- Governo de Fontes acaba por demitir-se, invocando uma polémica entre Guimarães e Braga. Aquela cidade queria ser integrada no distrito do Porto. O rei recusara a Fontes o adiamento da sessão parlamentar, a fim do presidente do ministério poder resolver o incidente com as Cortes encerradas. Mas havia também grande descontentamento popular pela restauração do velho imposto do real d’água

20 Governo de José Luciano. O próprio Fontes indicou José Luciano a D. Luís. Havia uma maioria regeneradora nas Côrtes.

- Chegou a ser aventada a hipótese da criação de um ministério da agricultura, para cuja titularidade seria chamado Oliveira Martins. Gorada a hipótese, face à recusa de Emídio Navarro, ministro das obras públicas, de cujos serviços sairia o novo ministério. Martins passa a opor-se a Navarro e Mariano, a partir do jornal A Província. Em 1877 era eleito deputado progressista. O ministro mais próximo de D. Luís era Barros Gomes, de quem o rei dizia, o meu dilecto ministro dos estrangeiros. Mariano e Emídio tinham sido violentos críticos do monarqca que, no entanto, não pôs obstáculo à respectiva nomeação, ao contrário do que fizera em 1879, relativamente a Mariano.

22 Apresentação parlamentar do novo governo. Oposição regeneradora, apesar de frontal, não apresenta nenhuma moção de desconfiança. O governo rejeita governar com o orçamento anterior. Latino Coelho, na Câmara dos pares assume-se como republicano.

· Julho

28 Criação de uma Direcção-geral de Agricultura e de agrónomos distritiais

· Agosto

5 Barros Gomes assume interinamente a pasta da marinha e do ultramar até 27 de Setembro.

· Outubro

6 Até ao dia 19 do mesmo mês, José Luciano assume interinamente a pasta da justiça, substituindo Veiga Beirão

· Dezembro

9 Instituição das circunscrições regionais agrícolas e do Conselho Superior de Agricultura

30 R eforma dos institutos industriais e comerciais de Lisboa e do Porto.

· Ainda em 1886...

INTERNACIONAL

· 1 de Maio Greve de Chicago pelo horário das 8 horas

· Ainda em 1886...

- Começa a Partilha de áfrica (1885-1890), na sequência da Conferência de Berlim.

- Em Inglaterra, Governo de Salisbury (1895-1902)

- Rosebery (1894-1895)

 

III - ACONTECIMENTOS DO ANO

Aparecimento da Coca Cola Tónico alimentar não alcoólico inventado em 1886 pelo farmacêutico John Pemberton, de Atlanta, pela mistura de folha de coca com noz de cola. A firma lançada pelo inventor da fórmula foi comprada por Asa Candler que altera a fórmula secreta do produto e lança-o como refrigerante, lançando uma intensa campanha de propaganda. No final dos anos vinte a firma passa a ser dirigida por Robert Woodruff que a lança nos mercados externos e transforma a bebida num símbolo da american way of life, muito especialmente depois da Segunda Guerra Mundial. Em Portugal, o produto chega a ser vendido no começo dos anos trinta, sendo Fernando Pessoa o publicitário encarregado de lançar entre nós o primeiro slogan sobre o mesmo: primeiro estranha-se e depois entranha-se. Contudo, os serviços de controlo da qualidade alimentar do salazarismo acabam por proibi-lo, invocando a circunstância de no caso do conteúdo corresponder à marca, trata-se de droga; se não, é publicidade enganosa. Apesar das pressões norte-americanas, o produto só foi autorizado a circular em Portugal Continental depois de 1974.

IV – BIBLIOGRAFIA

AUTORES

OBRAS

ARRIAGA, José de

História da Revolução Portuguesa de 1820, 4 vols., Porto, Livraria Portuense Lopes & Cª, 1886-1889

BRUNO, José Pereira Sampaio

Geração Nova, 1886

DRUMONT, édouard

La France Juive, 1886 (cfr. Paris, Flammarion, 1985).

FERRETI

Institutiones Philosophiae Moralis, 1886

GREEN, Thomas Hill

Lectures on the Principles of Political Obligation, 1886

NIETZSCHE

Jeinseits von Gut und Böse, 1886; (Cfr. trad. port. Para Além do Bem e do Mal, Lisboa, Guimarães Editores, s.d..)

QUENTAL, Antero de

Filosofia da Natureza dos Naturalistas, 1886

SORIANO, Luz

História da Guerra civil e do estabelecimento ddo governo parlamentar em Portugal, 19 tomos, Lisboa, 1886-1890

TARDE, Gabriel

Crimonologie Comparée, 1886

V - PERSONALIDADES DO ANO

Tarde, Gabriel de (1843-1904) Sociólogo francês. Começa como magistrado de província, destacando-se como especialista em estatísticas criminais, sendo chamado a Paris, para montar em 1894 o gabinete estatístico do ministério da justiça. Professor de filosofia moderna no Collège de France desde 1900. Como criminalista critica as teses de Cesare Lombroso, considerando que as causas do crime são, sobretudo, de ordem social. Considera que o progresso histórico resulta de um conflito entre os inventivos e os conservadores, apontando tês fase do desenvolvimento social: a repetição, a oposição e a adaptação.

· La Criminalité Comparée,1886

· Les Lois de l'Imitation,1890

· La Logique Sociale,1895

· L’Opposition Universelle,1897

· Les Transformations de Pouvoir, 1899

· L'Opinion et la Foule, 1901

Soriano, Simão José da Luz (1802-1891) Participa nas guerras liberais. Exilado desde 1828, passou à Terceira em 1829. Redactor de Crónica da Terceira, em 1830. Mindeleiro. Colaborador de Sá da Bandeira. Deputado por Angola em 1853. Memorialista e historiador da guerra civil.

· História do Cerco do Porto, 1846.

· Utopias desmascaradas do systema liberal em Portugal ou Epitome do que entre nós tem sido este sistema, Lisboa, 1858.

· Revelações da minha vida e memórias de alguns factos e homens meus contemporâneos, Lisboa, 1860 (2ª ed., Porto, 1891).

· História da Guerra civil e do estabelecimento ddo governo parlamentar em Portugal, 19 tomos, Lisboa, 1886-1890.

Claudel, Paul (1868-1955) Poeta e dramaturgo francês. Licenciado em direito. Diplomata, de 1917 a 1935. Cônsul nos Estados Unidos de 1890 a 1894 e na China, de 1894 a 1905, passa também por Praga, pelo Brasil e pela Dinamarca. Embaixador no Japão (1922-1927), nos Estados Unidos (1927 a 1933) e em Bruxelas (1933 a 1935). Converte-se ao catolicismo em 1886. Autor da peça Le Livre de Cristophe Colomb, de 1931.

VI - LIVROS DO ANO

& Gut (Jeinseits von) und Böse , 1886 A obra de Friedrich Nietzsche tem como subtítulo, prelúdio de uma filosofia do futuro. Visa a criação de uma nova tábua de valores superadores da religião judaico-cristã. Considera que acabou o tempo da pequena política e que a Europa tem obrigação de uma grande política, pela dominação universal, através de uma grandiosa empresa de educação e de selecção. Já depois de instalada a ordem prussiana, a ideia de uma Europa una (das eine Europe) vai ser defendida por Friedrich Nietzsche (1844-1900), em Gedanken uber die liber Europaer, fragmentos póstumos, escritos em 1885 e 1887. O mesmo autor em Jenseits Von Gut und Böse (Para Além do Bem e do Mal) de 1886, já expressava a sua veia europeísta, quando criticava a ideia moderna que reúne o absurdo parlamentar com a loucura das nacionalidades, detecta contudo os sinais pelos quais a Europa exprime a sua vontade de ser una. Mas esta Europa una, feita de bons Europeus, não passava de uma raça de futuro ou de uma nova elite feita de super-homens, não através de uma pureza de sangue, como pretendiam os nacionalistas zoológicos, mas sim pela síntese superior das várias culturas, através de uma revolução vinda de cima marcada pela vontade de poder entendida como vontade de verdade. Nos fragmentos de 1885 é bem mais explícito na sua defesa da Europa una, criticando as guerras nacionais: o que me importa é a Europa una. Vejo-a preparar-se lentamente, de uma maneira hesitante. Em todos os espíritos entendidos e profundos deste século, a obra comum da alma consistiu em preparar, calcular e antecipar esta nova síntese: o Europeu do futuro ... Entretanto, ao lado do que desperta e forma nesses espíritos a necessidade de uma unidade nova, ou para já as necessidades novas desta nova unidade é preciso colocar um grande facto económico que esclarece a situação: os pequenos Estados da Europa - entendo por tal todos os nossos Impérios e Estados actuais - tornar-se-ão economicamente insustentáveis a curto prazo. (cfr. trad. port. Para Além do Bem e do Mal, Lisboa, Guimarães Editores, s.d.).

VII - FALECIMENTOS E NASCIMENTOS

FALECIMENTOS

NASCIMENTOS

AKSAKOV, Ivan Sergueyevitch (1823-1886)

LEAL JúNIOR, José da Silva Mendes (1820-1886)

PAIVA, Vicente Ferrer de Neto (1798-1886)

 

 

 

 

ALFONSO XIII (1886-1841)

BBARTH, Karl (1886-1968)

BISSAIA BARRETO Rosa, Fernando Baeta (1886-1974)

BLOCH, Marc (1886-1944)

CORREIA, Padre Joaquim Alves Correia (1886-1951)

CROCE,Benedecto (1886-1952)

CURTO, Amílcar da Silva Ramada (1886-1961)

GARCíA Moriente, Manuel (1886-1942)

GUEDES, Armando Marques (1886-1958)

GUéNON, René (1886-1951)

KIROV, Sergueiv (1886-1934)

KUN, Bela (1886-1937)

MADRIAGA, Salvador de (1886-1978)

SARAIVA, Alberto da Cunha Rocha (1886 - 1946)

SCHUMAN, Robert (1886-1963)

SILVA, Fernando Emygdio da (1886-1972)


Image
© José Adelino Maltez
Todos os direitos reservados.
Cópias autorizadas, desde que indicada a proveniência:
Página profissional de José Adelino Maltez ( http://maltez.info)
Última revisão em: 01-05-2009

© José Adelino Maltez. Todos os direitos reservados. Cópias autorizadas, desde que indicada a proveniência: Página profissional de José Adelino Maltez ( http://maltez.info). Última revisão em: 01-05-2009 © José Adelino Maltez. Todos os direitos reservados. Cópias autorizadas, desde que indicada a proveniência: Página profissional de José Adelino Maltez ( http://maltez.info). Última revisão em: 01-05-2009