|| Governos || Grupos || Eleições || Regimes || Anuário || Biografias ||

  Eleições de 1870 (13 de Março)

422 642 eleitores. Eleição de 107 deputados. 92 no continente (em vez dos anteriores 156). 8 nas ilhas. 7 círculos plurinominais no ultramar. Vitória dos governamentais, durante o terceiro governo histórico, presidido por Loulé, no poder desde 11 de Agosto de 1869, que nas suas listas incluiu regeneradores. 82 deputados governamentais no continente. 89 no continente e ilhas. Destes 14 assumem-se como regeneradores. Oposição de reformistas, liderados pelo bispo de Viseu, e penicheiros vence em 15 círculos do continente. Há sangrentos incidentes no Funchal.

23ª eleição geral

14ª eleição da 3ª vigência da Carta

11ª eleição da Regeneração

 

Dissolução em 20 de Janeiro de 1870

Decreto mandando proceder a eleições de 3 de Fevereiro de 1870

Legislatura de 31 de Março de 1870 a 21 de Julho de 1870

13 de Março de 1870

Eleição para a Câmara dos Deputados (107 deputados)

Vitória dos governamentais históricos, sob o governo de Loulé. Era a quarta vez em quatro anos que se realizavam eleições gerais. Violentos confrontos, com mortos e feridos, na Madeira.

Eleitores

366 886 eleitores no Continente e Ilhas

Votantes

227 298 votantes no Continente e Ilhas (61,9%)

Históricos

Há 89 deputados governamentais históricos, que incluem 14 regeneradores  nas suas  listas. 76 no continente e 7 nas ilhas.

Oposicionistas

15 deputados oposicionistas, incluindo reformistas e penicheiros, no continente e ilhas.

 

Nos 92 deputados continentais, 76 são governamentais e 15 da oposição

Lisboa

Em Lisboa (10 deputados), 8 dos governamentais e 2 oposicionistas

Porto

No Porto (9 deputados), 6 governamentais e 3 oposicionistas

Governos

·Terceiro governo histórico de 11 de Agosto de 1869 a 26 de Maio de 1870 sob a presidência de Loulé, acumulando o reino. Dissolução da Câmara dos Deputados em 20 de Janeiro de 1870

·Governo de Saldanha, com regeneradores, reformistas e penicheiros, desde 19 de Maio de 1870. Rodrigues Sampaio no reino.

Movimento partidário

·Em Outubro de 1869 deu-se a fusão das várias maçonarias no Grande Oriente Lusitano Unido. União do Grande Oriente Lusitano, então chefiado pelo conde de Paraty, da Federação Maçónica Portuguesa, do Grande Oriente de Portugal, da Confederação Maçónica Portuguesa e de parte do Supremo Conselho de Grau 33.

·Governo de Loulé procurou reunir a unha negra  de Tomás Lobo d’Ávila e a unha branca de Loulé e José Luciano.

·A partir de Janeiro de 1870, juntam-se à oposição Sá da Bandeira e Saldanha. O grupo de Sá da Bandeira insurge-se contra a circunstância do governo dissolver a Câmara dos Deputados, sem qualquer prévia votação parlamentar contrária ao governo. O grupo de Saldanha, que regressou da embaixada em Paris em Outubro de 1869, revolta-se contra o facto do governo ter transferido vários oficiais afectos ao velho marechal.

·Em 11 de Maio de 1870 começava a publicar-se o jornal A República, redigido por Antero de Quental e Oliveira Martins.

·Os deputados da oposição reformista e penicheira abandonam a Câmara dos Deputados em 12 de Maio de 1870.

Sedições

·O estabelecimento do arrolamento predial em 30 de Dezembro de 1869 deu origem a várias revoltas populares no Alentejo e em Ovar, nomeadamente.

·Em 5 de Janeiro de 1870, oficiais que visitaram Saldanha são compulsivamente transferidos pelo Governo. Golpe de Saldanha em 19 de Maio de 1870