|| Governos || Grupos || Eleições || Regimes || Anuário || Biografias ||

  Eleições de 1906

Eleições de 1906 (29 Abril)

                       

Pouco mais de um mês depois da posse do governo realizaram as eleições em 29 de Abril de 1906, aproveitando-se os novos governamentais hintzáceos de uma dissolução que havia sido conseguida pelos progressistas lucianistas. Imediatamente se constituiu, no dia 4 de Abril, uma frente oposicionista de progressistas lucianistas e franquistas, dita concentração liberal que, contudo, não teve êxito eleitoral. Aliás, nos dia 8 e 13 de Abril há duas revoltas militares, a do cruzador D. Carlos I e do couraçado Vasco da Gama, bem demonstrativas da capacidade de sublevação militar das forças republicanas. É nestas circunstâncias que se desenrola a luta eleitoral, onde são imponentes os comícios republicanos realizados em Lisboa, no dia 22 de Abril. Os governamentais hintzáceos  conseguiram uma confortável maioria de 105 deputados contra 17 progressistas lucianistas e 7 franquistas (todos estes eleitos por Lisboa), para além de 9 dissidentes progressistas, 6 nacionalistas, 2 independentes, 1 miguelista. Os republicanos, apesar de aumentarem a votação urbana, continuaram a não conseguir eleger deputados, em virtude dos grandes círculos plurinominais e da sua não penetração junto do eleitorado rural. Bernardino Machado, já então republicano, chegou a ser formalmente eleito no Peral, mas renunciou ao mandato quando se provou ter havido uma enorme chapelada promovida pelo governo, para fingir imparcialidade, com três vezes mais votos que os eleitores inscritos. Os republicanos aproveitam este ambiente e preparam várias manifestações de rua em Lisboa. A primeira, logo em 4 de Maio, na estação do Rossio, aclamando a chegada de Bernardino. Dois dias depois, na praça de touros do Campo Pequeno, quando os espectadores voltam a costas ostensivamente à família real, para ovacionarem Afonso Costa. Hintze Ribeiro, apesar de contar com uma confortável maioria parlamentar, pediu a D. Carlos adiamento das Cortes, mas o rei não lhe concedeu tal pretensão e decidiu apostar em João Franco, então apoiado por José Luciano.

43ª eleição geral

34ª eleição da 3ª vigência da Carta

31ª eleição da Regeneração

157 deputados.

Regime de escrutínio por lista.

Representação das minorias (37).

29 de Abril de 1906

Vitória dos governamentais regeneradores apoiantes de Hintze

Regeneradores

107 deputados

Progressistas

17 deputados

Dissidentes progressistas

9 deputados

Franquistas

7 deputados

Independentes

2 deputados

Republicanos

1 deputado ( Bernardino Machado, eleito deputado no peral, mas renuncia por causa da chapelada; houve três vezes mais votos do que votantes)

Nacionalistas

6 deputados

Miguelistas

1 deputado

© José Adelino Maltez. Todos os direitos reservados. Cópias autorizadas, desde que indicada a proveniência: Página profissional de José Adelino Maltez ( http://maltez.info). Última revisão em: 15-05-2007