/span>
  || Governos || Grupos || Eleições || Regimes || Anuário || Biografias ||

  Ciclos Políticos 1910-1915


 
 

Jan.

Fev.

Mar.

Abr.

Mai.

Jun.

Jul.

Ag.

Set.

Out.

Nov.

Dez.

 

1910

 

M

 

1910

Dos revolucionários da Rotunda à Ditadura dos provisórios
pormenores em anuário CEPP)
 

Proclamação da República e constituição do governo provisório. Machado Santos na oposição, apoiado pelos republicanos históricos do Porto (5 de Outubro)

Governo nº 56 (5 de Outubro) Governo Provisório (334 dias). Presidência de Teófilo Braga.

Reposta em vigor legislação pombalista contra os jesuítas (8 de Outubro)

Conflito entre os provisórios e os membros do directório do Partido Republicano (12 de Outubro)

Suprimido o ensino da doutrina cristã nas escolas (22 de Outubro)

Lei do Divórcio (3 de Novembro)

Comício no Rossio contra as greves (16 de Novembro)

Jovens turcos começam a depuração política no Exército (Dezembro)

O regime da I Rep ública

 

Jan.

Fev.

Mar.

Abr.

Mai.

Jun.

Jul.

Ag.

Set.

Out.

Nov.

Dez.

 

1911

G Eleições de 28 de Maio de 1911

     
 

Governo Provisório (334 dias)

João Chagas (70 dias)

 

1911

Da Constituição ao Partido Democrático

Da lei de ferro da oligarquia à lei da separação

pormenores em anuário CEPP)

Greve dos ferroviários (Janeiro)

Manifestação dos caixeiros (11 de Janeiro)

Parada dos batalhões de voluntários da República contra as greves (15 de Janeiro)

Decreto sobre o registo civil obrigatório (18 de Fevereiro)

Divulgada a pastoral colectiva dos bispos contra a política anticlerical do governo (26 de Fevereiro)

Decreto eleitoral (14 de Março)

Criação das universidades do Porto e de Lisboa (22 de Março)

Lei da Separação da Igreja e do Estado (20 de Abril)

Criação da Guarda Nacional Republicana (3 de Maio)

Criação da nova moeda, o escudo (22 de Maio)

Decreto sobre a reorganização do Exército (25 de Maio)

Luz de Almeida e cinco mil carbonários partem para a catequetização do Norte (Maio)

Surge a Aliança Nacional com Machado Santos, Basílio Teles e Sampaio Bruno (Maio)

Criados pela Carbonária os Voluntários da República (Maio)

Eleição nº 46 (28 de Maio) Eleição da Assembleia Constituinte

Primeira reunião da Assembleia Nacional Constituinte. Sucessivos confrontos entre federalistas e unitários, bem como entre presidencialistas e parlamentaristas e entre unicameralistas contra bicameralistas (19 de Junho)

Manifestação em São Bento de cerco à Constituinte em defesa de um sistema unicameral (2 de Agosto)

Publicada a Constituição (21 de Agosto)

Surge o ministério das colónias (23 de Agosto)

Eleição de Manuel Arriaga  (24 de Agosto) para presidente, com o apoio do bloco de camachistas e almeidistas (121 votos), contra 86 afonsistas

Manuel de Arriaga vence Bernardino Machado na eleição para presidente. É apoiado pelo bloco de almeidistas e camachistas (121) contra os afonsistas (86). Os deputados elegem também um Senado (24 de Agosto)

Afonso Costa cria o Grupo Parlamentar Democrático (29 de Agosto)

Grupos políticos

Governo nº 57 (3 de Setembro) João Chagas (70 dias). Gabinete extrapartidário, mas dominado por camachistas

Insurreição monárquica do Palácio do Cristal no Porto (29 de Setembro)

António José de Almeida é sovado (6 de Novembro)

Primeira incursão monárquica de Paiva Couceiro (1 a 15 de Outubro)

Demitido Pimenta de Castro (8 de Outubro)

Congresso do PRP no Coliseu, com as cisões de camachistas e almeidistas, face à vitória dos afonsistas (27 a 30 de Outubro)

Governo nº 58 (12 de Novembro) Augusto de Vasconcelos (216 dias). 3 democráticos, 3 camachistas e 1 almeidista.

Manifestação de carbonários contra o governo (24 de Novembro)

Tumultos promovidos pela Federação Radical por causa das curandeiras chinesas (25 de Novembro)

Desterro do Cardeal de Lisboa (28 de Dezembro)

 

Jan.

Fev.

Mar.

Abr.

Mai.

Jun.

Jul.

Ag.

Set.

Out.

Nov.

Dez.

 

1912

 

M

 
 

Gov. Augusto de Vasconcelos (216 dias)

Três democráticos e quatro do bloco

Gov. Duarte Leite (207 dias)

Três democráticos

Dois unionistas e dois evolucionistas

1912

Greves, incursões monárquicas e fragmentação do partido-sistema

Em busca de uma Índia nova

Do Titanic ao taylorismo

pormenores em anuário CEPP)

Depois de manifestação de católicos em Lisboa, segue-se grande comício anticlerical (14 de Janeiro)

Greves e estado de sítio em Lisboa (de 30 de Janeiro a 12 de Fevereiro)

Governo decide fazer limpeza de bombistas e fecha a Casa Sindical, prendendo cerca de 700 pessoas (31 de Janeiro)

António José de Almeida anuncia a formação do partido evolucionista (24 de Fevereiro)

Brito Camacho anuncia a formação do partido unionista (26 de Fevereiro)

Afonso Costa que estava na Suíça desde Dezembro regressa a Lisboa (18 de Março)

Congresso dos democráticos em Braga (26 de Abril)

Greve da Carris (29 de Maio a 24 de Junho)

Governo nº 59  (16 de Junho) Duarte Leite (207 dias). Governo de concentração, com 3 democráticos, 2 unionistas e 2 evolucionistas.

Agitações rurais no Alentejo promovidas por Carlos Rates.

Segunda incursão monárquica de Paiva Couceiro, agora com o apoio dos legitimistas (3 de Julho)

Derrota dos monárquicos em Chaves (8 de Julho)

Reabre em Coimbra o CADC (8 de Dezembro)

 

Jan.

Fev.

Mar.

Abr.

Mai.

Jun.

Jul.

Ag.

Set.

Out.

Nov.

Dez.

 

1913

M

M

G

 
 

Governo de Afonso Costa (396 dias)

Eleições para as vagas de 37 deputados em 16 de Novembro

1913

Governo de Afonso Costa e criação da formiga branca, contra radicais e monárquicos

O congreganismo anti-congreganista

A recepção de Maurras

O sentimento trágico da vida

pormenores em anuário CEPP)

Governo nº 60  (9 de Janeiro)  Afonso Costa (396 dias). Gabinete monopartidário. Integra os independentes agrupados de António Maria da Silva

Surge a revista anarquista Terra Livre de Pinto Quartin.

Protesto colectivo dos bispos contra a lei da separação (15 de Março)

Criada a União Operária Nacional em 17 de Março.

Revolta promovida pela Federação Radical Republicana (27 de Abril)

Criação da formiga branca (Maio)

Bombas em Lisboa (10 de Junho)

Nova lei eleitoral (3 de Julho)

Episcopado reunido em Santarém lança apelo para a criação de um partido católico (10 de Julho)

Radicais republicanos tentam assaltar quartéis em Lisboa (20 de Julho). Seguem-se vários atentados bombistas.

Congresso Internacional do Livre Pensamento em Lisboa (5 de Outubro)

Primeira outubrada, revolta monárquica (21 de Outubro)

Eleições para as vagas de 37 deputados em 16 de Novembro. 68 democráticos, 41 evolucionistas, 36 unionistas, 6 independentes e 2 socialistas.

Democráticos vencem as eleições municipais de 30-11.

 

Jan.

Fev.

Mar.

Abr.

Mai.

Jun.

Jul.

Ag.

Set.

Out.

Nov.

Dez.

1914

 

M

 
 

Gov. de Bernardino Machado

Azevedo  Coutinho

1914

Da frustrada bernardização à Guerra

Integralismo e últimas Farpas

pormenores em anuário CEPP)

Greve dos ferroviários (15 a 23 de Janeiro)

Manifestação anti-afonsista (26 de Janeiro)

Governo nº 61 (9 de Fevereiro) Bernardino Machado (306 dias)

Criada a União Operária Nacional em Tomar (14 a 17 de Março)

Surge a revista A Nação Portuguesa do Integralismo Lusitano (8 de Abril)

Atentado de Serajevo (28 de Junho)

Partem para África as primeiras expedições militares (11 de Setembro)

Assaltos a armazéns de víveres no Porto (18 de Setembro)

Segunda Outubrada (20 de Outubro)

Congresso autoriza a entrada de Portugal na Guerra (23 de Novembro)

Governo nº 62 (12 de Dezembro)  Vítor Hugo de A zevedo  Coutinho (44 dias)

Combate de Naulila, com derrota dos portugueses (18 de Dezembro)

 

Jan.

Fev.

Mar.

Abr.

Mai.

Jun.

Jul.

Ag.

Set.

Out.

Nov.

Dez.

 

1915

 

M14 de Maio

G Eleições de 13 de Junho

 
 

Pimenta de Castro

João Chagas/J. Castro

   

1915

Movimento das espadas, pimentismo e regresso ao afonsismo

Da arte de ser português ao valor da raça

Grupos políticos

  Pormenores em anuário CEPP

Nova lei eleitoral (11 de Janeiro)

Movimento das Espadas (22 de Janeiro)

Governo nº 63 (25 de Janeiro) Pimenta de Castro (109 dias)

Pimenta de Castro ministro de todas as pastas (25 de Janeiro)

Constituído o governo de Pimenta de Castro (28 de Janeiro)

Atentado no Porto contra Afonso Costa (21 de Fevereiro)

Nova lei eleitoral (24 de Fevereiro)

Assassinado o deputado Henrique Cardoso (28 de Fevereiro)

Congresso paralelo da Mitra e Gaita, promovido pelos democráticos em Santo Antão do Tojal (4 de Março)

Congresso dos democráticos no Politeama (28 e 29 de Março)

Congresso dos evolucionistas (10 e 11 de Abril)

Amnistia (20 de Abril)

Congresso dos unionistas que retiram apoio ao governo (2 e 3 de Maio)

Movimento do 14 de Maio derruba o pimentismo. Assume o poder uma junta revolucionária. Nomeado João Chagas para presidir ao governo (15 de Maio)

 

Governo nº 64  (15 de Maio) João Chagas/José de Castro

Atentado contra João Chagas no Entroncamento (16 de Maio)

José de Castro substitui João Chagas na chefia do governo, onde entram Magalhães Lima e Teixeira de Queirós naquilo que alguns qualificam como segunda implantação da República (17 de Maio)

Reabre o Congresso (27 de Maio)

Arriaga demite-se, sendo substituído por Teófilo Braga (29 de Maio). Segue-se a eleição de Bernardino Machado em 6 de Setembro.

Nova lei eleitoral (2 de Junho)

Eleição nº 47  (13 de Junho) Vitória dos democráticos (106 deputados). 26 evolucionistas, 15 unionistas, 2 socialistas e 1 católico

Lei de saneamento dos funcionários (16 de Junho)

Reabre o novo Congresso (21 de Junho)

Afonso Costa fractura o crânio. Continua o governo de José de Castro (4 de Julho)

Movimento revolucionário abortado. Preso Lomelino de Freitas (9 de Julho)

Tumultos em Lamego (20 de Julho)

Eleição de Bernardino Machado como presidente da república. Toma posse a 5 de Outubro (6 de Agosto)

Tentativa revolucionária monárquica no Norte (27 de Agosto)

             

Regressar ao index

  1820-1825 1826-1832 1833-1836 1837-1841 1842-1851
1851-1865 1865-1867 1868-1876

1877-1879

1880-1886

1887-1900
1901-1906 1907-1910 1910-1915 1916-1918 1919-1926 1927-1931
1932-1944 1945-1950 1951-1957 1958-1960 1961-1973 1974-


Projecto CRiPE- Centro de Estudos em Relações Internacionais, Ciência Política e Estratégia. © José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: 31-03-2009