/span>
 || Governos || Grupos || Eleições || Regimes || Anuário || Biografias || Revoltas

  Anuário 1938

1938

Duarte Pacheco nas Obras Públicas e a Aldeia da Roupa Branca

Núcleo de Acção e Doutrinação Socialista

Remodelação governamental de 25 de Maio

Boatos sobre intentona de militares por causa reorganização de Exército

Conflito entre Cerejeira e Carneiro Pacheco.

e 54 (30 Outubro). 659 028 votos. Lista única

 

Turbulências – Na sequência da lei da organização do exército (Lei nº 1960, de 1 de Setembro de 1937), surgem boatos sobre nova intentona (Janeiro). Forças policiais e Legião Portuguesa são colocadas em estado de alerta. Durante o protesto, o governador militar de Lisboa, general Domingos de Oliveira, chega a ir a Belém pedir a demissão de Salazar, mandando fechar os quartéis com os soldados lá dentro. Carmona diz que também se demitiria e manda-o falar com o presidente do conselho que o convence a aderir à reforma e emite nota oficiosa no dia 10 de Janeiro sobre Reformas Militares. Racismo no Exército. A nova lei reserva a pertença ao Exército a portugueses, originários ou naturalizados, filhos de pais europeus e, como condição para o ingresso na Escola do Exército, impõe o ser português, solteiro, filho de pais portugueses e europeus.

 

Monárquicos – Luís de Almeida Braga, em carta dirigida ao Visconde do Torrão, Lugar-tenente de D. Duarte Nuno, faz críticas ao regime: receio que um dia acordemos todos no fundo de um poço (9 de Janeiro).

Comunistas – O principal dirigente do PCP, Pavel, é preso no apartamento que servia de sede ao partido (10 de Janeiro). A Internacional Comunista, através de Dimitrov, decide suspender as relações com o PCP (5 de Setembro). Pavel e António Gomes Pereira conseguem evadir-se da prisão do Aljube, contando com a colaboração do enfermeiro da unidade (23 de Maio). Pavel vai para Paris e em Abril de 1939 instala-se no México, onde assume nova identidade, Antonio Rodriguez, nunca mais regressando à actividade política. Já professor universitário, chega a visitar Portugal em 1976 e 1988.

Remodelação – Duarte Pacheco, ministro das obras públicas (25 de Maio).

Conflito entre Carneiro Pacheco e o Cardeal Cerejeira. O Ministro pretende integrar o Corpo Nacional de Escutas na Mocidade Portuguesa. Cerejeira, em finais de Maio, recusa mesmo a participação numa festa da MP, para não dar testemunho público de absoluta confiança na organização, até por participarem nazis que nos tratariam como raça inferior e negróide. O conflito só é superado em 1940, com a entrada de Marcello Caetano para Comissário Nacional da Mocidade Portuguesa. Também em 1938, Humberto Delgado (1916-1965) faz parte de uma missão militar a Angola e Moçambique.

Eleição da Assembleia Nacional (30 de Outubro). 659 028 votos. Apesar de só participar a lista única, há uma ampla dinamização promovida pela Legião Portuguesa e pela Mocidade Portuguesa.