Governo nº 101 de Domingos de Oliveira (896 dias, desde 21 de Janeiro). No interior o coronel António Lopes Mateus (1878-1955). Na justiça, Luís Maria Lopes da Fonseca. Na instrução, Gustavo Cordeiro Ramos. Nas finanças, António de Oliveira Salazar. Na guerra, o antigo democrático e alvarista e futuro organizador da Legião Portuguesa, João Nepomuceno Namorado Aguiar (1876-1945). Na marinha, Magalhães Correia (capitão de mar e guerra). Na agricultura, Linhares de Lima (coronel). Nos estrangeiros, Fernando Augusto Branco (n. 1890). Nas colónias, Eduardo Augusto Marques. Salazar assume a pasta das colónias, interinamente, até 29 de Julho, quando lhe sucede Eduardo Augusto Marques (n. 1893). É neste período que emite o chamado Acto Colonial, por decreto de 8 de Julho.

Em 19 de Janeiro: Schiappa de Azevedo (coronel) assume a pasta da guerra.

Em 26 de Janeiro: José de Almeida Eusébio na justiça.

Em 31 de Janeiro: o professor de direito Armindo Rodrigues Sttau Monteiro (1896-1955) nas colónias.

1931

Remodelação. Schiappa de Azevedo na guerra. Este teria conspirado com Ivens Ferraz no sentido da substituição de Salazar (19 de Janeiro). José de Almeida Eusébio na justiça. Armindo Monteiroö nas colónias, onde um dos redactores do Acto Colonial, todo ele british, vai promover a chamada mística do Império. Águedo de Oliveira, subsecretário das finanças (26 de Janeiro).

Remodelação – Schiappa de Azevedoö deixa o ministério da guerra. A pasta é assumida interinamente pelo ministro do interior, Lopes Mateus (25 de Junho)

Remodelações – Lopes Mateus assume o ministério da guerra, que geria interinamente. Mário Pais de Sousa (1891-1949), no interior (21 de Outubro).

José de Almeida Eusébio, na justiça (26 de Outubro)

  Governo anterior

Governo posterior  

 

Projecto CRiPE- Centro de Estudos em Relações Internacionais, Ciência Política e Estratégia. © José Adelino Maltez. Cópias autorizadas, desde que indicada a origem. Última revisão em: 31-03-2009