|| Governos || Grupos || Eleições || Regimes || Anuário || Biografias ||

  Eleições de 1985

 

Eleições Portuguesas 1985 (6 de Outubro)

 

Eleições realizadas sob o governo do Bloco Central, com vitória do PSD, com 29,8%. O partido era então liderado por Aníbal Cavaco Silva que vencera o XII Congresso realizado na Figueira da Foz, depois de Mota Pinto se ter demitido do governo e da presidência do partido em 5 de Fevereiro. O Partido Socialista, que então apresentou Almeida Santos como candidato a primeiro ministro obteve apenas 20,8 %. Em tereceiro lugar fica o novo Partido Renovador Democrático, eanista, com 18%. Os comunistas obtêm 15,6% e o CDS, de Francisco Lucas Pires, apenas 9,7%. A emergência do novo partido de apoio ao presidente Ramalho Eanes alterou completamente as alternativas, ao mesmo tempo que as candidaturas à presidência da república influenciavam o processo. Por um lado, Cavaco Silva assumira o poder no PSD, em nome do apoio à candidatura de Diogo Freitas do Amaral, antigo presidente do CDS, prejudicando claramente a alternativa de Lucas Pires. As eleições antecipadas antecipadas foram marcadas em 27 de Junho de 1985, estando marcadas eleições autárquicas para 15 de Dezembro de 1985 e a primeira volta das presidenciais para 26 de Janeiro de 1986.

 

Síntese da Assembleia da República

IV Legislatura (eleição em 6 de Outubro de 1985)

 
 

partido

deputados

votos

 

percentagem

PCP

35

a)

a)

MDP/CDE

3

a)

a)

PS

57

1.204.311

20,77%

PRD

45

1.038.893

17,92%

PPD/PSD

88

1.732.228

29,87%

CDS

22

577.580

9,96%

a) PCP e MDP/CDE concorreram juntos na coligação APU, tendo obtido o total de 898.281 votos (15,49%).