/span>
 || Governos || Grupos || Eleições || Regimes || Anuário || Biografias || Revoltas

  Anuário 1940

Comemoração dos Centenários, I Semana Social Católica e Ministério da Economia – Em tempo de sangue, suor e lágrimas

Concordata e neo-realismo

O Zero e o Infinito

I Semana Social Católica

Remodelação em 28 de Agosto

Concordata com a Santa Sé (7 de Maio)

 

Relações com Espanha – Esquadra espanhola no Tejo com discurso de Salazar (12 de Abril). Presença de Moscardó em Lisboa (28 de Maio). É condecorado Jorge Botelho Moniz. Discursos de Salazar e Santos Costa. Declaração conjunta dos governos de Franco e Salazar sobre a guerra. Espanha sublinha a não beligerância e Lisboa a estrita neutralidade. Salazar, durante o mês de Junho, teme que Hitler decida entrar na Península Ibérica. No dia 29 de Julho assina-se o Pacto Peninsular, ou Pacto Ibérico.

 

I Semana Social Católica: realiza-se em Lisboa, no mês de Junho, sob o tema Aspectos Fundamentais da Doutrina Social Católica. Criticam-se os erros liberalistas, nacionalistas, totalitaristas, marxistas e comunistas, cabendo o principal discurso doutrinário a Fezas Vital.

 

Oposição monárquica: é apreendido, à saída da tipografia, o livro de José Hipólito Raposo, Amar e Servir. História e Doutrina, editado no Porto pela Livraria Civilização. No prefácio, denuncia-se o regime de constrangimento que oprime a vida do espírito em Portugal, bem como a dissolução moral que diariamente vamos assistindo. Condenam-se os totalitarismos como o nazi e denuncia-se o arbítrio pessoal do salazarismo (Fevereiro).

 

Oposição republicana: regressam a Portugal vários republicanos exilados em França, como Bernardino Machado e Jaime Cortesão, em 28 de Junho. São quase todos presos e depois deportados para o Brasil. Ao ex-presidente da república é fixada a residência a norte do Douro, instalando-se em Paredes de Coura. Morre no Tarrafal Mário Castelhano (n. 1896) (12 de Setembro).

 

Comunistas: libertados vários dirigentes comunistas, como Álvaro Cunhal, Militão Ribeiro e Júlio Fogaça que começam a reorganizar o PCP (Novembro)

 

Marcello Caetano é empossado, em 24 de Agosto, como Comissário Nacional da Mocidade Portuguesa. Ultrapassa as divergências com a Igreja Católica, permitindo a autonomia do Corpo Nacional de Escutas. Vai escrever A Missão dos Dirigentes (24 de Agosto).

 

Fezas Vital é nomeado presidente da Junta Nacional da Educação, sucedendo a Gustavo Cordeiro Ramos. Mantém-se neste posto até 9 de Outubro de 1946 (27 de Agosto).

 

Concordata entre Portugal e a Santa Sé é assinada no Vaticano (7 de Maio). Assembleia Nacional ratifica a Concordata e o Acordo Missionário.

 

Remodelação – Em 28 de Agosto: surge um ministério da economia, assumido por Rafael Duqueö, com André Francisco Navarro (n. 1904), como subsecretário da agricultura e Ferreira Dias no comércio e indústria; Costa Leite nas finanças; Vaz Serra, na justiça; Mário de Figueiredo na educação nacional.

 

Centenários – Começam as cerimónias dos Centenários. Te Deum na Sé de Lisboa e discurso de Carmona na Camâra Municipal (2 de Junho). Salazar em Guimarães discursa sobre 800 Anos de Independência (4 de Junho). Cerimónias na Sé Primaz de Braga (5), na Sé do Porto e no Palácio da Bolsa (7), em Santa Cruz de Coimbra e na Sala dos Capelos, rememorando a Cúria de 1211 e a fundação da Universidade (8). Romagem à Sé ao Castelo de Leiria (9). Te Deum na Igreja de S. Domingos em Lisboa (10). Inaugurado o novo edifício do Museu de Arte Antiga e concerto de gala no Teatro Nacional D. Maria II (11).

Velada de armas em Ourique (13). Comemorações em Lagos e Sagres (15). Inaugurada a Refinaria da Sacor, em Cabo Ruivo (19). Começa a Exposição do Mundo Português que tem como comissário-geral Augusto de Castro (23), erguendo em Belém uma cidade-efémera que nasce da traça de Cottinelli Telmo. Por iniciativa de Leitão de Barros (1896-1967), surgem as marchas populares de Lisboa (24). Sessão no Palácio da Ajuda saudando os embaixadores extraordinários às comemorações (26). Missa pontifical e Acto Imperial nos Jerónimos (27). Cortejo do Mundo Português em Belém e Alcântara (30). No dia seguinte começa o Congresso do Mundo Português, até ao dia 13 de Julho. Cortejo do trabalho nacional no Porto (5 de Julho). Discurso de Hernâni Cidade na Festa dos Lusíadas da Exposição do Mundo Português (14 de Julho). Comemora-se em Évora o sexto centenário da Batalha do Salado (30 de Outubro). Dia sindical na Exposição do Mundo Português (3 de Novembro). Inaugurado o Congresso Colonial (11 de Novembro). Colónia portuguesa do Brasil entrega ao Estado o Palácio da Independência no Largo de S. Domingos (24 de Novembro). Inaugurada a estátua de Pedro Álvares Cabral na Estrela, oferecida pelo governo brasileiro (30 de Novembro). Reabertura solene do Teatro de S. Carlos (1 de Dezembro). Encerramento das Comemorações com Te Deum na Sé e discurso de Salazar na Assembleia Nacional (2 de Dezembro).

 

Contas públicas – Apresentadas as Contas Públicas de 1939. As primeiras sem um relatório de Salazar (8 de Julho).