/span>
  || Governos || Grupos || Eleições || Regimes || Anuário || Biografias ||  

  Ciclos Políticos 1919-1926


 
 

Jan.

Fev.

Mar.

Abr.

Mai.

Jun.

Jul.

Ag.

Set.

Out.

Nov.

Dez.

 

1919

   

G

   

D. Leite

José Relvas

Domingos Pereira

Sá Cardoso

  Factos  Ideias Grupos políticos Turbulências Governos Eleições  Regimes

1919

Da Traulitânia e Monsanto ao regresso da República Velha

Versalhes e a nova Alemanha

Pan-africanismo, democracia cristã, fascismo e Internacional Comunista

Dos maximalistas ao cometa Halley

pormenores em anuário CEPP)

G. Tamagnini

Movimentos revolucionários na Covilhã e em Lisboa (10 de Janeiro)

Revolta de Santarém (12 de Janeiro)

Começa conferência de paz de Versalhes (18 de Janeiro)

Monarquia do Norte (19 de Janeiro)

  Governo nº 70 (19 de Janeiro) José Relvas (62 dias). O chamado ministério da desforrra, com regresso ao pré-sidonismo.

Revolta monárquica de Monsanto (22 a 24 de Janeiro)

Republicanos conquistam Estarreja (11 de Fevereiro)

Fim da Traulitânia no Porto (13 de Fevereiro)

Queda da monarquia do Norte em Vila Real (17 de Fevereiro)

Dissolução do parlamento sidonista (19 de Fevereiro)

Substituição dos governadores civis, com os democráticos a assaltarem o poder local (a partir de 23 de Fevereiro)

Sai o primeiro número de A Batalha (23 de Fevereiro)

Nova lei eleitoral (1 de Março)

  Governo nº 71 (30 de Março) Domingos Pereira (92 dias)

Geves e incêndios criminosos (Maio)

Apelo para a criação de um partido conservador (13 de Abril)

Eleição nº 49 (11 de Maio). Vitória dos democráticos com 96 deputados. 38 evolucionistas. 17 unionistas. 8 socialistas. 1 católico.

Dissolução da Faculdade de Letras de Coimbra (22 de Maio)

Reabertura do Congresso (3 de Julho)

  Grupos políticos

Regime da nova rep ública velha

  Governo nº 72 (29 de Junho) Sá Cardoso (205 dias). Domínio da ala moderada dos democráticos.

Greves e atentados bombistas

Atentado contra Alfredo da Silva (21 de Julho)

António José de Almeida eleito PR (6 de Agosto). Toma posse em 05-10.

Criada a CGT (18 de Setembro).

Surge o Partido Liberal (junção de evolucionistas e unionistas).

Surge o Partido Popular (evolucionistas que não aceitam integrar os liberais).

Cria-se a Federação Maximalista Portuguesa.

Reestruturação do Centro Católico Português.

Integralistas em conflito com D. Manuel II.

Eleição de António José de Almeida como Presidente da República (6 de Agosto)

Criação da CGT (18 de Setembro)

Posse de Almeida e formação do Partido Liberal (5 de Outubro)

Formado o Grupo Parlamentar Popular, uma dissidência dos evolucionistas (8 de Outubro)

Sidonistas afectos a Egas Moniz passam a integrar os liberais (13 de Outubro)

 

Jan.

Fev.

Mar.

Abr.

Mai.

Jun.

Jul.

Ag.

Set.

Out.

Nov.

Dez.

 

1920

             
   

D. Pereira

A. M. Baptista/ R. Preto

AMS

Álvaro de Castro

A. Castro

   
                                 

1920

A instabilidade crescente – Entre greves e atentados, forças vivas e governo da GNR

Os Ensaios de António Sérgio

pormenores em anuário CEPP)

Governo nº 73 de Fernandes Costa não pode tomar posse (15 de Janeiro)

Começa a falar-se de bancarrota 

  Governo nº 74 Retoma G. Sá Cardoso

  Governo nº 75 (21 de Janeiro) Domingos Pereira (47 dias)

Greve geral (20 de Janeiro).

Atentados terroristas e greves.

Álvaro de Castro abandona os democráticos e forma a dissidência dos reconstituintes (7 de Março)

  Governo nº 76 (8 de Março) António Maria Baptista/ Ramos Preto (110 dias).

Greve dos funcionários públicos.

Tumultos de 17 a 19 de Março. Teme-se revolução bolchevique.

Intensa actividade dos dinamitadores

Governo nº 77 (26 de Junho) António Maria da Silva (23 dias). Com democráticos, populares e socialistas.

Assassinado juiz do Tribunal de Defesa Social (4 de Julho)

Greves e revoltas da fome.

Governo nº 78 (Julho) António Granjo (124 dias). Liberais, reconstituintes e 1 democrático.

Greves e actuação da Legião Vermelha.

Revoltas da fome.

Atentado contra juiz

António José de Almeida eleito PR (6 de Agosto)

  Governo nº 79 (20 de Novembro) Álvaro de Castro (10 dias). G. frustrado sem a participa ção de liberais e democráticos

Governo nº 80 Liberato Pinto (30 de Novembro 1920) (92 dias).Democráticos, reconstituintes e populares.

Greves

 

Jan.

Fev.

Mar.

Abr.

Mai.

Jun.

Jul.

Ag.

Set.

Out.

Nov.

Dez.

 

1921

 

MMaio

G

10 Julho

M19 de Outubro

       

Gov. Liberato Pinto

Gov. Bernardino Machado

Gov. Tomés de Barros Queirós

A. Granjo

A. M Coelho

Maia

Pinto

 
                                         

1921

Da falhada alternativa liberal à Noite Sangrenta

Seara Nova e PCP

Entre dois magnicídios...

pormenores em anuário CEPP)

  Governo nº 81 (2 de Março) Bernardino Machado (82 dias)

Fundado o PCP (16 de Março).

Greves.

Sublevação da GNR (21 de Maio).

  Governo nº 82 (23 de Maio) Tomé de Barros Queirós. G. liberal, dominado por ex-unionistas.

Eleição nº 50 Vitória dos liberais, logo seguidos dos democráticos.

Burla do empréstimo de 50 milhões de dólares

Grupos pol íticos

  Governo nº 83 (30 de Agosto) de António Granjo (50 dias). Governo liberal, onde dominam o ex-evolucionistas.

Golpe falhado da GNR (30 de Setembro).

Sai Seara Nova (16 de Outubro).

Revolta outubrista e Noite Sangrenta. Entre a epilepsia e a desordem.

  Governo nº 84 (19 de Outubro) Manuel Maria Coelho (17 dias). O primeiro gabinete outubrista, depois do assassinato de Granjo, Machado Santos e J. Carlos da Maia.

Constantes ameaças de intervenção externa. Explosão de bombas e ataque ao consulado norte-americano.

  Governo nº 85 (5 de Novembro) Maia

Pinto (41 dias). Gabinete semi-outubrista, visando a acalmação. Presidido por um ex-democrático, com populares.

Liberais, democráticos e alvaristas, em 27 de Novembro, assinam acordo quanto à não-colaboração com governos outubristas.

Dissidentes de Domingos Pereira regressam ao partido democrático (13 de Dezembro).

  Governo nº 86 (16 de Dezembro) Cunha Leal (53 dias)

Governo retira-se para Caxias

 

Jan.

Fev.

Mar.

Abr.

Mai.

Jun.

Jul.

Ag.

Set.

Out.

Nov.

Dez.

 

1922

G

29 Jan.

 

M

18 Fevereiro

Gov. C. Leal

Governo de António Maria da Silva (646 dias)

                           

1922

Desarmamento da GNR e governo de António Maria da Silva

Fascismo no poder e criação da URSS

Candonga e neo-riquismo

pormenores em anuário CEPP)

Gov. Cunha Leal

Continuam ameaças de golpe de Estado

Eleição nº 51 Vitória aos democráticos, com 47%. Liberais (21%). Reconstituintes (11%). Grupo de Cunha Leal (8%) (29 de Janeiro)

Grupos políticos

  Governo nº 87 (Fevereiro) António Maria da Silva (646 dias, desde 6 de Fevereiro)

Falha golpe outubrista (18 de Fevereiro)

Reabertura do Congresso (23 de Fevereiro)

Gago Coutinho e Sacadura Cabral concluem travessia aérea do Atlântico Sul (17 de Junho)

António José de Almeida parte para viagem oficial ao Brasil (26 de Agosto)

Regime do pós-outubrismo

 

Jan.

Fev.

Mar.

Abr.

Mai.

Jun.

Jul.

Ag.

Set.

Out.

Nov.

Dez.

 

1923

MAtentados bombistas

M

10 Dez.

   

Governo de António Maria da Silva (646 dias)                                            

G. Machado

(32 dias)

 

1923

O fim da experiência bonza – Nacionalistas, radicais e Homens Livres

Neo-marxismo e geopolítica

Nasce o termo totalitário

pormenores em anuário CEPP)

Liberais e reconstituintes unem-se no Partido Nacionalista (Fevereiro)

Congresso do novo Partido Radical, unindo outubristas e populares (Junho)

Teixeira Gomes é eleito presidente (6 de Agosto)

Primo de Rivera toma o poder em Espanha (13 de Setembro)

I Congresso do PCP, dominado por Carlos Rates (10 a 12 de Novembro)

Governo nº 88 Ginestal Machado (32 dias, desde 15 de Novembro)

Sai a revista Homens Livres, unindo integralistas e seareiros (Dezembro)

Criada a Acção Realista Portuguesa (8 de Dezembro)

Golpe de Estado frustrado de João Manuel de Carvalho (10 de Dezembro)

Álvaro de Castro abandona os nacionalistas e forma a Acção Republicana (Dezembro)

Governo nº 89 (Dezembro, 1923) Álvaro de Castro (203 dias)

 

Jan.

Fev.

Mar.

Abr.

Mai.

Jun.

Jul.

Ag.

Set.

Out.

Nov.

Dez.

 

1924

 

M Revolta 14 de Julho

M Revolta abortadas em 28 de Agosto e 12 de Setembro

 

Governo de Álvaro de Castro

Gov. Rodrigues Gaspar

   

1924

Do governo da Seara Nova aos Canhotos, com golpes radicais e um partido do patronato

Surrealismo e Escola de Frankfurt

pormenores em anuário CEPP)

Revolta dos aviadores da Amadora (Junho)

  Governo nº 90 (Julho) Rodrigues Gaspar (139 dias)

Golpe radical frustrado (13 de Agosto)

Novo golpe radical frustrado (12 de Setembro)

Criada a União dos Interesses Económicos (28 de Setembro)

Governo nº 91 (22 de Novembro) José Domingues dos Santos

(84 dias). Governo canhoto.

 

Jan.

Fev.

Mar.

Abr.

Mai.

Jun.

Jul.

Ag.

Set.

Out.

Nov.

Dez.

 

1925

 

M Revolta de 5 de Março

MRevolta de 18 de Abril

M

G Eleições de 5 de Novembro

 

Gov. J. D. Santos

Gov. Vitorino Guimarães

 

Gov. Domingos Pereira

   

1925

Dos canhotos aos bonzos, em plena ditadura da incompetência

Tudo no Estado, nada fora do Estado

pormenores em anuário CEPP)

Governo nº 92 (15 de Fevereiro) Vitorino Guimarães (136 dias). Ala centrista dos democráticos. Tentativa de revolta de militares monárquicos (5 de Março)

Brito Camacho defende a republicanização da república contra a monarquia e o bolchevismo

Congresso dos nacionalistas integra as últimas facções sidonistas que permaneciam autónomas (7 e 8 de Março)

Revolta de 18 de Abril de 1925

Governo nº 93 (1 de Julho) de A. M. Silva (31 dias)

Revolta de Mendes Cabeçadas (19 de Julho)

Governo nº 94 (1 de Agosto) Domingos Pereira (138 dias)

·Julgamento do 18 de Abril (Setembro)

Eleição nº 52  Democráticos vencem com 53%. Nacionalistas, 23%. (8 de Novembro)

Renúncia de Teixeira Gomes e eleição de Bernardino Machado (10 de Dezembro)

Grupos políticos

Governo nº 95 (17 de Dezembro de 1925) António Maria da Silva (164 dias)

Factos  Cruzamentos  Grupos políticos Turbulências Governos Eleições  Regimes  

 

Jan.

Fev.

Mar.

Abr.

Mai.

Jun.

Jul.

Ag.

Set.

Out.

Nov.

Dez.

 

1926

MRevolta de 1 de Fevereiro

M28 de Maio

               

            Gov. António Maria da Silva

 

1926

Uma revolução à procura de autor

A rebelião das massas e o primado do espiritual

União Nacional e Pan-Europa

Quinze pecados da I República

pormenores em anuário CEPP)

Revolução de Almada (1 de Fevereiro)

Congresso dos nacionalistas, leva à dissidência da União Liberal Republicana (6 de Março)

Revolução Nacional do 28 de Maio

Governo nº 96 Mendes Cabeçadas

18 dias

  Governo nº 97 Gomes da Costa (22 dias)

  Governo nº 98 Carmona (649 dias)

                     
  1820-1825 1826-1832 1833-1836 1837-1841 1842-1851
1851-1865 1865-1867 1868-1876

1877-1879

1880-1886

1887-1900
1901-1906 1907-1910 1910-1915 1916-1918 1919-1926 1927-1931
1932-1944 1945-1950 1951-1957 1958-1960 1961-1973 1974-