/span>
  || Governos || Grupos || Eleições || Regimes || Anuário || Biografias ||

  Ciclos Políticos 1974-2006


 

 

1974

  16 de Março, 25 de Abril, 28 de Setembro, Marcelo, Spínola e Vasco Gonçalves

Mundo

Da demissão de Nixon ao regresso da Grécia à democracia 

Morte de Pompidou e eleição de Giscard d'Estaing

Portugal e o Futuro
Governos

A última remodelação do governo de Marcello Caetano

I Governo Provisório de Palma Carlos

II Governo Provisório Vasco Gonçalves

III Governo Provisório Vasco Gonçalves

Eleições

 
Grupos

Grupos políticos

 
Turbulências

 
Ideias


 
Anuários

Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

 

 

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

1975

11 de Março, Eleições, PREC, Verão Quente e 25 de Novembro

Da Acta de Helsínquia a Pol Pot, com Verão Quente e morte de Franco  

Tradição e Revolução, vol. II)

Cosmopolis

Thatcher assume a chefia dos conservadore  Reabertura do canal do Suez  Sakharov, Nobel da paz

Ecologia e sociobiologia

  G 107V. Gonçalves

V Governo Provisório

                 e64 (25 de Abril)

VI G overno Provisório de Pinheiro de Azevedo 

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

 

 

1976

A nova Constituição, eleição de Eanes e governo do PS

Da eleição de Carter ao governo espanhol de Adolfo Suárez  

Golpe militar na Argentina  

Governo de Barre em França  

Derrota dos sociais-democratas na Suécia  

Morte de André Malraux

Dos aparelhos ideológicos à miragem da justiça social

Tradição e Revolução, vol. II

Cosmopolis

Em Janeiro e Fevereiro ainda há rebentamentos de petardos e ataques a sedes de partidos comunistas

Criado o PCP(R) (5 de Janeiro)

Libertação de ministros do antigo regime (29 de Janeiro)

Tempo de pós-revolução

Constituído o Movimento Social-Democrata (8 de Fevereiro)

Surge o movimento sindical Carta Aberta (14 de Fevereiro)

Legalizado o GIS de Jorge Sampaio (7 de Março)

Explosão no jornal O Sol, de Vera Lagoa (8 de Março)

Morte do padre Max da UDP em Trás os Montes (3 de Abril)

Nova Constituição

Surge o jornal A Rua de Manuel Maria Múrias (8 de Abril)

Explosão na embaixada de Cuba (22 de Abril)

Eleição nº 65 (25 de Abril)

Eleição presidencial nº 8 (25 de Junho)

Governo nº 110  de Mário Soares (23 de Julho, 556 dias). Governo constitucional nº 1.

Criado o MIRN de Kaúlza de Arriaga (29 de Novembro)

Eleições autárquicas (12 de Dezembro) 

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

1977

PS quer ser o partido revolucionário institucionalizado e Portugal na CEE

Ecologismo, pacifismo, terrorismo e Estado-Espectáculo  

Regresso de Deng Xiao Ping ao poder  

  Sadat e Begin reúnem-se em Jerusalém  

  URSS negoceia directamente com a CEE  

  Morte de Elvis Presley

Europa, proibida ou decadente?

Tradição e Revolução, vol. II

Cosmopolis

Distúrbios da FLA em Ponta Delgada (20 de Janeiro)

PS, PSD e CDS aprovam voto pró-adesão na CEE (28 de Março)

PPD e CDS assinam acordo de cooperação parlamentar (1 de Junho)

PPD passa a PSD (1 de Novembro)

Pinheiro de Azevedo adere ao PDC (11 de Novembro)

Congresso dos GDUP (21 de Novembro)

Morte do duque de Bragança (24 de Dezembro) 

 

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

 

 

1978

Da aliança PS/CDS, aos governos presidenciais

Da eleição de João Paulo II ao assassinato de Aldo Moro  

Portugal à deriva

Vitória da direita nas eleições francesas  

Golpe de Estado pró-soviético no Afeganistão  

Israelitas ocupam o Sul do Líbano  

Conversações de Camp David entre Sadat e Begin

Tradição e Revolução, vol. II (pp. 643 ss.)

Cosmopolis

Detenção de Edmundo Pedro (11 de Janeiro)

Dissolvida a FEPU (16 de Janeiro). Saída da PSP de Manuel Serra.

Sá Carneiro escreve artigo contra Eanes (18 de Janeiro)

PS e CDS assinam acordo dito de incidência parlamentar (19 de Janeiro)

Criada a UEDS (28 de Janeiro)

Sá Carneiro abandona a liderança do PSD, senso substituído por Sousa Franco(29 de Janeiro)

Governo nº 111  (211 dias, desde 23 de Janeiro) M. Soares. Governo PS com ministros do CDS.

Alberto João Jardim passa a presidir ao governo regional da Madeira (31 de Março)

Pedro Cardoso na chefia do Exército, em lugar de Rocha Vieira (4 de Abril).

IV Congresso do PSD, com regresso de Sá Carneiro (2 de Julho)

Ministros do CDS apresentam demissão (31 de Julho)

Governo nº 112 (desde 29 de Agosto, 85 dias). O I Governo presidencial, chefiado por Nobre da Costa

Medeiros Ferreira e António Barreto abandonam o PS (6 de Setembro). Segue-se Medina Carreira (13 de Setembro)

Criada a UGT (28 de Outubro)

Surge o PSR (31 de Outubro)

Governo nº 113  de Mota Pinto. O segundo governo presidencial (22 de Novembro, 253 dias) 

 

 

1979

  Cem dias de pintasilguismo e vitória eleitoral da direita

Ideias

Entre Margaret Thatcher e Khomeiny.  Tempos de revolução conservadora

Primeiras eleições directas para o Parlamento Europeu  

João Paulo II visita a Polónia

Madre Teresa de Calcutá Nobel da Paz  

Queda de Somoza na Nicarágua  

Intervenção soviética no Afeganistão

Governos

Terceiro governo presidencial de Maria de Lurdes Pintasilgo

Eleições

Eleições parlamentares (2 de Dezembro.)

Grupos

III Congresso do PS, em nome do lema Dez Anos para Mudar Portugal. Aprovada uma linha programática redigida por António Guterres (3 de Março). Uma semana depois, Vasco da Gama Fernandes demite-se do PS, dizendo-se ofendido, humilhado e traído, pela maneira como Mário Soares, no relatório apresentado ao Congresso, referiu a sua substituição, na presidência da Assembleia da República, por Teófilo Carvalho Santos.


PSD retira apoio crítico ao Governo
Mota Pinto.

Conselho nacional do PSD
na Guarda. Sá Carneiro ataca a intervenção presidencial, defende eleições antecipadas, retira confiança à direcção do grupo parlamentar e faz um convite a António Sousa Franco para se desvincular do PSD (1 de Abril).

37 deputados do PSD passam a independentes. Hão-de criar a ASDI (4 de Abril). Barbosa de Melo e Costa Andrade abandonam o PSD (9 de Abril).


Reformadores –
António Barreto, Medeiros Ferreira e Francisco Sousa Tavares apresentam o Manifesto Reformador (12 de Abril).

 

Turbulências

 

Turbulências

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

 

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

 

 

 

 

 

 ( Tradição e Revolução, vol. II)

Cosmopolis

 

 

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos


1980


Do segundo mandato de Eanes à morte de Sá Carneiro

Ideias

Da eleição de Reagan à greve de Lech Walesa  Morte de Tito  Guerra Irão-Iraque  Morte de Sartre  Ocidentais boicotam Jogos Olímpicos de Moscovo  Novo aumento dos preços do petróleo
A tirania do status quo


Governos

1º Governo da AD (Sá Carneiro)º Gov. Sá Carneiro

Eleições

Parlamentares (5 de Outubro )

Presidenciais (7 de Dezembro )

Grupos  
Ideias  
Ideias  
Anuários

Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos


 

1981

Governos de Balsemão e Soares retomando o controlo do PS

Da eleição de Mitterrand ao antes vermelhos que mortos  Grécia adere à CEE  Ministros comunistas no governo francês de Pierre Mauroy  Atentado contra o papa em Roma  Golpe de Tejero de Molina em Madrd  Vaga pacifista na RDA  Estado de sítio na Polónia

Crise do Estado Providência e fim da era ideológica

Tradição e Revolução, vol. II)

Cosmopolis

g 116º Balsemão

117º Balsemão

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

1982

Revisão constitucional e fim da Aliança Democrática

Entre a ascensão de Helmut Kohl e a morte de Brejnev  PSOE ganha as eleições em Espanha  Guerra nas Malvinas/ Falkland  Andropov sobe ao poder  Israelitas evacuam do Sinai, mas invadem o Líbano  OPEP baixa o preço do patróleo  Recrudesce a guerra Irão-Iraque

Memórias sebásticas

( Tradição e Revolução, vol. II)

Cosmopolis

CGTP promove geral contra o chamado pacote laboral (12 de Fevereiro)

João Paulo II visita Fátima (Maio)

Vários atentados terroristas das FP25 de Abril

Amnistia para Carlos Antunes e Isabel do Carmo

Segunda revisão constitucional

Surgem Os Verdes (Setembro)

Última reunião do Conselho da revolução (29 de Outubro) Lei de Defesa Nacional (15 de Dezembro)

Eleições autárquicas (12 de Dezembro)

Francisco Pinto Balsemão demite-se  de prrimeiro-ministro e de líder do PSD (19 de Dezembro). Freitas do Amaral demite-se da liderança do CDS (29 de Dezembro). Falha a hipótese de coinstituição de um novo governo da AD, a ser presidido por Vítor Crespo.

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

1983

A emergência do Bloco Central

Da guerra das estrelas ao vírus da SIDA  Terrorismo em França  Vaga pacifista na Europa Ocidental  Reagan lança o SDI  Surge o alerta da SIDA  Morte de Raymond Aron  Lech Walesa, Nobel da Paz

( Tradição e Revolução, vol. II)

Cosmopolis

Procura da boa sociedade

Anatomia do poder

           
e68 (25 Abril)

g 118º M. Soares

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

1984

Do terrorismo das FP25, escândalo de Dona Branca e salários em atraso

Da memória de Orwell ao assassinato de Indira Gandhi  Tchernenko sobe ao poder em Moscovo  Direita vence europeias em França, depois de grandes manifestações a favor do ensino livre  Nova vitória eleitoral de Ronald Reagan  Reactivação da UEO

( Tradição e Revolução, vol. II)

Cosmopolis

Carlos Lopes

A Europa da geometria variável

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

1985

Do fim do Bloco Central à adesão à CEE – Cavaco vence eleições

Entre Gorbatchov e Jacques Delors Encontro de Genebra entre Reagan e Gorbatchov

A pós-revolução efectiva

Euforia neo-liberal

O pós-salazarismo e o neo-corporativismo

( Tradição e Revolução, vol. II)

Cosmopolis

                          e69 (6 Out. )

 

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

1986

Soares eleito presidente

De Tchernobyl ao Encontro de Assis  Assinado o Acto Único  Encontro de Assis Assassinato de Olof Palme  Vaga de terrorismo em França  Cory Aquino sobe ao poder nas Filipinas  Cimeira de Reijekavique entre Reagan e Gorbatchov  Liberdade para Sakharov  Derrota da esquerda nas legislativas francesas

Barata Moura e Boaventura Sousa Santos

( Tradição e Revolução, vol. II)

Cosmopolis

g 119º Governo de Cavaco Silva

ep10 (16 Fev.)

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

1987

Cavaco Silva e o PSD conseguem maioria absoluta

Vitória da direita em França   Crise das Bolsas  Kohl consegue maioria absoluta  Terceira vitória eleitoral de Thatcher  Cimeira de Washington entre Reagan e Gorbatchov

Perestroika e casa comum europeia

Maioria absoluta de Cavaco Silva

( Tradição e Revolução, vol. II)

Cosmopolis

e70 (19 Jul. 1987)

Governo nº 120

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

1988


Da geração Constâncio ao regresso de Freitas ao CDS

Da eleição de Bush à retirada soviética do Afeganistão  Reeleição de Mitterrand 

Ascensão e queda das grandes potências

( Tradição e Revolução, vol. II)

Cosmopolis

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

1989

Cavaquismo: entre o preconceito da ordem e a personalização do poder

Da queda do muro ao fim da guerra fria

Do Solidariedade às Revoluções de Veludo

( Tradição e Revolução, vol. II)

Cosmopolis

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

1990

Pós-comunistas, ortodoxos e maoístas

Fim do comunismo?

O fim da ilusão terceiromundista

Pós-modernidade e despolitização

Tradição e Revolução, vol. II

Cosmopolis

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

1991

Cavaco com nova maioria absoluta, massacre em Dili e tratado de Maastricht

Guerra do Golfo, golpe de Moscovo e Nova Ordem Internacional  Conselho Europeu de Maastricht  Acordo de Bicesse entre MPLA e UNITA  Dissolução do COMECON e do Pacto de Varsóvia  Ieltsine vence golpe de Moscovo  Implosão da URSS

Centesimus Annus e primeira revolução global

Entre o soarismo presidencial e o cavaquismo governativo

Tradição e Revolução, vol. II
Cosmopolis

ep11 (13 Jan. 1991)

e71 (6 Out. 1991)

G 121

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

1992

Televisão privada, Plataforma de Esquerda e Manuel Monteiro

Maastricht, teledemocracia e operações mãos limpas

Do erro de Descartes à nova história de Portugal

( Tradição e Revolução, vol. II)

Cosmopolis

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

1993

União Europeia, Partido Popular, TVI e PS vencendo autárquicas

Da conclusão do mercado único à procura da nova ordem internacional

A terceira onda da democracia

( Tradição e Revolução, vol. II)

Cosmopolis

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

1994

Guerra das portagens,  soarismo no bloqueio e tabu de Cavaco

 ( Tradição e Revolução, vol. II)

Cosmopolis

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

1995

Renúncia de Cavaco, vitória eleitoral do PS de Guterres e CDS a tornar-se Partido Popular

Windows 95

Fim do cavaquismo e do soarismo

Desordem internacional

( Tradição e Revolução, vol. II)

Cosmopolis

e82 (1 Out. 1995)

 

g122

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

1996

Estado de graça de Guterres, Sampaio na presidência e Marcelo no PSD

Clinton, Aznar, Prodi

A era pós-ideológica

( Tradição e Revolução, vol. II)

Cosmopolis

g122 Remodelações

1997

O ano Valle e Azevedo em tempo de pensamento único e de referendos

Ideias

A nova ordem global

  

Governos

Remodelação António Costa passa a ministro dos assuntos parlamentares (23 de Novembro). Jorge Coelho na administração interna. Pina Moura na economia. Veiga Simão na defesa nacional. Ferro Rodrigues passa a acumular o emprego. José Sócrates torna-se ministro adjunto do primeiro-ministro. Saem, além de António Vitorino, Maria João Rodrigues, Augusto Mateus e Alberto Costa. Demissão de António Vitorino, acusado de irregularidades fiscais na aquisição de um imóvel (8 de Novembro de 1997)

Eleições

Eleições autárquicas (14 de Dezembro). Comunistas afastados de várias autarquias. Socialista Fernando Gomes mantém-se no Porto. Em Lisboa, João Soares vence Ferreira do Amaral. PSD conquista as câmaras de Gaia, com Luís Filipe Meneses, e da Figueira da Foz, com Pedro Santana Lopes que, entretanto, abandonara a presidência do Sporting Clube de Portugal.

Grupos

Questão do aborto António Guterres, falando a título pessoal, declara-se contrário à liberalização do aborto (15 de Fevereiro de 1997). Projecto é derrotado na Assembleia da República por um voto no dia 20

Revisão constitucional – O deputado do PS Vital Moreira demite-se de presidente da Comissão de Revisão Constitucional (28 de Fevereiro de 1997). Aprovada a quarta revisão da Constituição, depois de acordo entre o PS e o PS (4 de Setembro).

Turbulências

Manifestação de polícias a favor da criação de um sindicato. Alguns manifestantes chamam aldrabão e cobarde ao ministro Alberto Costa e são alvo de processos disciplinares (21 de Abril de 1997).

Vale e Azevedo é eleito presidente do principal clube de futebol português, o Sport Lisboa e Benfica, através de um processo populista (31 de Outubro de 1997)

Outros factos

É inaugurado o Centro Comercial Colombo em Lisboa, integrado no grupo Sonae, de Belmiro de Azevedo, considerado o maior estabelecimento do género da Península Ibérica (15 de Setembro).

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

 

1998

  Expo 98 e referendos sobre o aborto e a regionalização

Ideias

Vacas loucas, Saramago e jobs for the boys

Crise das economias asiáticas e batalha contra o terrorismo

Governos

 

Referendos

Referendos com muitas abstenções – Referendo nacional sobre a questão do aborto. Vitória do não (50,91%), mas com quase seis milhões de eleitores (68,06%) a optarem pela abstenção (28 de Junho). Referendo sobre a regionalização. Abstenção de 51,3%. 63, 59% dos votantes são contrários à proposta de reforma administrativa (8 de Novembro). De um lado, o movimento Portugal Plural, liderado por Eurico de Figueiredo, onde participámos, e a partir do qual se lançará o movimento cívico Intervenção Radical, do outro, o movimento Nação Una, onde se destacam Paulo Teixeira Pinto e Manuel Monteiro. Marcelo Rebelo de Sousa que provocara estas duas consultas populares pode reclamar das poucas vitórias na sua liderança do PSD, embora os perdedores sejam aqueles que sempre clamaram pela introdução do mecanismo referendário na constituição, dado que as populações se desinteressaram do processos, num tempo em que o indiferentismo face à política começa a ser crescente.

Grupos

Portas, Marcelo e Moniz – Congresso do PP em Braga (22 de Março). Paulo Portas é o novo presidente. Vence a candidatura de Maria José Nogueira Pinto, apoiada pelos monteiristas. Um dos principais dirigentes da Universidade Moderna, José Braga Gonçalves, destaca-se nos bastidores, em apoio a Portas. Congresso do PSD de Tavira (19 de Abril). Marcelo Rebelo de Sousa mantém-se como presidente. Anuncia-se a hipótese de uma Alternativa Democrática com o PP de Paulo Portas. Marcelo vai atacar a ligação do governo a grandes grupos económicos. José Eduardo Moniz é o novo director da TVI (22 de Setembro). Anuncia-se uma coligação com o PSD, a Alternativa Democrática

  

Turbulências

Morte de Francisco Lucas Pires

Outros factos

Telemóveis – Portugal Telecom adquire o controlo do maior operador do Brasil de telemóveis em São Paulo, Telesp celular (29 de Julho). Começa a funcionar a terceira rede nacional de telemóveis, do grupo de Belmiro de Azevedo (15 de Setembro)

Inauguração da Expo-98; A exposição universal, dita a última do século, realiza-se em Lisboa e, até ao seu encerramento, irá receber cerca de 10 milhões de visitantes. Ficam para a posteridade algumas obras emblemáticas, tal como o Pavilhão de Portugal ou o Oceanário, o grande ex-libris do evento, assim como a edificação de equipamentos e infra-estruturas que tanto reabilitam a altamente degradada zona oriental da capital, como põem à disposição dos cidadãos uma vasta oferta de cultura e lazer que se prolongará para lá do período da exposição (21 de Maio).

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

 

1

 

A questão da Universidade Moderna e nova vitória eleitoral de Guterres

Ideias

A procura da terceira via

Guterres não vai para Bruxelas

Governos

  Novo governo de Guterres (25 de Outubro). Entre os ministros: José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa (adjunto), António Luís dos Santos Costa (assuntos parlamentares), Jaime José Matos da Gama (defesa nacional e negócios estrangeiros), António Luís Pacheco de Sousa Franco (finanças), Jorge Paulo Sacadura Almeida Coelho (adjunto e administração interna), João Cardona Gomes Cravinho (equipamento, planeamento e administração do território), José Eduardo Vera Cruz Jardim (justiça), Joaquim Augusto Nunes de Pina Moura (economia), Luís Manuel Capoulas dos Santos (agricultura, desenvolvimento rural e pescas), Eduardo Carrega Marçal Grilo (educação), Maria de Belém Roseira (saúde), Eduardo Ferro Rodrigues (trabalho e solidariedade social), Maria Elisa Ferreira (ambiente), Manuel Maria Carrilho (cultura), Mariano Gago (ciência e tecnologia).  

Eleições

Realizam-se eleições para o Parlamento Europeu na Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Itália, Luxemburgo, Portugal e Suécia. PS vence com 43% (13 de Junho). O cabeça de lista é o ex-presidente Mário Soares. Segue-se a lista do PSD com 31%, liderada por José Pacheco Pereira, com o poeta Vasco Graça Moura em lugar de destaque. Os comunistas obtêm 10,32% e o PP de Paulo Portas 8,17%.

Eleição geral nº 73  (10 de Outubro)Vitória do PS que consegue 115 deputados (43,9%), tantos quantos os da oposição, ficando assim a um deputado da maioria absoluta. PSD, 32,3%. CDU, 9%. PP, 8,3%. Bloco de Esquerda, 2,4% 

Grupos

Marcelo sai, entra Barroso – Falham as tentativas de acordo entre o PSD e o PP, a Alternativa Democrática, com Marcelo Rebelo de Sousa a abandonar a liderança dos sociais-democratas, a quem sucede José Manuel Durão Barroso (3 de Maio).

Turbulências

Universidade Moderna – Surge a questão da Universidade Moderna, cujo reitor é José Júlio Gonçalves, tendo como vices António Sousa Lara e Esmeraldo de Azevedo. Alguns quadros dirigentes da universidade são alvo de investigação por parte da polícia judiciária (Maio).

Outros factos

Sinais de pátria – Referendo sobre a independência de Timor. 98% de participação, 79% a favor da independência. Seguem-se violentos distúrbios (30 de Agosto). Gigantescas manifestações em Portugal, de solidariedade com Timor Lorosae, especialmente durante a visita a Lisboa de D. Carlos Ximenes Belo (Setembro). Morte de Amália Rodrigues (6 de Outubro). Entrega de Macau à soberania chinesa. Rocha Vieira, o último governador, embrulha a bandeira do último posto do império português no além-mar. Apenas na Ceuta espanhola continuará o sinal das quinas lusitanas, que aí se mantêm desde 1415 (20 de Dezembro)

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

 

2000

A revelação do terceiro segredo de Fátima

Ideias

Lisboa volta a ser capital da Europa – Portugal, durante seis meses, volta a ser presidente da União Europeia durante seis meses. Mas já não se utiliza o Centro Cultural de Belém, construído pelo cavaquismo para tal efeito.

Segunda visita de João Paulo II a Portugal, para a beatificação dos pastorinhos de Fátima (13 de Maio). No dia 26 o Vaticano revela o chamado terceiro segredo de Fátima.

Governos

 

Eleições

Nas eleições regionais de 15 de Outubro, vitória do PS nos Açores, sob a liderança de Carlos César que volta a vencer, agora com maioria absoluta. Alberto João Jardim e o PSD continuam a imperar na Madeira. As autonomias regionais, uma das mais belas realizações do nosso regime, apesar de não serem enfatizadas pelo programa do MFA, demonstram como a liberdade sempre foi mais um produto da acção dos homens do que o resultado das intenções de certos programas vanguardistas.

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

No último ano do milénio, quando se divulgam os resultados da descoberta do genoma humano, poucas são as notícias políticas lusitanas. Em Março, no Congresso do PP em Viseu, que reforça as posições de Paulo Portas, dá-se o regresso de alguns históricos, com Basílio Horta a refiliar-se no partido, enquanto no final do ano, no congresso do PCP, se retomam as teses clássicas da fidelidade cunhalista, sem cedência aos chamados renovadores. As notícias desportivas parecem mais mobilizadoras, com duas medalhas de bronze nos Jogos Olímpicos de Sydney, em Setembro (Nuno Delgado no judo e Fernanda Ribeiro no atletismo) e o Sporting Clube de Portugal a voltar a ser campeão nacional de futebol, ao fim de dezoito anos de espera (Maio), para além de a selecção portuguesa de futebol ter atingido as meias finais no Campeonato Europeu de Futebol.  Já o Presidente Sampaio visita oficialmente Timor-Leste (Fevereiro) e o Conselho de Ministros, devido à teimosia de José Sócrates aprova que, nas cimenteiras do Outão e de Souselas, se utilize o processo de co-incineração de resíduos tóxicos (Junho), o que leva a acalorados debates com ambientalistas e esquerdistas, nomeadamente em Coimbra, com os contestadores da atitude governamental a serem liderados por Boaventura Sousa Santos. E no ano em que George W. Bush é declarado eleito presidente dos Estados Unidos da América, assinale-se que, entre nós, o mero consumo de drogas deixa de ser crime e de, consequentemente, ser punido com prisão (6 de Julho).

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

2000

A revelação do terceiro segredo de Fátima
 

Tradição e Revolução, vol. II)

Cosmopolis

Nova presidência portuguesa da União Europeia

Segunda visita de João Paulo II a Portugal

Eleições regionais, com vitória do PS nos Açores

1

  Sampaio reeleito, queda da ponte de Entre-os-Rios e atentado contra as Twin Towers

Ideias

Queda da ponte de Entre-os-Rios (4 de Março)
Atentado terrorista contra as torres gémeas, provoca cerca de três mil mortes (11 de Setembro).

 

Governos

 

Eleições presidenciais

Sampaio vence Ferreira do Amaral nas eleições presidenciais (14 de Janeiro). Jorge Sampaio é reeleito, com 55,8%, vencendo a candidatura do PSD, Joaquim Ferreira do Amaral (34,5%). Há 49,1% de abstenções. Também se candidatam António Abreu, do PCP (5,13%), Fernando Rosas, do Bloco de Esquerda (2,98%) e Garcia Pereira, do MRPP (1,59%).
Eleições autárquicas, com vitória do PSD (16 de Dezembro) que passa a comandar 159 câmaras municipais (41%). PS com 113 (37,1%). CDU com 28 (10,6%) e PP com 3 (4%). Pedro Santana Lopes vence em Lisboa contra a candidatura de João Soares. PSD triunfa também no Porto (Rui Rio), Sintra (Fernando Seara), Cascais (António Capucho), Faro (José Vitorino) e Portalegre. PS conquista câmaras aos comunistas em Évora, Loures e Barreiro. Comunistas reconquistam Setúbal ao PS.

Grupos

Vitória do PSD nas eleições autárquicas (16 de Dezembro)

António Guterres demite-se de líder do PS e de chefe do governo (17 de Dezembro)  

Turbulências

Terrorismo absolvido – O tribunal da Boa Hora absolve 65 réus do processo das FP-25 (6 de Abril). Um dos absolvidos é Otelo Saraiva de Carvalho.

Outros factos

Assembleia da República aprova alargamento do regime das uniões de facto a casais homossexuais (15 de Março).

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

2001

Tradição e Revolução, vol. II)

Cosmopolis

2002

PSD vence eleições – Governo de coligação entre Durão Barroso e Paulo Portas

Ideias

Estado secundário – Tal como em 1820, Portugal continua a viver o drama da dimensão de pequeno Estado, ou de Estado secundário, permanecendo dependente daquilo que as potências europeias sobre ele decidirem. E os grandes êxitos da nossa história acabam por ser medidos pela circunstância de um dos nossos chefes políticos ascender à formal presidência da União Europeia, depois de vencer a candidatura do Grão-Ducado do Luxemburgo, se, para tanto, revelarmos a competente e humilde simpatia dos bons alunos e um moderado seguidismo face ao directório que marca a geometria variável da balança da Europa ou perante o modelo transatlântico, liderado pela super-potência que resta. E lá continuarão as permanentes análises políticas, onde se reconhecerá que a vitória do partido progressista, ao punir de forma inequívoca o partido regenerador que está no poder, vai garantir-nos a maravilha de, nas próximas eleições, quando os progressistas já forem os novos donos, voltarmos a dar o nosso voto aos regeneradores, porque tanto não há regeneradores liberais como dissidentes progressistas que os republicanos possam manipular, a fim de voltarmos a ter esperança na próxima incursão monárquica. Até porque poderia surgir a República Nova de um qualquer salvador que viesse a ser assassinado numa esquina do Terreiro do Paço, ou numa estação do Rossio.

Governos

Governo PSD/CDS presidido por Durão Barroso, numa coligação do PSD com o PP de Paulo Portas. A chamada Convergência Democrática para um governo de legislatura que eleva o líder do PP a ministro da defesa e a militante popular Celeste Cardona a ministra da Justiça, com outro dependente do directório portista a assumir a pasta do emprego e da segurança social, o encartado católico, Bagão Félix. Os restantes ministros são do espaço laranja, com destaque para Manuela Ferreira Leite, nas finanças, os coordenadores políticos Luís Marques Mendes, Nuno Morais Sarmento e José Luís Arnaut, acompanhados, entre outros por Isaltino de Morais, nas cidades, ordenamento e território, António Martins da Cruz, nos estrangeiros, Luís Valente de Oliveira, nas obras públicas, transportes e comunicações, António Figueiredo Lopes, na administração interna, Carlos Tavares, na economia, Armando Sevinate Pinto, na agricultura, David Justino, na educação, Pedro Lynce, na ciência e universidades, Pedro Roseta, na cultura, e Luís Filipe Pereira, na saúde.

Eleições

Eleição geral nº 74, com vitória do PSD (17 de Março). PSD, liderado por José Manuel Durão Barroso vence com 40,12%. PS: 37,85%. CDS-PP, de Paulo Portas, 8,75%. Comunistas, 6,97%. Bloco de Esquerda, com o doutor em economia Francisco Louçã, o trotskista que marca a imagem do grupo,  2,76%. PSD e PP assinam acordo de coligação governativa (28 de Março).

Grupos

Eduardo Ferro Rodrigues, novo líder socialista (19 de Janeiro)

Turbulências

Surge o escândalo da Casa Pia, com reportagens do semanário Expresso e SIC (23 de Novembro). A governação enreda-se nas teias do doméstico, com tecnocratas da finança e da economia a ditatorializarem os ministérios, fazendo regressar o Estado ao regime da administração das casas privadas, nesse vício tipicamente salazarista que nos faz voltar às boas intenções do despotismo, de que o inferno da história está cheio. E o Portugal que resta é, definitivamente, um regime de anarquia bem organizada por neo-feudalismos, por falta de autenticidade e pelo apagamento deliberado de memórias. Por outras palavras, o zé povinho continua a ter que pagar impostos, enquanto os que partem e repartem o bolo tirado aos que trabalham vão ralhando sem razão, não apresentam as contas dos respectivos partidos e ocultam os financiamentos que os podem comprometer com os “lóbis que não uivam”. Abundam, com efeito, muitos invertebrados, situados entre o batráquio que coaxa e o cefalópode que lança nuvens de tinta negra, os quais, em tempos de crise, tratam de acolher-se à sombra de grupos com imagem moral forte, a fim de garantirem formais certificados de bom comportamento cívico e excelente acesso à mesa porca do orçamento, mesmo que chamem polvo a quem os nomeia. O despudor dos agentes políticos, que se consideram superiores às instituições que dizem servir, só atinge os actuais níveis de decadência, porque tanto não é possível um golpe de Estado, à maneira do 5 de Outubro, do 28 de Maio ou do 25 de Abril, como uma subversão comunista, com guerra fria, KGB e cunhalismo. Os potenciais golpistas, dos militares revoltados aos comunistas activíssimos, apenas conspiram com anedotas porcas e “nicknames” nos comentários “on-line” dos semanários políticos, enfrentando a fúria defensiva dos jotas do Caldas, mobilizados para a salvaguarda do chefe. A corrupção não vem apenas de cima para baixo, mas, sobretudo, de baixo para cima. Ela nasce dos patos bravos, da federação dos pequenos e médios compradores do poder autárquico que encheram os partidos com “apparatchikini” sem qualidade, transformados em traficantes de influências.

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

2002

1

   

Ideias

 

Governos

 

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

 2003

 ( Tradição e Revolução, vol. II)

Cosmopolis

 

2004

 

Ascensão e queda do governo Santana Lopes

Ideias

 

Governos

Governo de Santana Lopes/Paulo Portas

Eleições

 

Grupos

 

Turbulências

 

Outros factos

 

Anuários



Cosmopolis

Tradição e Revolução

Acontecimentos

 

 

  1820-1825 1826-1832 1833-1836 1837-1841 1842-1851
1851-1865 1865-1867 1868-1876

1877-1879

1880-1886

1887-1900
1901-1906 1907-1910 1910-1915 1916-1918 1919-1926 1927-1931
1932-1944 1945-1950 1951-1957 1958-1960 1961-1973 1974-