/span>
 || Governos || Grupos || Eleições || Regimes || Anuário || Biografias || Revoltas

  Anuário 1941

Cunhal reorganiza o PCP, neo-realismo e O Pátio das Cantigas

Carta do Atlântico

Reorganização do PCP  

Protesto contra o aumento das propinas  

Greve dos Lanifícios na Covilhã

Ocupação de Timor por forças anglo-holandesas

Remodelação em 23 de Julho

 

Açores, aqui é Portugal! Roosevelt, em discurso radiofónico, proferido em 27 de Maio, refere expressamente a importância dos Açores para a segurança norte-americana, falando na necessidade de se prevenir o perigo do arquipélago poder cair na posse de uma potência inimiga, o que leva a uma imediata nota de protesto do governo português. Imediatamente Carmona inicia, a 23 de Julho, uma visita de soberania ao arquipélago, como o lema Aqui é Portugal. Dura 20 dias.

 

Comunistas – Após a Internacional Comunista ter cortado as relações com o PCP em 1939, suspendendo-se a própria publicação do Avante, o partido é reorganizado, pela acção do secretariado constituído por José Gregório, Militão Ribeiro e Álvaro Cunhal. Cria-se um corpo de revolucionários profissionais, os funcionários, e adopta-se o modelo conspirativo leninista. Contra este modelo, há uma dissidência participada por Velez Grilo, Cansado Gonçalves e Vasco Carvalho, os quais se reclamam então como a verdadeira direcção do partido. Em Agosto de 1941 reaparece o jornal comunista Avante!

 

Remodelação – Em 23 de Julho: Costa Leite substitui Pais de Sousa no interior

Monárquicos situacionistas – Em discurso no Porto, Alfredo Pimenta propõe a restauração da monarquia (31 de Outubro).

 

Agitação social – Greve por aumentos salariais dos operários têxteis da Covilhã (Novembro). Neste mês, protestos estudantis em Coimbra e Lisboa contra o aumento das propinas. Pede a demissão a própria comissão administrativa da Associação Académica de Coimbra, nomeada pelo Ministério da Educação. Mas conforme assinala Mário Soares, à minoria militante dos comunistas respondia ainda de forma viva a minoria de salazaristas, desde os quadros da MP aos da Acção Católica, principalmente no tocante a elementos femininos.

 

Salazar informa a Assembleia Nacional sobre a ocupação de Timor por tropas australianas e holandesas (19 de Dezembro).

 

Relações com a Alemanha – Nessa altura, visitam a Alemanha Cabral de Moncada, Beleza dos Santos, José Carlos Moreira e Cavaleiro Ferreira (1912-1992). Encontram-se com Hans Frank e são convidados a participar na fundação de uma Câmara Jurídica Internacional. Salazar, através de Beleza dos Santos, considera que eles podem manter-se na organização, mas apenas como particulares, sem compromissos para a Nação. Moncada é doutor honoris causa por Heidelberg, desde o Verão de 1936, onde conheceu Goebbels pessoalmente e nunca rejeitou ser germanófilo. O nosso embaixador em Berlim, desde Agosto de 1940, é Francisco José Nobre Guedes que, sem autorização de Salazar, regressa a Portugal em Março de 1941, ao que parece, abalado pelos bombardeamentos aliados e sem ter usado adequadamente as boas amizades nazis que antes delineara, como comissário da Mocidade Portuguesa.